Show simple item record

dc.contributor.advisorFerraz, Marcos, 1971-pt_BR
dc.contributor.authorMendes, Karoliny, 1988-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.date.accessioned2020-12-08T15:50:24Z
dc.date.available2020-12-08T15:50:24Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/68715
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Marcos Alexandre Ferrazpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa : Curitiba, 30/09/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 76-80pt_BR
dc.description.abstractResumo: A docência é uma profissão constituída, segundo teorias da divisão sexual do trabalho, como um trabalho a ser desempenhado por mulheres, pois, conforme pensamentos essencialistas, a mulher tem pré requisitos biológicos que lhe dão aptidão a trabalhos que precisem de cuidados e afetividade, características maternais. No Brasil e em praticamente todo Ocidente, a docência é uma profissão feminilizada e feminizada. O sindicato é um aparato ao trabalhador que possui características burocrático e classista, tendo como finalidade mediar a relação do trabalhador, que como indivíduo único não possui os meios para o enfrentamento ao padrão: o detentor nos meios de produção. A presente pesquisa tem a pretensão de entender como a APP- Sindicato, sindicato que representa os docentes do estado do Paraná, incorpora a feminilização da profissão docente como elemento de análise. Foram realizadas análises documentais em resoluções congressuais dos anos de 2007, 2012 e 2017. Palavras-chave: Valorização Docente. Feminização. Feminilização. Sindicato. APPSindicato. Políticas Educacionaispt_BR
dc.description.abstractAbstract: Teaching is a qualified profession, according to theories of the division of sex work, as work done by women, because, according to essentialist thinking, the woman has biological prerequisites that deal better with activities that need treatment and affection, attributes considered maternal in nature. In Brazil and practically every West, is a feminized the profession. The union is a device that has characteristics bureaucratic and is the institution that mediates relationship in between the working class and the boss. This research aims to understand how the APP- Sindicato, which represents the elementary school teaches and the high school of the state of Paraná, incorporates the feminization of the profession as an element of analysis. Documentary analysis was performed in congressional resolutions from 2007, 2012, 2017. Keywords: Teacher Appreciation. Feminization. Union of teachers. APP- Sindicato. Educational policies.pt_BR
dc.format.extent80 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectProfessoraspt_BR
dc.subjectSindicatos - Professorespt_BR
dc.subjectMulheres na educaçãopt_BR
dc.subjectEducação e Estado - Paranápt_BR
dc.subjectFeminismopt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.titleA valorização da mulher docente na pauta sindicalpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record