Show simple item record

dc.contributor.authorMariano, Lucimar, 1975-pt_BR
dc.contributor.otherTheis, Laís Carolini, 1989-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Curso de Especialização em Atenção Básicapt_BR
dc.date.accessioned2021-06-04T17:23:55Z
dc.date.available2021-06-04T17:23:55Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/70840
dc.descriptionOrientadora : Profª. Laís Carolini Theispt_BR
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Curso de Especialização em Atenção Básicapt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : O plano de intervenção que aborda a temática de educação em saúde para adesão ao tratamento de pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica na Atenção Básica é um resultado do Curso de Especialização em Atenção Básica da UFPR, financiado pelo UNA-SUS. A hipertensão arterial está relacionada diretamente ao grau de adesão do paciente ao regime terapêutico, assim como na prática de hábitos saudáveis. O objetivo foi melhorar a adesão ao tratamento e o controle da hipertensão arterial sistêmica por meio de ações de educação em saúde aos pacientes cadastrados na ESF Santa Clara IV em Toledo, Paraná. O método utilizado foi uma pesquisa-ação, desenvolvido no período de janeiro a junho de 2019. Foram realizadas seis palestras sobre temáticas relacionadas à doença, hábitos saudáveis de vida, alimentação, exercício físico e adesão terapêutica. As atividades foram realizadas por meio de rodas de conversas, com trocas de experiência. Para os pacientes analfabetos foram desenvolvidas caixas artesanais com símbolos de fácil identificação, para auxiliar no correto do uso dos medicamentos. Observou-se certo nível de resistência por parte dos pacientes em participar das reuniões. Entretanto, utilizou-se metodologia com atividades lúdicas, recreativas e alimentícias, o que contribuiu para maior adesão. Durante as rodas de conversas, evidenciou-se que a baixa adesão ao tratamento medicamentoso está relacionada ao esquecimento e o descuido quanto ao horário do medicamento, a baixa escolaridade e analfabetismo, e associado à ausência familiar. Conclui-se que se torna essencial que a equipe de saúde conheça as dificuldades e limitações dos pacientes em aderir ao tratamento anti-hipertensivo com o objetivo de orientá-los e empoderá-los ao autocuidado, para melhor controle da doença. Enfatiza-se, principalmente, a importância da comunicação no relacionamento médico/equipe/paciente, o que envolve a confiança e, por conseguinte, possibilidades de maior adesão ao tratamento. Faz-se necessário desenvolver mais ações de educação em saúde para que os hipertensos se conscientizem da importância de aderir adequadamente aos regimes terapêuticos. Palavras-chave: Hipertensão. Atenção Primária à Saúde. Educação em saúde.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (22 p.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCuidados Primários de Saúdept_BR
dc.subjectHipertensãopt_BR
dc.subjectEducação sanitáriapt_BR
dc.titleAtividades de educação em saúde para adesão ao tratamento de pessoas com hipertensão arterial sistêmica na Atenção Básicapt_BR
dc.typeMonografia Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record