Show simple item record

dc.contributor.advisorGarcia, Tania Maria Figueiredo Braga
dc.contributor.authorChaves, Edilson Aparecido
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação
dc.date.accessioned2015-12-02T18:51:16Z
dc.date.available2015-12-02T18:51:16Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40387
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Tânia Maria F. Braga Garcia
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 28/03/2014
dc.descriptionInclui referências : f. 190-202
dc.description.abstractResumo: A presente tese tem como tema a presença do livro didático de História em aulas do ensino médio em uma escola que é identificada oficialmente como Escola do Campo. Investiga formas de uso do livro nas aulas de História, o ponto de vista dos alunos do Ensino Médio sobre os livros didáticos de História incluídos no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2012 e as relações que são estabelecidas com o conhecimento histórico a partir do livro didático. Apoia-se teoricamente nas indicações de Rüsen (2010b) quanto ao livro didático ideal e leva em consideração as determinações e os critérios derivados do Programa Nacional do Livro Didático que estão materializados nos Editais e Guias de Livros Didáticos PNLD 2012. Parte dos pressupostos de que há aprendizagens específicas da História e de que elas exigem a atenção do professor para o pensamento histórico dos alunos, sendo necessário investigar a existência de especificidades no ensino de História para alunos de Escolas do Campo e que um dos recursos relevantes na produção das aulas é o livro didático. Portanto, é necessário fazer aproximações com as salas de aula para compreender o que professores e alunos pensam sobre os manuais escolares e de que forma os utilizam para ensinar e aprender. A pesquisa, de natureza etnográfica, foi realizada entre 2010 e 2014. O trabalho empírico foi realizado em uma Escola do Campo durante o ano letivo de 2012, com a colaboração de três professores de História e seis turmas de ensino médio, totalizando cento e doze alunos. Como principal estratégia de pesquisa, foi utilizada a observação participante. Foram realizadas entrevistas e análise documental e foram utilizados instrumentos na forma de questionários e atividades de análise de livros didáticos com os alunos. Os resultados permitiram constatar diferentes relações que professores e alunos estabelecem com o conhecimento histórico a partir do uso dos livros didáticos e permitiram verificar que, ao analisar os livros, os jovens utilizam tanto critérios de ordem geral - como a qualidade dos textos e imagens - quanto critérios específicos da História - como a presença de fontes e abordagem cronológica dos conteúdos. Em conclusão, com base no conjunto de dados produzidos no trabalho empírico, defende-se a tese de que: os jovens devem ser incluídos como sujeitos que opinam sobre os livros a serem usados, e que o livro didático de História pode e deve recorrer à(s) experiência(s) particular(es) como ponto de partida e de referência, sem no entanto tornar o ensino de História refém do particularismo. Nesse sentido, as especificidades da Escola do Campo devem ser a referência de origem, mas não a grade de confinamento dos jovens alunos em relação aos conhecimentos históricos. Palavras-chave: Ensino de História. Livro didático. Ensino médio. Etnografia. Escola do Campo.
dc.description.abstractAbstract: This work has as its theme the presence of History textbooks in high school classes in a school officially identified as "Escola do Campo" (Countryside School). Here, are also investigated: the ways these textbook are used during History classes, high school student point of view about the History textbooks included in the National Textbook Program (PNLD) 2012 and the relations established with historical knowledge from such textbooks. The present work theoretically stands on Rüsen?s (2010b) indications concerning to the ideal textbook, and it considers the determinations and criteria derived from the National Textbook Program that are displayed in PNLD 2012 textbook bids and guidelines (Editais e Guias de Livros Didáticos PNLD 2012). This work is also based on the assumption that there are specific types of History learning and that they demand teacher?s attention to student?s historical thinking; for this reason it is necessary to investigate the existence of specificities in teaching History to "Escola do Campo?"s students and textbooks are one relevant resource for classes. Therefore, it is necessary to approximate to the classroom environment to understand what teachers and students think about school manuals, and how they use such these guidelines to teach and learn. This research has an ethnographic nature, and it was made between 2010 and 2014. The empirical work was made in one of the "Escolas do Campo" during the school year of 2012, with the collaboration of three History teachers and six high school groups, involving 112 (one hundred and twelve) students in total. The main research strategy used was the observing participation. Interviews and documental analysis were made; other tools used for this purpose were questionnaires and textbook analysis activities with the students. The results allowed realizing different relationships that teacher and students establish with the History knowledge from the usage of textbooks and permitted to verify that, by analyzing textbooks, youngsters use as general order criteria, such as the quality of texts and images, as specifical History criteria, such as the presence of sources and chronological approach to contents. As a conclusion, based on all the data produced by the empirical work, here is defended the thesis that youngster must be included as actors who give opinion about the books about to be used, and that History textbooks can and must use personal experiences as a reference and as a reference and starting point without, however, without making History teaching being driven by particularism. In this direction, the specificities of "Escola do Campo" environment must be an origin reference and not a confinement cell of young students in relation to History knowledge. Key-words: History teaching. Textbook. Highschool. Ethnography. Country school.
dc.format.extent226 f. : il. algumas color., grafs., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectEducação
dc.titleA presença do livro didático de história em aulas do ensino médio : estudo etnográfico em uma escola do campo
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record