Show simple item record

dc.contributor.advisorMarone, Eduardopt_BR
dc.contributor.authorMelenis, Vitor Eduardo, 1964-pt_BR
dc.contributor.otherForcelini, Helenita Catharina Dalla-Lana, 1988-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Campus Pontal do Paraná - Centro de Estudos do Mar. Curso de Graduação em Oceanografiapt_BR
dc.date.accessioned2022-01-27T15:52:27Z
dc.date.available2022-01-27T15:52:27Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/68185
dc.descriptionOrientador : Eduardo Maronept_BR
dc.descriptionCoorientadora: Helenita Catharina Dalla-Lana Forcelinipt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Campus Pontal do Paraná, Centro de Estudos do Mar, Curso de Graduação em Oceanofrafiapt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Este trabalho apresenta a caracterização da dinâmica hídrica do sub estuário de Antonina durante um ciclo de maré de sizígia. Para tanto, foram medidos os campos de velocidade e termohalinos ao longo do tempo e do espaço a fim de classificar o sub estuário através do Diagrama de HANSEY e RATRAY. As campanhas de coleta de dados foram realizadas nos dias 02 e 03 de junho de 2015 no sub estuário de Antonina, durante um período de 13 horas para cada dia, intervalo correspondente a um ciclo completo de maré de sizígia (lua cheia). Para o monitoramento dos parâmetros hidrográficos e correntográficos na desembocadura do sub estuário de Antonina, utilizou-se um CTD, um ADCP e um marégrafo. Salinidades mais baixas ocorreram no estofo da vazante e as mais altas no estofo da enchente. Quanto mais distante do transecto localizado no estreitamento do canal, tanto a montante quanto a jusante, a coluna d’água tende a ficar homogênea, ou seja, quanto mais próximo do transecto, mais estratificada é a coluna d’água. Para o parâmetro temperatura, a coluna d’água se manteve mais homogênea, com variações horizontais maiores que verticais. Apesar de não ser observada a estratificação da temperatura na coluna d’água, ela aumentou ao longo da enchente e em direção à montante do estuário. O sub-estuário de Antonina foi classificado como parcialmente estratificado, ou seja, a estratificação de salinidade é moderada e a diferença entre as salinidades do fundo e da superfície é de poucas unidades.pt_BR
dc.format.extent28f. : Ils., mapas.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectEstuarios - Antonina (PR)pt_BR
dc.subjectSalinidadept_BR
dc.subjectOceano - Temperaturapt_BR
dc.subjectAgua do mar - Densidadept_BR
dc.subjectEstruturas maritimas - Hidrodinamicapt_BR
dc.titleCaracterização da hidrodinâmica e estratificação do sub-estuário de Antonina (Complexo Estuarino de Paranaguá – Brasil) durante um ciclo de maré de Sizígiapt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record