Show simple item record

dc.contributor.advisorRizzotto, Carla Cândida, 1984-pt_BR
dc.contributor.authorPetrucci, Gabriela, 1993-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Parana. Setor de Artes, Comunicação e Design. Programa de Pós-Graduação em Comunicaçãopt_BR
dc.date.accessioned2022-07-06T15:39:01Z
dc.date.available2022-07-06T15:39:01Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/63534
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Carla Candida Rizzottopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Artes, Comunicação e Design, Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Defesa : Curitiba, 30/04/2019pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 141-149pt_BR
dc.description.abstractResumo: Uma dificuldade enfrentada pelos movimentos feministas é a de levar discussões concernentes às relações entre gêneros à esfera pública. Segundo Fernandes (2016), isto acontece devido à existência de uma tradição patriarcal opressora que sustenta a dominação do homem e a subordinação da mulher. Diante disso, no que diz respeito às políticas públicas e à legislação, notam-se importantes mudanças no tratamento dado aos direitos da mulher desde as Ordenações Filipinas até a Lei do Feminicídio, sancionada em 2015. Contudo, as discussões sobre violência contra a mulher na mídia nem sempre parecem corresponder a essas transformações sociais. Com o objetivo de discutir os aspectos políticos da violência contra a mulher, a pesquisa analisa a cobertura feita pelo Portal UOL, entre 2010 e 2018, acerca do Caso Eliza Samúdio, em que a mulher de 25 anos foi assassinada pelo então goleiro do Flamengo Bruno Fernandes. Por meio da técnica do enquadramento multimodal, baseada em livro de códigos de elaboração própria, a análise se debruça sobre a narrativa, as imagens e os enquadramentos noticiosos das 741 matérias publicadas pelo UOL, distribuídas entre as editorias "Cotidiano" e "Esporte". O método desenvolvido por Wozniak et al. (2014) visa proporcionar uma apreensão mais completa a respeito do que é noticiado, uma vez que promove uma sistematização da análise de conteúdo sobre diferentes elementos que compõem a notícia. De orientação longitudinal, a pesquisa conclui que, ao longo dos anos, o jornalismo não apresentou mudanças significativas nos enquadramentos de casos de feminicídio, por ainda levantar questões que relativizam as causas das mortes de mulheres, subvertendo a lógica do crime e trazendo seus assassinos como vítimas, de forma que não se observa um comprometimento da mídia com a promoção de mudanças sociais em direção à proteção dos direitos humanos das mulheres. Palavras-chave: Enquadramento multimodal. Violência contra a mulher. Relações de gênero. Caso Eliza Samúdio.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: One difficulty faced by feminist movements is to discuss the gender relations in the public sphere. According to Fernandes (2016), this happens due to the existence of an oppressive patriarchal tradition that sustains the man's domination over woman. In this regard, in terms of public policies and legislation, there are important changes in the treatment of women's rights from the Philippine Ordinations to the Law of Feminicide, sanctioned in 2015. However, the discussions on violence against women on media does not always seem to correspond to these social transformations. With the objective of discussing the political aspects of violence against women, the research analyzes the coverage made by Portal UOL between 2010 and 2018, about the Case Eliza Samúdio, in which the 25-year-old woman was murdered by the Flamengo Bruno goalkeeper Fernandes in that time. Through the technique of multimodal framing, based on a self-elaborated codebook, the analysis focuses on the narrative, images and news frames of the 741 articles published by UOL, distributed between the "Cotidiano" and "Esporte" sections. The method developed by Wozniak et al. (2014) aims to provide a more complete apprehension about what is reported, since it promotes a systematization of content analysis on different elements that make up the news. Following a longitudinal orientation, the paper concludes that, throughout the years, journalism failed to present significative changes in feminicide cases framing, once it still features questions that relativize women deaths causes, subverting the crime logic and bringing the murderers as victims, so that it is not noticed a compromise from the media with the promotion of social changes towards the protection of human rights of women. Keywords: Multimodal framing. Violence against women. Gender relations. Case Eliza Samúdio.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectViolência contra a mulherpt_BR
dc.subjectRelações de gêneropt_BR
dc.subjectJornalismo - Enquadramento multimodalpt_BR
dc.subjectComunicaçãopt_BR
dc.title"Vou só com passagem de ida" : enquadramento e aspectos políticos da violência contra a mulher na cobertura do caso Eliza Samúdio no Portal UOLpt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record