Show simple item record

dc.contributor.advisorLemes Júnior, Antônio Barbosa, 1949-pt_BR
dc.contributor.authorGonçalves, Marcia Mariapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Curso de Especialização em Gestão de Negóciospt_BR
dc.date.accessioned2019-06-12T23:34:34Z
dc.date.available2019-06-12T23:34:34Z
dc.date.issued2006pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/61194
dc.descriptionOrientador: Antonio Barbosa Lemes Juniorpt_BR
dc.descriptionMonografia(Especialização) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Especialização em Gestão de Negociospt_BR
dc.description.abstractResumo: A presente pesquisa e uma investigação estritamente bibliográfica, tem como objetivo apresentar os conceitos de Inteligência Emocional, como a mesma e vista nas organizações empresariais, a importância de seu desenvolvimento, seu principal papel no incentivo da competitividade, cooperação do pessoal ora subordinado e reflexões sociais proporcionados quando da observação rigorosa de seus conceitos. Sendo um aglomerado de habilidades e competências de grande efeito para a eficácia do líder, a Inteligência Emocional sustenta que os líderes precisam compreender e administrar sua própria construção emocional antes de tentarem compreender e administrar outras pessoas, pois, Inteligencia Emocional pode ser aprendida, desenvolvida e aperfeiçoada, implicando a autoconsciência, motivação, persistência, empatia, entendimento e características sociais como persuasão, cooperação, negociações e liderança. Inteligencia emocional não é genética: estas habilidades são aprendidas mais do que inseridas. De certa forma, podemos dizer que possuímos duas mentes, consequentemente, dois tipos diferentes de inteligência: racional e emocional. A chave para a liderança está nos domínios da QE, uma maneira alternativa de ser esperto, não em termos de QI, mas em termos de qualidades humanas do coração, uma vez que, liderança requer habilidades para persuadir, inspirar, enfatizar e articular sentimentos. Portanto, a pesquisa vem demonstrar porque a Inteligencia Emocional pode ser um fator diferencial no processo de gestão.pt_BR
dc.format.extent50 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAdministração de empresaspt_BR
dc.subjectRelações humanaspt_BR
dc.titleInteligência emocional : um fator diferencial no processo de gestãopt_BR
dc.typeMonografia Especializaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record