Show simple item record

dc.contributor.authorYamaguchi, Brunapt_BR
dc.contributor.otherIsrael, Vera Lúcia, 1963-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Educação Físicapt_BR
dc.date.accessioned2021-12-02T18:54:20Z
dc.date.available2021-12-02T18:54:20Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/72529
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Vera Lúcia Israelpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Defesa : Curitiba, 26/06/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 182-203pt_BR
dc.description.abstractResumo: A doença de Parkinson (DP) é a segunda enfermidade neurológica degenerativa progressiva mais prevalente. A pneumonia é a principal causa de morte na DP, e o problema pulmonar está correlacionado à redução da mobilidade físico-funcional. Nesta perspectiva, esta tese é composta por três estudos. O Estudo 1 teve o objetivo de analisar e correlacionar o risco respiratório e indicadores de sarcopenia em pessoas com DP, comparando com idosos hígidos. Foi avaliado, transversalmente, indicadores de sarcopenia (velocidade da marcha, força de preensão manual, perimetria de panturrilha), força respiratória e pico de fluxo expiratório de 79 pessoas com DP e 17 idosos hígidos. A comparação entre homens e mulheres com DP tem diferenças significativas no pico de fluxo expiratório, Pressão inspiratória (Pi máx), Pressão expiratória (Pe máx), massa corporal e força de preensão manual maior para os homens e relação cintura estatura mais elevada nas mulheres. A diferença entre pessoas hígidas e com DP foi apenas na velocidade da marcha. Na força ventilatória, 73,41% das pessoas com DP e 70% dos hígidos tiveram a Pi máx abaixo do esperado para idade e sexo. A Pe máx abaixo do predito foi encontrada em 87,34% da amostra com DP e 82,35% dos hígidos. Quanto a sarcopenia, 3,8% das pessoas com DP apresentaram risco e 1,26% classificado como pré-sarcopênico. Nenhum hígido apresentou risco de sarcopenia e houve forte correlação moderada e direta entre o PFE e velocidade da marcha e entre a força de preensão palmar com as variáveis ventilatórias. No estudo 2 o objetivo foi caracterizar a função ventilatória e capacidade de marcha, nível de atividade física, fadiga, atividade de vida diária (AVD) e função motora em pessoas com DP, comparando a função ventilatória, capacidade de marcha, nível de atividade física e fadiga com indivíduos adultos hígidos. Foram avaliados de forma transversal 41 pessoas com DP e 17 pessoas hígidas. Para as pessoas com DP, risco respiratório foi determinado como distúrbio misto em 14,63%, 9,76% como restritivo e nenhum obstrutivo. Para pessoas hígidas, 11,76% tem ventilação obstrutiva, 5,88% restritiva e 5,88% mista. Comparativamente, hígidos tiveram estatisticamente maior capacidade de marcha, ventilação voluntária máxima (VVM) e menos fadiga. Ao comparar mulheres com e sem a DP, observamos diferença significativa para capacidade de marcha e capacidade vital forçada maior nas hígidas, enquanto que a fadiga foi maior para as mulheres com DP. Entre os homens, apenas observado diferença na fadiga, menor nos hígidos do que nos homens com DP. O Estudo 3, de delineamento quase-experimental, grupo único com medidas repetidas em quatro avaliações, propondo intervenção por meio de um programa de exercícios físicos aquáticos sobre parâmetros ventilatórios e morfofuncionais (triagem de sarcopenia, capacidade de marcha, fadiga, AVD, avaliação motora e avaliação aquática). Os critérios de inclusão foram de 1 a 4 na escala Hoehn & Yahr e liberação clínica. As avaliações ocorreram com intervalos de tempo de 3 meses entre avaliações, sendo a primeira de controle, o segundo período foi quando sucedeu a intervenção e mais um período de três meses ocorreu após a intervenção como seguimento. A intervenção ocorreu em 25 encontros, duas vezes na semana, por 3 meses, composta de cinco fases de aprendizado motor aquático (ambientação, domínio do meio líquido, exercícios terapêuticos especializados, condicionamento orgânico global e relaxamento), com ênfase em exercícios aeróbios e controlado pela escala de Borg. Participaram da intervenção 13 pessoas (71,3±5,61 anos de idade), que não apresentaram diferença significativa no período controle. Entre as avaliações do período de intervenção apresentaram diferença estatisticamente significativa na Pi máx, Pe máx, CVF, índice de Tiffeneau, VVM, fadiga e avaliação motora. Na avaliação aquática, que ocorreu no período de pré e pós intervenção, houve diferença estatística com melhor desempenho geral no pós intervenção. Como conclusão geral os estudos demonstraram que as pessoas com DP apresentaram baixa incidência de risco para sarcopenia, pela metodologia utilizada, porém tiveram, assim como os participantes hígidos da mesma faixa etária, redução de parâmetros ventilatórios. Em relação a fadiga e capacidade de marcha, a DP tem pior performance que os hígidos. A intervenção de exercícios físicos aquáticos foi efetiva para desfechos ventilatórios, fadiga e desempenho motor.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Parkinson's disease (PD) is the second most common progressive neurodegenerative disorder. Pneumonia is the main cause of death in those with PD, and pulmonary disorder is correlated with reduced physical and functional mobility. From this perspective, this thesis is composed of three studies. The objective of the Study 1 was to analyze and correlate pulmonary risk and sarcopenia indicators in people with PD, compared with healthy older adults. Sarcopenia indicators (gait speed, handgrip strength, and calf circumference), respiratory strength, and peak expiratory flow of 79 people with PD, and 17 healthy older adults were cross-sectionally analyzed. Men and women with PD showed significant differences in peak expiratory flow, inspiratory pressure (Pi max), expiratory pressure (Pe max), mass, waist-height ratio, and handgrip strength. Healthy people and those with PD only presented differences in gait speed. Concerning respiratory strength, 73.41% of people with PD, and 70% of healthy individuals presented Pi max below the expected value for their age and sex. Pe max below the predicted value was observed in 87.34% of people with PD and 82.35% of healthy individuals. Regarding sarcopenia, 3.8% of people with PD were considered at risk of sarcopenia and 1.26% of them had presarcopenia. No healthy individuals were considered at risk of sarcopenia. Moreover, there was a strong moderate and direct correlation between peak expiratory flow and gait speed and between handgrip strength with the respiratory variables. The objective of the Study 2 was to characterize pulmonary function, gait ability, physical activity level, fatigue, activities of daily living (ADLs), and motor function in people with PD, compared to pulmonary function, gait capacity, physical activity level, and fatigue of healthy adult individuals. Thus, 41 people with PD and 17 healthy people were cross-sectionally analyzed. Pulmonary risk of people with PD was determined as mixed lung disease in 14.63%, as restrictive in 9.76% and as obstructive in no case. Regarding healthy people, pulmonary risk was defined as obstructive lung disease in 11.76%, restrictive in 5.88%, and mixed in 5.88% of them. When comparing women with and without PD, we can notice a significant difference in gait capacity and forced vital capacity, which is greater in healthy women. While fatigue is greater in women with PD. Among men, we only observed a difference in fatigue, which is lower in healthy men than in those with PD. The study 3 used a quasi-experimental,single-group, repeated-measures design. This study proposed an aquatic exercise program based on respiratory and morphofunctional parameters (sarcopenia screening, gait capacity, fatigue, ADLs, motor evaluation, and aquatic evaluation). Inclusion criteria were stage 1 to 4 on the Hoehn & Yahr scale and medical certificate. Repeated measurements of the individuals with PD were collected in four evaluations. The four evaluations were performed within intervals of three months: the first one was for control, the second one was when the intervention took place, and the third one was after the intervention as a follow-up. The intervention was performed twice a week during three months (25 meetings) and was composed of five stages of aquatic motor skills learning (adaptation, mastering of the liquid medium, specialized therapeutic exercises, global fitness, and relaxation), with an emphasis on aerobic exercises and controlled using the Borg scale. Thirteen people (71.3±5.61 years old) participated in the intervention, who showed no significant difference in the control period. Regarding the evaluations of the intervention period, there were statistically significant differences in Pi max, Pe max, FVC, Tiffeneau index, MVV, fatigue, and motor assessment. In the aquatic assessment, which occurred during the pre and postintervention period, we found a statistical difference with better general performance in the post-intervention. As a general conclusion, according to the adopted methodology, the studies demonstrate that people with PD had a low incidence of risk for sarcopenia. However, these individuals, as well as the healthy participants of the same age group, presented reduced respiratory parameters. Concerning fatigue and gait capacity, participants with PD showed poorer performance than the healthy ones. The intervention of aquatic exercises was effective for respiratory purposes, fatigue, and motor performance.pt_BR
dc.format.extent1 arquivo (235 p.) : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectParkinson, Doença dept_BR
dc.subjectExercícios físicos aquáticospt_BR
dc.subjectEducação Físicapt_BR
dc.titleDoença de Parkinson e exercícios físicos aquáticos : repercussões na função respiratória e nos parâmetros morfofuncionaispt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record