Show simple item record

dc.contributor.authorMachado, Melisa Fructuoso, 1987-pt_BR
dc.contributor.otherOliveira, Simone Gisele dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Zootecniapt_BR
dc.date.accessioned2019-06-25T20:08:09Z
dc.date.available2019-06-25T20:08:09Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/61410
dc.descriptionOrientadora: Prof. Dra. Simone Gisele de Oliveirapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia. Defesa : Curitiba, 26/02/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: A humanização dos animais de companhia ocasionou rápido desenvolvimento no mercado pet, o qual se encontra cada vez mais exigente, criando demandas por ingredientes de maior qualidade e que possam proporcionar maior longevidade aos cães. Para tal, o uso de aditivos enzimáticos vem sendo apontado como uma ferramenta importante otimizando o uso de coprodutos vegetais e melhorando suas características. Com este intuito, objetivou-se avaliar a inclusão de fitase e um complexo enzimático sobre a digestibilidade dos nutrientes e palatabilidade da dieta e características fecais de cães. Foram avaliadas seis diferentes dietas: dieta controle (sem aditivos enzimáticos), dieta com inclusão de fitase (5.000 FTU), dieta com inclusão de fitase superdosing (10.000 FTU), dieta com inclusão de fitase extradosing (15.000 FTU), dieta com inclusão de carboidrases (50.000 u/g) e dieta com inclusão de um complexo enzimático (fitase 5.000 FTU + carboidrases 50.000 u/g). Foram utilizados 12 cães adultos da raça Beagle, distribuídos em blocos ao acaso, os quais foram alimentados durante 30 dias com as dietas experimentais. Os resultados de coeficiente de digestibilidade aparente do extrato etéreo (CDAEE) e escore fecal apresentaram diferença estatística para dietas com inclusão de aditivos enzimáticos (P<0,05). Entretanto, o mesmo não foi observado para os CDA da matéria seca (CDAMS), da matéria orgânica (CDAMO), da proteína bruta (CDAPB) e da energia bruta (CDAEB) e para os ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) e ramificada (AGCR), pH, NH3 e matéria seca fecal (MSf) (P> 0,05). Houve uma tendência de crescimento do ácido acético para as dietas EDF e CB (P=1). A adição de aditivos enzimáticos não demonstra efeito na maioria dos coeficientes de digestibilidade e características fecais. A palatabilidade da dieta não foi afetada pela inclusão dos aditivos enzimáticos. Palavras-chave: Aditivo. Enzimas exógenas. Fatores antinutricionais. Palatabilidade. Pets.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The humanization of companion animals has led to rapid development in the pet market, which is increasingly demanding, creating demands for higher quality ingredients that can provide greater longevity to dogs. To this end, the use of enzymatic additives has been pointed out as an important tool optimizing the use of vegetable co-products and improving their characteristics. The aim of this study was to evaluate the inclusion of phytase and an enzymatic complex on nutrient digestibility and diet palatability and fecal characteristics of dogs. Six different diets were evaluated: control diet (without enzymatic additives), diet with phytase inclusion (5,000 FTU), diet with inclusion of phytase superdosing (10,000 FTU), diet with inclusion of phytase extradosing (15,000 FTU), diet with inclusion of carbohydrases (50,000 u / g) and diet with an enzyme complex (phytase 5,000 FTU + carbohydrases 50,000 u / g). Twelve adult Beagle dogs were randomly assigned to the experimental diets. The results of apparent digestibility coefficient of the ethereal extract (CDAEE) and fecal score presented statistical difference for diets with inclusion of enzymatic additives (P <0.05). However, the same was not observed for dry matter CDA (CDAMS), organic matter (CDAMO), crude protein (CDAPB) and crude energy (CDAEB) and for short chain fatty acids (AGCC) and branched (AGCR), pH, NH3 and fecal dry matter (MSf) (P> 0.05). There was a tendency of growth of acetic acid for the diets EDF and CB (P = 1). The addition of enzymatic additives has no effect on most of the digestibility coefficients and fecal characteristics. The palatability of the diet was not affected by the inclusion of the enzymatic additives Key words: Additive. Antinutritional factors. Exogenous enzymes. Palatability. Pets.pt_BR
dc.format.extent59 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAditivos alimentarespt_BR
dc.subjectFezes - Analisept_BR
dc.subjectValor nutricionalpt_BR
dc.subjectDietapt_BR
dc.subjectCão - Nutriçãopt_BR
dc.subjectZootecniapt_BR
dc.titleUso de fitase e caboidrases na digestibilidade e características fecais de cãespt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record