Show simple item record

dc.contributor.authorPiske, Fernanda Hellen Ribeiropt_BR
dc.contributor.otherStoltz, Tania, 1963-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.date.accessioned2018-06-13T18:03:36Z
dc.date.available2018-06-13T18:03:36Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/55916
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Tania Stoltzpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa : Curitiba, 20/03/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 212-233pt_BR
dc.description.abstractResumo: Esta tese se propõe a investigar como Vygotsky e Rudolf Steiner entendem a criatividade e se propõe a desenvolvê-la no ensino. O presente trabalho também envolve um estudo empírico, que pretende identificar os sentidos e significados que alunos com altas habilidades/superdotação (AH/SD), suas famílias e suas professoras da educação básica atribuem à criatividade na escola. A metodologia deste trabalho é qualitativa e exploratória e contou com três instrumentos para coleta de dados. No contexto brasileiro, os participantes foram 38 alunos superdotados, oito famílias e oito professoras, utilizou-se entrevista semiestruturada, observação e a técnica do grupo focal. No contexto americano, os participantes foram oito professores e 30 alunos superdotados, os instrumentos utilizados foram entrevista semiestruturada e observação. O procedimento de análise das entrevistas realizadas no Brasil e nos Estados Unidos está respaldado no método dos núcleos de significação de Aguiar e Ozella (2013). A partir da análise teórica é possível dizer que Vygotsky e Rudolf Steiner entendem a criatividade como parte da própria estrutura e função da consciência, possibilitando a capacidade de imaginação e criação para o desenvolvimento integral da pessoa. Ambos aliam ciência e arte como propostas para o desenvolvimento deste fenômeno e ressaltam a importância da afetividade que impulsiona e acompanha o processo de criação. Em relação às possibilidades de trabalho com a criatividade na escola a partir das teorias de Vygotsky e de Steiner, é possível identificar que este fenômeno pode ser desenvolvido por meio de práticas artísticas, como: a pintura, o teatro, a música, desenhos, trabalhos manuais, contação de histórias entre outras atividades que estimulam a imaginação da criança. Quanto aos resultados no contexto brasileiro, a partir da análise de dados empíricos, foram encontrados três núcleos de significação: o que é criatividade?, o dia-a-dia das crianças superdotadas na escola e como é o trabalho na sala de recursos multifuncionais? No ensino regular, a criatividade é praticamente inexistente, na sala de recursos, a criatividade é trabalhada em diferentes atividades, apesar da limitação quanto ao investimento material e pessoal. Em relação ao contexto americano, foram encontrados os seguintes núcleos de significação: o que é criatividade para professores de superdotados, desafios durante as aulas de superdotados e maneiras de trabalhar com a criatividade de estudantes superdotados. No que se refere às observações, alunos superdotados brasileiros se demonstraram menos motivados em relação às suas aulas se comparados com os alunos superdotados dos programas de verão dos Estados Unidos. Para finalizar os resultados, o grupo focal com os alunos superdotados do Brasil atribuiu grande importância à criatividade e manifestou seu descontentamento com o ensino regular com relação a este aspecto. O grupo focal com as famílias, enfatizou o papel da sala de recursos como ambiente enriquecedor da criatividade e denunciou o escasso investimento na educação de superdotados. Observa-se a necessidade de um ensino que integre afetividade e criatividade na educação de superdotados e a partir do conhecimento e do autoconhecimento, conhecimento tanto da realidade externa como também de quem somos e como somos (VEIGA; STOLTZ, 2014; STOLTZ; WEGER, 2012; 2015; STOLTZ; WEGER; VEIGA, 2017). A compreensão mais aprofundada da realidade e o conhecimento de potencialidades e limitações próprias são fundamentais para uma educação de qualidade e uma sociedade mais justa e humana. Neste sentido, o diálogo entre Vygotsky e Steiner quanto à criatividade evidencia-se como profícuo. Palavras-chave: Altas habilidades/superdotação; Criatividade; Vygotsky; Rudolf Steiner.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This dissertation aims to investigate how Vygotsky and Rudolf Steiner understand creativity and intends to develop creativity in teaching. It also involves an empirical study, which intends to identify the sense and meanings that high-ability/gifted students, their families and their elementary education teachers attribute to creativity at school. The methodology of this study is qualitative and exploratory and had three instruments for data collection. In the Brazilian context, the participants were 38 gifted students, eight families and eight female teachers, using a semi-structured interview, observation and focus group techniques. In the American context, the participants were eight teachers and 30 gifted students, and the instruments used were semi-structured interview and observation. The procedure used to analyze the interviews conducted in Brazil and the United States is supported by Aguiar and Ozella's method of meaning cores (2013). Based on the theoretical analysis it is possible to say that Vygotsky and Rudolf Steiner understand creativity as part of the very structure and function of consciousness, enabling the capacity of imagination and creation for the integral development of the person. Both of them ally science and art as proposals for the development of this phenomenon and emphasize the importance of affectivity that drives and accompanies the process of creation. In relation to the possibilities of working with creativity at school based on the theories of Vygotsky and Steiner, it is possible to identify that this phenomenon can be developed through artistic practices, such as: painting, theater, music, drawings, handwork, storytelling and other activities that stimulate the child's imagination. Regarding the results in the Brazilian context, analysis of empirical data revealed three meaning cores: what is creativity?; the daily routine of gifted children at school; and how is the work in the multifunctional resource room done? In regular education, creativity is practically non-existent; in the resource room, creativity is worked on in different activities, despite the limitations on material and personal investment. In relation to the American context, the following meaning cores were found: what creativity means to teachers of gifted students; challenges during lessons with gifted students; and ways to work with the creativity of gifted students. Regarding the observations, gifted Brazilian students were less motivated in relation to their classes compared to the gifted students of the US summer programs. To finalize the results, the focus group with gifted students in Brazil attributed great importance to creativity and expressed its dissatisfaction with regular teaching regarding this aspect. The focus group with families emphasized the role of the resource room as an environment enriching creativity and denounced the scarce investment in the education of gifted students. The need was found for a form of teaching that integrates affectivity and creativity in the education of gifted students as well as being based on knowledge and self-knowledge, where knowledge is both of external reality and also of who we are and how we are (VEIGA; STOLTZ, 2014; STOLTZ; WEGER, 2012; 2015; STOLTZ; WEGER; VEIGA, 2017). A deeper understanding of reality and knowledge of one's own potentialities and limitations are fundamental to a quality education and a more just and humane society. In this sense, the dialogue between Vygotsky and Steiner regarding creativity is shown to be fruitful. Keywords: High abilities/Giftedness; Creativity; Vygotsky; Rudolf Steiner.pt_BR
dc.format.extent286 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectVygotskii, L. S. (Lev Semenovich), 1896-1934pt_BR
dc.subjectSteiner, Rudolf, 1861-1925pt_BR
dc.subjectSuperdotados - Educaçãopt_BR
dc.subjectCriatividade (Educação)pt_BR
dc.titleAltas habilidades/superdotação (AH/SD) e criatividade na escola : o olhar de Vygotsky e de Steinerpt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record