Show simple item record

dc.contributor.advisorMontenegro Gomez, Jorge Ramón
dc.contributor.authorSimões, Willian
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Geografia
dc.date.accessioned2016-02-03T16:08:42Z
dc.date.available2016-02-03T16:08:42Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40844
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Jorge R. Montenegro Gómez
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Geografia. Defesa: Curitiba, 07/08/2015
dc.descriptionInclui referências : fls. 290-305
dc.descriptionÁrea de concentração : Espaço, sociedade e ambiente
dc.description.abstractResumo: A presente tese é resultado de um estudo sobre a relação juventude e território, tendo jovens faxinalenses como sujeitos da pesquisa. Trabalhamos com 69 jovens oriundos de comunidades faxinalenses que estão desde 2005 se organizando em torno de um movimento social denominado Articulação Puxirão dos Povos de Faxinais (APF). Trilhamos um caminho teórico-metodológico ancorado nos pressupostos da pesquisa participante, tendo o trabalho de campo, a perspectiva dialógica e a noção de paradigma endógeno, alternativo e aberto como eixos estruturantes de nossa postura investigativa. Realizamos quatro oficinas pedagógicas que potencializaram nossos diálogos com jovens e nos permitiram apreender o que denominamos de "vocabulário territorial". Dialogamos com outros autores em torno deste vocabulário para que pudéssemos construir o que chamamos de "retratos do território de vida de jovens faxinalenses". Constatamos ao longo do percurso investigativo que são jovens que convivem com territorialidades específicas que marcam os territórios faxinalenses do estado do Paraná na atualidade, com territorialidades distintas (como resultado da inter-relação campocidade, família-comunidade-mundo, entre outros), com conflitos internos e com diferentes antagonistas externos, em meio à produção de sua invisibilidade e um permanente processo de precarização de seus territórios de vida. É a partir destes retratos que propomos, ao longo desta tese, a compreensão de que a juventude faxinalense precisa ser entendida como "categoria social" que produz suas territorialidades "em situação de fronteira", nos dedicando ao tema das políticas públicas de juventude (PPJ). Jovens faxinalenses reforçaram, ao longo das oficinas, que se sentem invisíveis diante do poder público. Manifestaram o entendimento de que a ausência ou o atendimento marginal/precário das/nas políticas potencializam a precarização de suas vidas no território. Assim, procuramos refletir sobre cenários e tendências atuais presentes no campo político das PPJ. Apresentamos um aporte teórico-conceitual para sustentar a compreensão de que o Estado, desde a arena política destacada neste estudo, é permeado por determinadas tradições que contribuem para a produção de invisibilidades das múltiplas territorialidades da juventude rural brasileira, potencializando a negação ou marginalização das territorialidades das juventudes nestas políticas que, por sua vez, tornam o Estado um agente de precarização da vida nos territórios. Por fim, dialogamos com pensadores latino-americanos para argumentar a respeito de que jovens faxinalenses, ao constituir suas territorialidades em situação de fronteira, fazem emergir o que denominaremos de "Bem Viver da juventude faxinalense". Um Bem Viver que, desde a perspectiva delineada, resulta das relações que os jovens estabelecem com seus territórios de vida (com a vida em comunidade, a interação com a biodiversidade, a convivência com o trabalho coletivo e solidário, a união e as relações familiares), somadas aos anseios e aos desejos de uma vida melhor (com educação, alternativas de geração de renda, acesso a cultura, aos meios de comunicação e lazer, entre outros). Defendemos que este Bem Viver da juventude faxinalense é composto por elementos que tornam o território faxinalense um território em que se pode constituir juventude e que sua construção ainda é um desafio. Palavras-chave: Territorialidades. Juventude Faxinalense. Produção de Invisibilidades. Territórios de Vida. Bem Viver.
dc.description.abstractAbstract: This thesis is the result of a study on the relationship between youth and territory, with the young faxinalenses as research subjects.We work with 69 young people from faxinalenses communities that are being organized around a social movement called Puxirão Articulation of Faxinais People (APF) since 2005. We pursue a theoretical and methodological approach anchored on the assumptions of participatory research, with fieldwork, dialogical perspective and the notion of endogenous paradigm, alternative and opened as structural axes of our investigative approach. We have performed four pedagogical workshops which have strengthened our dialogues with young people and enabled us to grasp what we name "territorial vocabulary." We dialogue with other authors around this vocabulary thus we could build what we call "pictures of territory of life of the young people faxinalenses." We have found throughout the investigative path that are young people who live with specific territorialities that mark the faxinalenses territories of Paraná state nowadays, with distinct territoriality (as a result of the interrelationship field-town, familycommunity- world, etc.), with internal conflicts and different external antagonists, through the production of its invisibility and an ongoing process of precariousness of their territories of life. It is from these pictures that we propose, along this thesis, understanding that faxinalense youth must be understood as "social class" that produces its territoriality "in border situation," dedicating ourselves to the subject of youth policies (PPJ ). Young faxinalenses reinforced, during the workshops, they feel invisible before public authorities. They expressed understanding that the absence or marginal/poor service of of policies maximizes the precariousness of their lives in the territory. Thus, we pursue to reflect on current trends and scenarios present in the political field of PPJ. We present a theoretical and conceptual contribution to support the understanding that the State provided the political arena highlighted in this study, it is permeated by certain traditions that contribute to the invisibility of the production of multiple territories of the Brazilian rural youth, increasing the denial or marginalization of territoriality youths in these policies which make the State an agent of precariousness of life in the territories. Finally, we dialogue with Latin American intellectuals to argue as to which faxinalenses young people, when institute their territoriality in border situation, bring out what we call "Living Well faxinalense youth". A Good Living that from the outlined perspective, is a result of relations that young people have with their life territories (with community life, interaction with biodiversity, the collective and solidarity work, the union and family relationships), added to the anxieties and desires for a better life (education, alternative income generation, access to culture, media and leisure, among others). We claim that this Good Living of faxinalense youth is composed of elements that make the faxinalense territory a place in which it can be youth and that its construction is still a challenge. Key-words: Territorialities. Faxinalense youth. Production of Invisibilities. Life territories. Living Well.
dc.format.extent306 f. : il. algumas color., grafs., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectGeografia
dc.titleTerritorialidades da juventude faxinalense : entre a produção de invisibilidades, a precarização dos territórios de vida e os desafios da construção de um bem viver
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record