Show simple item record

dc.contributor.authorPintarelli, Tatiana Pegorettipt_BR
dc.contributor.otherFerreira, Fernanda de Moraispt_BR
dc.contributor.otherFraiz, Fabian Calixtopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Odontologiapt_BR
dc.date.accessioned2011-05-11T12:57:50Z
dc.date.available2011-05-11T12:57:50Z
dc.date.issued2011-05-11
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25586
dc.description.abstractResumo: A cárie dentária é considerada a doença crônica mais comum na infância e adolescência. A etiologia da cárie é multifatorial e pode associar-se a fatores biológicos, comportamentais, socioeconômicos e de acesso aos serviços odontológicos. O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre estes fatores, isolados ou em conjunto, e a presença de dentes cariados não tratados em adolescentes de 12 anos de idade. Para tanto, foi realizado um estudo transversal de base populacional com uma amostra (n = 589) representativa dos escolares de 12 anos de Araucária-PR. Os adolescentes foram aleatoriamente selecionados, através de amostragem por conglomerado em dois estágios, em escolas públicas e privadas do município. Um único examinador previamente calibrado (Kappa > 0,81) examinou clinicamente os escolares seguindo os critérios padronizados pela Organização Mundial da Saúde e mediu a experiência de cárie dentária pelo índice de dentes permanentes cariados, perdidos ou obturados (CPO-D) e a higiene bucal pelo índice de higiene oral simplificado (IHO-S) associado a observação direta da placa visível. Os adolescentes realizaram testes de preferência paladar ao doce pelo método Sweet Preference Inventory modificado e tiveram seus níveis salivares de estreptococos do grupo mutans (EGM) e lactobacilos (LB) estimados com uso de kits microbiológicos. Um questionário de frequência de consumo de alimentos com sacarose foi preenchido pelos próprios adolescentes. Dados socioeconômicos e de acesso aos serviços odontológicos foram obtidos por questionários enviados às mães. A associação entre o componente cariado do índice CPO-D, dicotomizado em presente e ausente, e as covariáveis foi avaliada através de análises de regressão de Poisson univariada e múltipla, com variância robusta, utilizando-se o SPSS versão 15.0. O CPO-D médio foi de 2,39 (DP 2,30), com 26,7% dos adolescentes livres de cárie. A prevalência de dentes cariados não tratados foi de 46,1% entre os escolares. O modelo múltiplo demonstrou que escolares com higiene bucal insatisfatória, elevados níveis salivares de EGM e LB, consumo diário de mais de 3 alimentos com sacarose, renda familiar de até 2,4 salários mínimos e cujo motivo da última visita da mãe ao dentista esteve relacionado a algum problema ou dor apresentaram maior prevalência de dentes cariados não tratados. Em escolares de 12 anos do sul do Brasil, as variáveis que melhor explicaram a presença de dentes cariados não tratados foram presença de grandes quantidades de biofilme com grupos bacterianos acidogênicos e acidúricos específicos, dieta rica em sacarose, baixa renda e busca por atendimento odontológico apenas curativo.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleFatores socioecônomicos, comportamentais e biológicos relacionados à presença de dentes cariados não tratados aos 12 anos de idadept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record