Show simple item record

dc.contributor.advisorTetto, Alexandre França, 1974-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Parana. Setor de Ciencias Agrárias. Curso de Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.creatorRodrigues, Edson Henrique Picolopt_BR
dc.date.accessioned2023-03-22T15:46:47Z
dc.date.available2023-03-22T15:46:47Z
dc.date.issued2015.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/41846
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Alexandre França Tettopt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Curso de Engenharia Florestal.pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.description.abstractResumo: A reserva legal é vista como um desperdício de áreas agrícolas pelos produtores rurais, o que resultou no não cumprimento da manutenção destas áreas a não ser por força da lei. Com o novo código florestal e seu instrumento denominado Cadastro Ambiental Rural (CAR), torna-se difícil que o produtor não mantenha a área de reserva legal. Cabe destacar que o código florestal permite a utilização econômica da reserva legal através da elaboração de um plano de manejo sustentável, o qual deve ser aprovado pelo órgão responsável. O objetivo deste trabalho foi listar espécies florestais que podem ser utilizadas no estado do Paraná, assim como propostas de implementação de acordo com suas regiões bioclimáticas. A metodologia utilizada para realizar este trabalho foi baseada no novo código florestal e trabalhos desenvolvidos para a utilização econômica das florestas na Reserva Legal (RL). Antes de realizar um projeto de implementação da reserva legal, fez-se necessário entender as características do estado, para que o projeto tenha maior probabilidade de sucesso. Além das características do estado foi importante conhecer as características das florestas e das espécies a serem utilizadas no projeto de reserva legal. Após o levantamento das características das espécies listadas foram propostos modelos que podem gerar renda ao produtor rural, o qual pode optar por espécies exóticas ou nativas para a implementação. Os resultados mostraram que, para as sete regiões bioclimáticas existentes no Paraná, há 12 espécies para o uso econômico. Estas 12 espécies podem ser usadas em regiões bioclimáticas diferentes podendo haver inúmeras combinação para a implementação da RL. É possível a implantação das áreas de reserva legal, utilizando espécies tradicionais para o uso econômico destas áreas, sendo necessárias ações políticas e envolvimento de órgãos, sobretudo os de extensão rural.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectReservas florestais - Paranápt_BR
dc.subjectFlorestas - Paranápt_BR
dc.subjectReflorestamento - Paranápt_BR
dc.subjectParaná - Florestas - Manejopt_BR
dc.subjectÁrvores - Seleçãopt_BR
dc.subjectSistemas silviculturais - Paranápt_BR
dc.titleEspécies florestais para o uso econômico na reserva legal e propostas de modelos para implementaçãopt_BR
dc.typeTCC Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record