Show simple item record

dc.contributor.authorMaeso, Patricia Barreto Mainardipt_BR
dc.contributor.otherStroparo, Sandra Marapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2019-05-28T18:03:10Z
dc.date.available2019-05-28T18:03:10Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/55547
dc.descriptionOrientadora: Professora Doutora Sandra Mara Stroparopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa : Curitiba, 28/03/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p.229-236pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Estudos literáriospt_BR
dc.description.abstractResumo: Este trabalho tem por objetivo efetuar um mapeamento da representação do movimento na obra poética da norte-americana Elizabeth Bishop, cuja produção se localiza entre 1927 e 1979, e verificar de que formas o movimento contribui para a formação de sua voz e de seu projeto poético e estético. O recorte escolhido inclui a obra poética da autora, mais especificamente os quatro livros de poesia organizados por ela mesma -North & South (1946), A Cold Spring (1955), Questions of Travel (1965) e Geography III (1976) -, analisado a partir da fortuna crítica crescente sobre sua obra e que vem sendo desenvolvida por autores norte-americanos e brasileiros de crítica literária nas últimas décadas. Buscou-se inicialmente estabelecer, a partir da biografia e do histórico de viagens da autora, qual forma de mobilidade é a mais adequada para caracterizar sua perspectiva, aqui classificada como errante. Após a análise de poemas dos quatro livros mencionados, verificou-se que o movimento tem um papel central para a gênese e o desenvolvimento de sua poética, emergindo de aspectos formais e de conteúdo, cumprindo um papel organizador de um trajeto claramente estabelecido entre a primeira e a última obra, num ciclo que se fecha. Em Bishop, movimento é ritmo, forma, imagem, tema e configura um pressuposto para seu processo de composição. Palavras-chave: Elizabeth Bishop. Movimento. Errância. Poesia Norte-americana.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This research aims at mapping the representation of movement in the works of the North-American poet Elizabeth Bishop, whose production ranges from 1927 to 1979, and also establish how the idea of movement contributes to her voice and her poetical and aesthetical project. The chosen framework includes the author's poetry, more accurately the four poetry books she has organized herself -North & South (1946), A Cold Spring (1955), Questions of Travel (1965) e Geography III (1976) -, with resource to the rising critical work that has been developed by North-American and Brazilian literary critics in the last decades. At first, we sought to define which is the author's perspective considering the modern approach to mobility in Literature; it was considered to be that of Errantry. After the analysis of poems from the aforementioned books, the importance of movement to the genesis and the development of her poetry was confirmed, as it emerges from her works in formal aspects and content. Movement has an organizing role in a trajectory from the first to the last book, in a full circle. In Bishop's poetry, movement means rhythm, form, imagery, and theme, and configures a presupposition in her composition process. Keywords: Elizabeth Bishop. Movement. Errantry. North-American Poetry.pt_BR
dc.format.extent236 p.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectXpt_BR
dc.subjectPoesia americanapt_BR
dc.subjectBishop, Elizabeth, 1911-1979pt_BR
dc.titleO Movimento na poesia de Elizabete Bishoppt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record