Show simple item record

dc.contributor.advisorFernandes, Sueli de Fátimapt_BR
dc.contributor.authorFernandes, Carolina Carvalho Palomo, 1994-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.date.accessioned2022-08-08T19:32:58Z
dc.date.available2022-08-08T19:32:58Z
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/77429
dc.descriptionOrientadora: Prof. Dra. Sueli Fernandespt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa : Curitiba, 25/03/2022pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O objeto deste estudo são as práticas de ouvintização nas infâncias surdas, sobretudo na educação infantil em contexto inclusivo. A dissertação tem por objetivo compreender os processos de constituição da norma nas experiências de inclusão da criança surda pequena em uma instituição de educação infantil, em Curitiba. Para a realização da pesquisa, a metodologia empregada foi a etnografia, complementada pelos registros fotográficos, de conversas informais com as professoras, de diálogos com as crianças, base para a produção do diário de campo. Para a construção da base teórica, dialoguei com a Sociologia da Infância e os Estudos Surdos em Educação, de modo a identificar e compreender as estratégias de (re)produção da cultura oral-auditiva no espaço material e simbólico e nas experiências educativas da criança surda com adultos e seus pares na educação infantil. A pesquisa busca propor a reflexão sobre uma nova categoria conceitual analítica - a ouvintização - significada como referência à naturalização da norma ouvinte em processos e estratégias sociais que privilegiam a pessoa ouvinte e sua cultura oral-auditiva como norma. A partir dela, buscou-se refletir e apreender o privilégio ouvinte nas experiências educativo-pedagógicas, focando a análise nos atores e suas interações na unidade educativa. De forma complementar, realizou-se a análise documental de concepções e diretrizes da política municipal de Curitiba para crianças surdas na educação infantil e em documentos oficiais e institucionais do Centro Municipal de Educação Infantil. Nos resultados encontrados, ficou evidente que o privilégio ouvinte está presente na supervalorização e naturalização dos símbolos e práticas educativas da cultura oral-auditiva, que invisibiliza a criança surda, sua experiência visual e suas formas de comunicação. A norma ouvinte se constitui nas inúmeras vantagens materiais e simbólicas que reiteram o lugar de destaque e de positividade das referências do ouvir e falar nas práticas de educar e brincar na educação infantil. O estudo aponta para a necessidade de aprofundamento teórico de categorias analíticas que contribuam nos processos de problematização da ouvintização e do privilégio ouvinte como norma, em direção ao respeito e valorização da cultura surda em contextos educacionais inclusivos.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The object of this study is the practices of hearing in deaf childhoods, especially in early childhood education in an inclusive context. This dissertation aims to understand the processes of constitution of the norm in the experiences of inclusion of young deaf children in an early childhood education institution in Curitiba. In order to carry out the research, the methodology used was ethnography, complemented by photographic records, informal conversations with teachers, dialogues with children, enabling the production of the field diary. For the construction of theoretical basis, I have dialogued with the Sociology of Childhood and Deaf Studies in Education in order to identify and understand the strategies of (re)production of oral-hearing culture in the material and symbolic space and in the educational experiences of deaf children with adults and their peers in early childhood education. This research seeks to propose a reflection on a new analytical conceptual category - the hearing - signified as a reference to the naturalization of the hearing norm in social processes and strategies that privilege the hearing person and their oral-auditory culture as a norm. Based upon it, we have sought to reflect and apprehend the listening privilege in the educational-pedagogical experiences, focusing the analysis on the actors and their interactions in the educational unit. Complementarily, a documental analysis of conceptions and guidelines of Curitiba's municipal policy for deaf children in early childhood education and official and institutional documents of the Municipal Center of Childhood Education has been developed. According to the results found, it was evident the hearing privilege is present in the overvaluation and naturalization of symbols and educational practices of the oral-hearing culture, which makes the deaf child, his visual experience and his forms of communication invisible. The listening norm is constituted by the numerous material and symbolic advantages which reiterate the prominent place and positivity of the references of listening and speaking in terms of educating and playing in early childhood education. The study points to the need for theorical deepening of analytical categories which contribute for processes of listening problematization and the hearing previlege as norm, towards to respect and appreciation of deaf culture in inclusive educational contexts.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCrianças surdas - Educaçãopt_BR
dc.subjectCrianças com deficiência auditiva - Educaçãopt_BR
dc.subjectEducação especialpt_BR
dc.subjectInclusão educacionalpt_BR
dc.subjectEscolas municipais - Curitiba (PR)pt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.titleCriança surda pequena na educação infantil : a ouvintização no contexto inclusivo da Rede Municipal de Curitiba/PRpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record