Show simple item record

dc.contributor.advisorCâmara, Heloísa Fernandes, 1985-pt_BR
dc.contributor.otherArchegas, João Victor, 1996-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Jurídicas. Curso de Direitopt_BR
dc.creatorOliveira, Millena Antunes dept_BR
dc.date.accessioned2023-05-24T18:32:18Z
dc.date.available2023-05-24T18:32:18Z
dc.date.issued2023pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/82830
dc.descriptionOrientadora: Heloisa Fernandes Câmarapt_BR
dc.descriptionCoorientador: João Victor Archegaspt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Jurídicas, Curso de Graduação em Direitopt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: As plataformas online transformaram os meios de produção e reprodução de informações, remodelando as mais variadas relações humanas. Sua operacionalidade permitiu a oferta de uma experiência online personalizada aos padrões de comportamento do usuário. No entanto, as mídias sociais não servem apenas para captar preferências a fim de entregar conteúdos otimizados aos interesses do consumidor. Sua arquitetura também foi projetada para suscitar interesses e imprimir comportamentos, podendo ser mobilizada para fins sociais, econômicos ou políticos. Diante disso, o presente trabalho propôs-se a realizar uma breve análise acerca da operacionalidade das plataformas digitais e investigar a sua relação com fenômenos políticos de tendências antidemocráticas. O estudo utilizou-se da metodologia hipotético-dedutivo, com o levantamento e análise de bibliografia especializada para melhor compreender os fenômenos a serem tratados por este trabalho. A pesquisa partiu da análise da estrutura operacional das mídias digitais, para elucidar como o tratamento de dados fundou um novo modelo de negócio, denominado "capitalismo de vigilância". Por fim buscou-se compreender como a moderação de conteúdo se relaciona com a degradação de processos deliberativos democráticos. A partir das leituras empreendidas, pode-se concluir que as mídias digitais não são meios neutros de comunicação, elas definem o que vemos e como vemos de acordo com os interesses do setor privado. A mediação de informações realizada pelas big techs opera segundo a lógica da maximização de interações e de lucro, ofendendo por muitas vezes normas e princípios jurídicos. Uma das consequências do uso irrestrito das tecnologias da informação é a disseminação de desinformação e a polarização política, impactando na falta de legitimidade dos processos deliberativos democráticos. Com isso, faz-se necessário o estabelecimento de meios regulatórios eficientes para garantir a governança dos espaços virtuais.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Online platforms have transformed the means of production and reproduction of information, remodeling the most varied human relationships. Its operability allowed the offer of an online experience personalized to the user's behavior patterns. However, social media are not only used to capture preferences in order to deliver content optimized by consumer interests lts architecture was also designed to arouse interest and imprinting behaviors, and can be mobilized for social, economic or political purposes. In view of this, the present study proposes to carry out a brief analysis about the operability of digital platforms and investigate their relationship with political phenomena of anti-democratic tendencies. The study used the hypothetical-deductive methodology, with the survey and analysis of specialized bibliography to better understand the phenomena to be treated by this work. The research started from the analysis of the operational structure of digital media, to elucidate how the processing of data founded a new business model, called "surveillance capitalism". Finally, we sought to understand how content moderation is related to the degradation of democratic deliberative processes. From the readings undertaken, it can be concluded that digital media are not neutral means of communication, they define what we see and how we see it according to the interests of the private sector. The mediation of information carried out by big techs operates according to the logic of maximizing interactions and profit, often offending legal norms and principles. One of the consequences of the unrestricted use of information technologies is the dissemination of misinformation and political polarization, impacting on the lack of legitimacy of democratic deliberative processes. With this, the establishment of efficient regulatory means to guarantee the governance of virtual spaces proves to be necessary.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCapitalismopt_BR
dc.subjectDemocraciapt_BR
dc.titleCapitalismo de vigilância e erosão democrática : como as big techs têm degradado a democraciapt_BR
dc.typeTCC Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record