Show simple item record

dc.contributor.advisorBiasi, Simoni Vilant dept_BR
dc.contributor.authorCarneiro, Maria Inês Lacerdapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná.Setor de Educação. Curso de Especialização em Coordenação Pedagógicapt_BR
dc.date.accessioned2019-12-04T18:57:00Z
dc.date.available2019-12-04T18:57:00Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/53365
dc.descriptionOrientadora : Simoni Vilant de Biasipt_BR
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Curso de Especialização em Coordenação Pedagógicapt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : Este estudo tem por objetivo refletir sobre a função social da educação pública, analisando os fatores que interferem no vínculo entre professores e alunos, incluindo a relação de ambos com o conhecimento previsto no currículo escolar. Também pretende sugerir ações para que a escola cumpra sua função na sociedade. Visando superar a tendência tradicional de responsabilizar os estudantes pelo fracasso escolar, a pesquisa buscou compreender os desafios da educação para encontrar soluções possíveis de superação das dificuldades por meio do confronto entre teoria e prática. A revisão da literatura subsidiou a elaboração de um questionário com questões de múltipla escolha que foi aplicado no ensino médio diurno de uma escola pública de Curitiba, totalizando 118 formulários respondidos. Os teóricos consultados consideram que as transformações sociais e a diversidade existente na escola tornam urgente a democratização da relação entre professor, aluno e conhecimento, para cumprir a função social da educação de socialização da cultura que promove a humanização. A ruptura com o modelo tradicional de ensino justifica o investimento no diálogo entre os atores envolvidos, bem como a construção e manutenção do contrato pedagógico em sala de aula para ajustar a mediação da aprendizagem e legitimar a autoridade docente. A respeito da pesquisa empírica, o questionário confirmou as reflexões teóricas, indicando que a maioria dos estudantes prefere relações democráticas: 79% valorizam o contrato pedagógico e a mediação do professor na resolução dos problemas em sala. Com relação ao conhecimento, 59,5% considera mais importante a aprendizagem do que a nota, atribuindo ao aluno a reprovação (60%), motivada pela indisciplina (37%), a falta de estudo (32,8%) e a falta de vínculo entre professor e aluno (29,3%). A partir da reflexão teórica e da pesquisa empírica, o presente estudo abre caminhos para novas reflexões em vista da democratização do conhecimento na escolapt_BR
dc.format.extent18 p.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectProgramas de ação afirmativa na educaçãopt_BR
dc.subjectProfessores e alunospt_BR
dc.titleDemocratização do conhecimento na escola : um sonho possívelpt_BR
dc.typeMonografia Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record