Show simple item record

dc.contributor.advisorPimentel, Ida Chapavalpt_BR
dc.contributor.authorCorrêa, Isabela Paulukpt_BR
dc.contributor.otherDalzoto, Patricia do Rociopt_BR
dc.contributor.otherAlmeida, Angela Bozza dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Microbiologia, Parasitologia e Patologiapt_BR
dc.date.accessioned2019-05-10T16:14:29Z
dc.date.available2019-05-10T16:14:29Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/60671
dc.descriptionOrientadora : Profª Drª Ida Chapaval Pimentelpt_BR
dc.descriptionCoorientadoras : Profª Drª Patricia do Rocio Dalzoto, Angela Bozza de Almeidapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 27/02/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 62-74pt_BR
dc.description.abstractResumo: A ocratoxina A (OTA) é uma micotoxina produzida pelos fungos do gênero Aspergillus e Penicillium, normalmente encontrada em cereais, uva e café. A OTA é nefrotóxica, neurotóxica, imunossupressora e é considerada um possível causador de câncer em humanos. No Brasil, os principais fungos produtores de ocratoxina A são Aspergillus ochraceus, Aspergillus westerdijkiae, Aspergillus carbonarius e Aspergillus niger, sendo assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a capacidade de microrganismos isolados de grãos de café na inibição do crescimento e produção de ocratoxina A de espécies de Aspergillus sp.. Foram isolados bactérias e fungos filamentosos de grãos de café verde (Coffea arabica) provenientes do Instituto Agronômico do Paraná, inoculando os grãos em placas de Petri contendo meios de cultivo seletivos. Foi testada a capacidade de bactérias, fungos filamentosos e leveduras isolados de grãos de café na inibição de crescimento de A. ochraceus, A. westerdijkiae, A. carbonarius e A. niger produtores de OTA. Através da técnica de crescimento radial, as bactérias e leveduras foram capazes de inibir os fungos testados, sendo que a porcentagem de inibição variou de 0% a 100%. Dentre as espécies testadas, A. westerdjkiae foi mais suscetível, apresentando porcentagem média de inibição de 78,34% para leveduras e 67,6% para bactérias. As leveduras isoladas de grãos de café foram identificadas a partir do sequenciamento da região ITS do DNA ribossomal como Pichia anomala, Pichia burtonii, Pichia caribbica, Pichia guilliermondii, Aureobasidium pullulans e Cryptococcus heveanensis. Analisando a capacidade de redução da produção de OTA por espécies de Aspergillus sp. pelo método de plug-agar, encontrou-se que as leveduras isoladas pertencentes ao gênero Pichia foram capazes de reduzir em até 100% a produção de OTA das quatro espécies de Aspergillus sp. testadas. Por fim, conclui-se que microrganismos isolados de grãos de café possuem potencial inibitório contra as espécies testadas, podendo ser uma alternativa no controle de espécies de Aspergillus sp. e ocratoxina A em alimentos. Palavras-chave: Ocratoxina A. Inibição de crescimento. Café. Leveduras. Bactérias. Aspergillus ochraceus. Aspergillus niger. Aspergillus westerdijkiae. Aspergillus carbonarius.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Ochratoxin A (OTA) is a mycotoxin produced by fungi of the genus Aspergillus and Penicillium, usually found in cereals, grapes and coffee. OTA is nephrotoxic, neurotoxic, immunosuppressive and is considered a possible cause of human cancer. In Brazil, the main producers of OTA are Aspergillus ochraceus, Aspergillus westerdijkiae, Aspergillus carbonarius and Aspergillus niger, so the aim of this study was to evaluate the ability of microorganisms isolated from coffee beans in inhibiting the growth and OTA production from Aspergillus species. It was isolated bacteria and filamentous fungi from green coffee beans (Coffea arabica) from the Agronomic Institute of Paraná, inoculating beans in Petri dishes containing the specific culture media. It was tested the ability of bacteria, yeast and fungi isolated from green coffee beans to inhibit the growth of OTA producers A. ochraceus, A. westerdijkiae, A. carbonarius and A. niger. The bacteria and yeast were able to inhibit the fungi tested, the inhibition percentage ranged from 0% to 100%. Among the tested species, A. westerdjkiae was more susceptible, with inhibition mean percentages of 78,34% for yeast and 67,6% for bacteria. Yeasts isolated from green coffee beans it was identified from sequencing of the ribosomal DNA ITS region as Pichia anomala, Pichia burtonii, Pichia caribbica, Pichia guilliermondii, Aureobasidium pullulans and Cryptococcus heveanensis. Analysing the ability of reduction of OTA production by yeasts using the plug-agar method, it was found that the yeasts belonging to the genus Pichia could reduce OTA production up to 100% of the four Aspergillus species tested. Finally, it is concluded that microorganisms isolated from coffee beans have inhibitory potency against the species tested, and may be an alternative to control of species of Aspergillus and ochratoxin A in foods. Key-words: Ochratoxin A. Growth Inhibition. Coffee. Yeast. Bacteria. Aspergillus ochraceus. Aspergillus niger. Aspergillus westerdijkiae. Aspergillus carbonarius.pt_BR
dc.format.extent84 f. : il. algumas color., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectMicrobiologiapt_BR
dc.subjectParasitologiapt_BR
dc.subjectOcratoxinaspt_BR
dc.subjectCafépt_BR
dc.subjectLevedospt_BR
dc.subjectAspergilluspt_BR
dc.titleInibição de crescimento de fungos produtores de ocratoxina A em grãos de cafépt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record