Show simple item record

dc.contributor.advisorMiranda, Fernanda Moura D'Almeida, 1979-pt_BR
dc.contributor.authorAguiar, Bianca Fontanapt_BR
dc.contributor.otherSarquis, Leila Maria Mansano, 1962-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2022-08-10T17:32:49Z
dc.date.available2022-08-10T17:32:49Z
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/75591
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Fernanda Moura D’ Almeida Mirandapt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Profa. Dra. Leila Maria Mansano Sarquispt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Defesa : Curitiba, 18/02/2022pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 97-120pt_BR
dc.description.abstractResumo: Objetivo: Analisar as medidas protetivas para a Covid-19 junto aos profissionais de saúde de um complexo hospitalar do município de Curitiba-PR. Materiais e Métodos: Trata-se de uma pesquisa descritiva e analítica, de natureza exploratória e abordagem quantitativa, desenvolvida em um complexo hospitalar universitário da capital paranaense. Nesta pesquisa, para definição da amostra, foi utilizada a técnica de amostragem não intencional e não probabilística, bola de neve e participaram 104 profissionais de saúde (enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e médicos), que atuam em unidades com atendimento direto ao paciente suspeito ou confirmado da Covid-19. A coleta de dados foi desenvolvida entre os meses de maio e agosto de 2021, por meio de entrevista on-line, em que se utilizou de um questionário estruturado, composto por questões fechadas sobre o perfil sócio-ocupacional, histórico ocupacional e medidas de enfrentamento para Covid-19. Os dados foram analisados de forma descritiva e pelos testes de qui quadrado, exato de Fisher, odds ratio com intervalo de confiança de 95%. Resultados: Dos 104 participantes, 57,7% (n=60) eram enfermeiros, 84,6% (n=88) do sexo feminino, 42,3% estavam na faixa etária entre 30 e 39 anos e 38,5% (n=40) tiveram a Covid-19. Com relação à exposição a riscos e agravos: a média de idade entre os profissionais de saúde positivos para Covid-19 foi de 36,2 anos; 62,5% dos participantes referiram estar parcialmente seguros no ambiente de trabalho e contraíram Covid-19; 36,7% dos profissionais de saúde que realizaram procedimentos geradores de aerossol testaram positivo para a doença. Na associação do perfil sócioocupacional com o acidente com material biológico, 5,8% dos profissionais tiveram algum tipo de acidente. Em relação às medidas protetivas para a Covid-19, 66,7% dos profissionais de saúde negativos para o agravo, relataram terem participado de capacitações no ambiente de trabalho (p=0,006 OR: 0,2 [0,06-0,69]). Sobre o fornecimento de equipamentos de proteção Individual, afirmaram a presença deles, 59,2% dos profissionais negativos para covid-19 (p=0,05). Na realização dos cinco momentos de higienização das mãos, 83,3% dos entrevistados que mencionaram realizar a ação na maioria das vezes ao invés de sempre, conforme recomendado, testaram positivo para Covid-19 (p<0,001 OR: 10,89 [2,24-53,03]). Na associação de adesão às medidas protetivas e acidente com material biológico, observou-se que o uso do protetor facial ou óculos de proteção, quando utilizado sempre, foi um fator de proteção para não ocorrer nenhum tipo de acidente (p<0,001). Já, para o uso de equipamentos de proteção individual durante procedimentos geradores de aerossóis, quando comparado com o uso sempre, conforme recomendado, aqueles que mencionaram usar, na maioria das vezes, apresentaram maior risco para acidente (p=0,015 OR:7,67 [1,16-50,63]). Conclusão: Concluiu-se que as medidas protetivas foram indispensáveis e que sua adesão possibilitou redução da exposição dos profissionais de saúde a riscos e agravos à saúde. Ressalta-se que a participação em capacitações, o uso e o fornecimento de equipamentos de proteção individual e a higienização das mãos foram medidas importantes no enfrentamento da pandemia, sendo assim, recomenda-se que essas medidas sejam amplamente utilizadas como barreira contra a exposição dos profissionais de saúde à contaminação pela Covid- 19.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Objective: To analyze the protective measures for Covid-19 with health professionals from a hospital complex in the city of Curitiba-PR. Materials and Methods: This is a descriptive and analytical research, with an exploratory nature and a quantitative approach, developed in a university hospital complex in the capital of Paraná. In this research, to define the sample, the unintentional and non-probabilistic sampling technique was used, snowball, and 104 health professionals participated (nurses, nursing technicians, physiotherapists and physicians), who work in units with direct patient care. suspected or confirmed Covid-19. Data collection was carried out between May and August 2021, through an online interview, in which a structured questionnaire was used, consisting of closed questions about the socio-occupational profile, occupational history and coping measures. for Covid-19. Data were analyzed descriptively and by chi-square, Fisher's exact and odds ratio tests with a 95% confidence interval. Results: Of the 104 participants, 57.7% (n=60) were nurses, 84.6% (n=88) were female, 42.3% were aged between 30 and 39 years and 38.5% ( n=40) had Covid-19. Regarding exposure to risks and injuries: the average age among health professionals positive for Covid-19 was 36.2 years; 62.5% of participants reported being partially safe in the work environment and having contracted Covid-19; 36.7% of healthcare professionals who performed aerosol-generating procedures tested positive for the disease. In the association of the socio-occupational profile with the accident with biological material, 5.8% of the professionals had some type of accident. Regarding protective measures for Covid-19, 66.7% of health professionals negative for the disease reported having participated in training in the work environment (p=0.006 OR: 0.2 [0.06-0.69 ]). Regarding the supply of Personal Protective Equipment, 59.2% of professionals were negative for Covid-19 (p=0.05). In performing the five hand hygiene moments, 83.3% of respondents who mentioned performing the action most of the time instead of always, as recommended, tested positive for Covid-19 (p<0.001 OR: 10.89 [2] .24-53.03]). In the association of adherence to protective measures and accidents with biological material, it was observed that the use of face shields or goggles, when used always, was a protective factor for no type of accident to occur (p<0.001). On the other hand, for the use of personal protective equipment during aerosol-generating procedures, when compared to always using it, as recommended, those who mentioned using it, most of the time, had a higher risk of accident (p=0.015 OR:7.67 [1.16-50.63]). Conclusion: It was concluded that the protective measures were indispensable and that their adherence made it possible to reduce the exposure of health professionals to risks and health problems. It is noteworthy that participation in training, the use and supply of personal protective equipment and hand hygiene were important measures in facing the pandemic, therefore, it is recommended that these measures be widely used as a barrier against the exposure of health professionals to contamination by Covid-19.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectProfissionais de saúdept_BR
dc.subjectCoronavíruspt_BR
dc.subjectRiscos ocupacionaispt_BR
dc.subjectPrática profissionalpt_BR
dc.subjectSaúde do trabalhadorpt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.titleMedidas protetivas para o enfrentamento da Covid 19 sob a ótica dos profissionais de saúde de um complexo hospitalar de Curitibapt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record