Show simple item record

dc.contributor.authorSeraval, Tathiana Almeidapt_BR
dc.contributor.authorPierri Estades, Naínapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Campus Pontal do Paraná - Centro de Estudos do Mar. Curso de Graduação em Oceanografiapt_BR
dc.date.accessioned2022-07-22T11:08:22Z
dc.date.available2022-07-22T11:08:22Z
dc.date.issued2006pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/77207
dc.descriptionOrientadora: Naína Pierri Estadespt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Centro de Estudos do Mar, Curso de Graduação em Oceanografiapt_BR
dc.description.abstractA pesca artesanal vem passando por profundas modificações sócio-económicas e culturais, particularmente nas très últimas décadas do século XX, o que tem determinado novas relações de trabalho e novos papéis desempenhados pelos homens e mulheres envolvidos, direta e indiretamente, na atividade pesqueira. Este trabalho teve o objetivo identificar os efeitos das grandes transformações sentidas na pesca e nas condições de vida da Vila das Peças (Ilha das Peças, Guaraqueçaba, PR) em relação à atual situação sócio-econômica da comunidade, bem como no papel da mulher na reprodução econômica e social desta Vila, nas últimas três décadas do século XX, chegando até o presente. Para tanto, foram realizadas entrevistas semi estruturadas e abertas com pescadores e moradores antigos (13 entrevistas), descascadeiras de camarão (15 entrevistas), e coordenadoras das atuais cooperativas de mulheres da vila (3 entrevistas), além de diálogos informais. A pesquisa constatou que as principais transformações nas condições de vida da população se deram a partir dos anos 70 e 80, em função da capitalização da pesca de arrasto de camarão no mercado e da introdução do turismo. Em âmbito pesqueiro, as mudanças decorreram da transição da pesca praticada no rio e estuário para a plataforma costeira, com mudanças nos fins de produção - de subsistência para o atendimento ao mercado consumidor, nas técnicas utilizadas e no ritmo produtivo; neste momento, ocorreu o afastamento gradativo das mulheres da pesca, que antes participavam em unidade de produção familiar, no sentido de colaborar na provisão direta de alimento para a familia e também, de concentrar a renda no núcleo familiar. Hoje, verifica-se uma situação de tecnificação gradativa da pesca e de diferenciação social, agravada pelo perfil de apetrechamento desigual, onde as mulheres trabalham regularmente, no descasque de camarão, agora com produção alheia, em troca de remuneração individual. Além deste, atuam em eventuais serviços de limpeza e filetamento para comércios locais ou turistas. Em relação ao trabalho de beneficiamento da produção, a falta de estrutura fisica para a realização do trabalho e a crescente influência da demanda industrial pelos produtos in natura tendem a reduzir ou suprimir a demanda pelo trabalho feminino, ameaçando acabar com uma importante fonte de renda das mulheres da Vila em um futuro relativamente próximo. Hoje, a expressão econômica da mulher na comunidade está relacionada à pesca e ao turismo, e que apresentam a semelhança de tratar-se de trabalhos informais, marcadamente sazonais, e que mantém o caráter doméstico, por repercutirem em atividades de limpeza e de manuseio de alimentos, em geral. No entanto, em todos os espaços de trabalho das mulheres, sejam ocasionais ou mais permanentes (com exceção daqueles ligados ao serviço público) se verifica o forte peso da sazonalidade que implica em limitações da demanda, seja pelos consumidores turistas ou moradores da vila. Em contrapartida, algumas ocupações derivadas do turismo têm se caracterizado como empregos permanentes, ainda que informais, como o serviço de caseiras, por exemplo. No entanto, considerando que o cenário de ocupação de segundas residências tende a estagnar diante da regulamentação fundiária, este canal representa poucas chances de ampliar a oferta de empregos à população e às mulheres. Em relação á pesca, a falta de organização dos pescadores na busca por melhores condições para a produção e para a comercialização dificulta a superação da subordinação econômica daqueles de menor escala. Atualmente, o elemento favorável é que o atrelamento ao intermediador já não se relaciona à exclusividade deste na oferta de gêneros alimentícios e na concessão de crédito à maior prazo, pois as Cozinhas Comunitárias vêm cumprindo este papel. Além de atuarem como alternativa de sustentação alimentar em baixas econômicas, as Cooperativas de mulheres mostraram extrema importância como mecanismo de fortalecimento e visibilidade econômica e social para as mulheres da vila, e relevante aporte financeiro para suas famílias.pt_BR
dc.format.extent138f. : il., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPesca artesanal - Guaraqueçaba (PR) - Guaraqueçaba (PR)pt_BR
dc.subjectPesca - Aspectos ambientais - Aspectos ambientaispt_BR
dc.subjectComunidades pesqueiraspt_BR
dc.subjectOceanografiapt_BR
dc.titleA evolução da pesca artesanal e a participação da mulher na reprodução econômica e social de uma comunidade pesqueira : o caso de Vila das Peças (Ilha das Peças, Guaraqueçaba - PR - Brasil)pt_BR
dc.typeMonografia Graduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record