Show simple item record

dc.contributor.advisorTakahashi, Adriana Roseli Wunsch
dc.contributor.authorLucht, Evelin
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Administração
dc.date.accessioned2015-11-16T18:24:35Z
dc.date.available2015-11-16T18:24:35Z
dc.date.issued2010
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/24857
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Adriana W.T. Takahashi
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Administração. Defesa: Curitiba, 26/08/2010
dc.descriptionBibliografia: fl.155-157
dc.descriptionÁrea de concentração: Estratégia e Organizações
dc.description.abstractResumo: De acordo com dados da PNUD (2007), o Brasil é um dos países com maior desigualdade social no mundo, embora seja a 10ª economia mundial em termos do tamanho do Produto Interno Bruto (PIB) (FMI, 2009). Os dados revelam um país com injustiça social em termos de distribuição de renda e baixo desenvolvimento humano. O combate à injustiça social ocorre em diversas esferas da sociedade e com fundos de programas ou projetos sociais diversos. Uma das organizações brasileiras que têm como objetivo melhorar a realidade social é a Pastoral da Criança, fundada em setembro de 1983, no município de Florestópolis (Norte do Paraná), pela Drª Zilda Arns e pelo cardeal arcebispo Dom Paulo Evaristo Arns. O objetivo da PCR é o desenvolvimento integral da criança (físico, social, mental, espiritual e cognitivo). As principais práticas organizacionais da PCR, para alcançar o objetivo, resumidamente, são: (i) acompanhar as gestantes e; (ii) acompanhar as crianças menores de seis anos. Para promover as ações educativas e executar suas práticas a Pastoral conta o apoio de voluntários e parceiros: institucionais, em projetos e programas e técnicos. Em 2007, a PCR estava presente em 42 mil comunidades de 4.063 municípios brasileiros. A PCR é uma organização que age no contexto social através de práticas organizacionais, que constituem ações recorrentes que são construídas e reconstruídas através da própria prática, de pressões (social, econômica e política), fatores internos (divisão do trabalho, formalização, complexidade do trabalho, número de voluntários e funcionários) e pela agência humana. O objetivo desta pesquisa foi analisar como foram configuradas as práticas organizacionais da PCR, no período de 1983 a 2010. Os objetivos específicos foram: (i) analisar as práticas organizacionais da PCR, em diversos momentos, no período compreendido entre 1983 e 2010; (ii) descrever as pressões econômicas, sociais e políticas no campo da ação social no período compreendido entre 1983 e 2010; (iii) descrever os fatores internos elevantes para a prática organizacional na trajetória da PCR, no período de 1983 a 2010; (iv) descrever a capacidade de agência dos atores envolvidos para a configuração/criação de práticas organizacionais na trajetória da PCR, no período de 1983 a 2010; (v) analisar a relação entre as pressões, fatores internos e agência e a configuração das práticas organizacionais da PCR, em diversos momentos, no período compreendido entre 1983 e 2010. A abordagem escolhida foi a qualitativa e a estratégia foi o estudo de caso com perspectiva longitudinal, que abrangeu o período de 1983-2010, com corte transversal no resente, ano de 2010. Foram feitas entrevistas semiestruturadas com membros e ex-membros estratégicos da organização. As principais conclusões obtidas foram que as práticas organizacionais da PCR foram construídas ao longo do tempo e são alteradas continuamente. As pressões, de maneira geral foram mais influentes para condicionar as práticas organizacionais da organização que os fatores internos. É mportante destacar, que percebemos que no primeiro período estudado (1983-1998), de maneira geral, a princípio as pressões atuavam no sentido de deslegitimar as práticas organizacionais, já nem meados da década de 1990, as pressões tornam-se favoráveis à legitimação e, portanto, a expansão das práticas organizacionais. Por fim, nos últimos anos, há novamente pressões para a deslegitimação. Isso indica que as pressões atuam nos dois sentidos, para deslegitimar e legitimar as práticas organizacionais. Também percebemos que os fatores internos e sobretudo a capacidade de agência de alguns membros da organização, foram de suma importância para a configuração das práticas organizacionais. Notamos que nos últimos anos da análise, os fatores internos estão condicionando a deslegitimação das práticas organizacionais da PCR.
dc.description.abstractAbstract: According to data base of PNUD (2007) Brazil is one of the countries with the highest social inequality in the world, although it is the 10th world-wide economy in terms of the size of Gross Domestic Product (GDP) (IMF, 2009). The data reveals a country with social injustice in terms of income distribution and low human development. The struggle to end the social injustice happens in many spheres of the ociety and with public or private funding. One of the Brazilian organizations, that has as its aim improve social reality, is the "Pastoral da Criança" (PCR), established in September of 1983, in the city of Florestópolis (north of Paraná), by Drª. Zilda Arns and cardinal and archbishop Dom Paulo Evaristo Arns. The intent of PCR is the entirely development of the child (physical, social, mental, spiritual and cognitive). The greatest organizational practices of PCR, in order to accomplish its goal, concisely are: (i) to follow closely pregnant women and; (ii) to follow closely children from their birth until they are six years old. To promote educative actions and to execute practices, PCR counts with support of volunteers and institutional partners, in projects and technical programs. In 2007, PCR was present in 42.000 communities of 4.063 Brazilian cities. The PCR is an organization that act in social context through organizational practices, that constitutes recurring actions that are constructed and reconstructed through practice itself, of pressures (social, economic and politic), internal factors (division of the work, formalization, complexity of the work, number of volunteers and employees) and human agancy. The purpose of this research was to analyze how the organizational practices of PCR had been configured, in the period of 1983 to 2010. The specific objectives had been: (i) to analyze the organizational practices of PCR, at various moments, within 1983 and 2010; (ii) to describe the economic, social and political pressures in the field of the social action in the period understood between 1983 and 2010; (iii) to describe the relevant internal factors for the organizational practices in PCR’s course in the period of 1983 the 2010; (iv) to describe the actors agency to the configuration/creation of organizational practices in period understood between 1983 and 2010;; (v) to analyze the relation between the external pressures, internal factors and configuration of the organizational practices of PCR, at several moments, in the period understood between 1983 and 2010. The chosen approach was the qualitative one and the strategy study was the case study with longitudinal perspective, which enclosed the period of 1983-2010, with transversal cut in the current year of 2010. Half-structuralized interviews had been made with strategic members and former-members of the organization. The main gotten conclusions had been that the organizational practices of the PCR had been constructed throughout the time and are modified continuously. The pressures, generally, had been more influential to condition the organizational practices of the organization than the internal factors or agency. It is important to detach that we perceive that in the first studied period (1983-1998), in a generalized manner, in the beginning the pressures acted in the direction to take away the legitimacy from the organizational practices; however in the early 1990s, the pressures become favorable to the legitimation and, therefore to the expansion of the organizational practices. Finally, recently, there are, once more, pressures for the delegitimation. This indicates that the pressures act in the two directions, to delegitimation and to legitimize the organizational practices. Also, we perceive that the internal factors and also the agency’s capacity of some members of the organization had been of utmost importance for the configuration of the organizational practices. We notice that in recent years of the analysis, the internal factors are conditioning the deinstitutionalization of the organizational practices of the PCR.
dc.format.extent157f. : il. algumas color., grafs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectTeses
dc.subjectDesenvolvimento organizacional
dc.subjectAdministração
dc.subject.ddc658.4
dc.titlePráticas organizacionais da Pastoral da Criança : uma análise do período 1983-2010
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record