Show simple item record

dc.contributor.advisorPacheco, Vicente, 1952-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Curso de Especialização em Gestão de Negóciospt_BR
dc.creatorCordeiro, Luiza Alyne de Menezespt_BR
dc.date.accessioned2024-05-16T18:52:14Z
dc.date.available2024-05-16T18:52:14Z
dc.date.issued2004pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/56523
dc.descriptionOrientador: Vicente Pachecopt_BR
dc.descriptionMonografia (Especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Especialização em Gestão de Negóciospt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Essa monografia tem como objetivo mostrar que a relativa estabilidade da economia brasileira, conseguida com a implantação do Plano Real, e a abertura do nosso mercado interno à concorrência externa de um sistema produtivo globalizado, criou uma nova realidade de atuação no ambiente econômico que abre um imenso horizonte de oportunidades, mas traz também ameaças ao país e às empresas. A Globalização das operações financeiras e a tendência mundial das trocas comerciais de se tornarem cada vez mais rápidas ao redor do mundo, estão modificando a lógica de investir e produzir, trazendo conseqüências para a forma de administração das empresas e dos governos. Os governos já não são a locomotiva do desenvolvimento, em razão da falta de recursos para investir e também porque mudou a equação de poder, onde hoje os governos é que cortejam as grandes corporações com o seu enorme poder de investir. As empresas brasileiras, por sua vez, vêem-se diante de um novo desafio: concorrer com enormes corporações internacionais com um enfoque de produção que visa o menor custo a nível mundial e que vão buscar esse custo onde ele estiver através do suprimento global. Essa lógica de produção pressiona as empresas nacionais a se adaptarem ao novo cenário internacional, e a buscar novas alternativas de investimento externo com a formação de parcerias com empresas externas. O caminho que leva o Brasil e as suas empresas a se adaptarem ao processo de globalização econômica é longo e penoso, em virtude da carência de vários fatores que nos tornam frágeis diante do ambiente externo: falta de capital para investimento; cultura de administração familiar das empresas, com baixo índice de profissionalização; inexperiência de vender para o mercado externo e, pouco uso das ferramentas administrativas modernas, necessárias para tornar as empresas mais ágeis e dinâmicas para interagir em um cenário cada vez mais incerto. A análise desse processo de inserção do Brasil em um ambiente de estabilidade e globalização, que tantas mudanças introduziram em nosso dia a dia, e as conseqüências na vida de todos nós, são os objetivos do nosso trabalhopt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEconomiapt_BR
dc.subjectGlobalizaçãopt_BR
dc.titleEstabilidade economica e globalização : ameaças e oportunidades ao Brasil e as suas empresaspt_BR
dc.typeTCC Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record