Show simple item record

dc.contributor.authorGatto, Luana Antunes Maranhapt_BR
dc.contributor.otherAraújo, Joao Cândido, 1944-pt_BR
dc.contributor.otherMatias, Jorge Eduardo Foutopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgicapt_BR
dc.date.accessioned2015-05-25T13:52:13Z
dc.date.available2015-05-25T13:52:13Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/38020
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. João Cândido Araújopt_BR
dc.descriptionCo-orientador: Prof. Dr. Jorge Eduardo Fouto Matiaspt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica. Defesa: Curitiba, 24/04/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração : Clínica cirurgicapt_BR
dc.description.abstractResumo: A epilepsia afeta 1 a 2% da população, independentemente de raça ou sexo. A terapêutica farmacológica promove o controle total em 60 a 70% dos casos. Esclerose mesial temporal (EMT) é a principal causa de epilepsia refratária, com cirurgia a ser considerada, por ser eficaz em 70% até 90%, por meio de ressecção de tecido epileptogênico. Lobectomia temporal anterior (LTA) e amigdalohipocampectomia seletiva (AHS) são as cirurgias mais realizadas no mundo. A primeira, com ressecção adicional de porções variáveis de neocórtex; e a última, limitada a excisão das estruturas mesiais. Discussão sobre eventual superioridade de qualquer método ainda é controversa quanto ao controle de crises, resultados neuropsicológicos e complicações. O objetivo desta pesquisa é comparar os resultados em pacientes submetidos a ambos os procedimentos. Trata-se de uma análise retrospectiva de dois grupos homogêneos de pacientes com EMT, submetidos seja a LTA (33 pacientes) ou a AHS (34 pacientes), selecionados de forma alternada e com características clínicas e laboratoriais semelhantes. Perda de seguimento e dados incompletos foram fatores de exclusão. Em conclusão: controle de crises tanto em curto quanto em longo prazo foi igual em ambos os grupos. Nenhuma diferença no resultado neuropsicológico, tanto da memória verbal quanto da memória visual, foi demonstrada após a cirurgia por ambas as técnicas. Mais complicações graves foram observadas no grupo de LTA com significância estatística, embora complicações menores e todas as que repercutiram em algum déficit neurológico (transitório ou permanente) tenham sido semelhantes em ambos os grupos. DESCRITORES: 1. Neurocirurgia. 2. Epilepsia. 3. Epilepsia do lobo temporal. 4. Lobectomia temporal anterior. 5. Hipocampo. 6. Convulsões.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Epilepsy affects 1-2% of the population, regardless of race or gender. Pharmacological therapy promotes full control in 60-70% of cases. Mesial temporal sclerosis (MTS) is the main cause of refractory epilepsy with surgical therapy being considered effective in 70% to 90% of the cases, through resections of epileptogenic tissue. Anterior temporal lobectomy (ATL) and selective amygdalohippocampectomy (SAH) are the most frequently performed operations worldwide, the former involving additional resection of variable portions of neocortex and the latter being limited to excision of mesial structures. Discussion about eventual superiority of either method is still controversial as to control of seizures, neuropsychological results and complications. The purpose of the study is to compare results in patients submitted to either procedure. Retrospective analysis of two homogeneous groups of patients with MTS submitted to either ATL (33 patients) or SAH (34 patients), selected in an alternate fashion and with similar clinical characteristics. Loss of follow up and incomplete data were exclusion factors. Long term seizure control was equal in both groups. In conclusion: seizure control in both short and long term was equal in both groups. No difference in neuropsychological outcome in verbal and visual memories was demonstrated after surgery by both techniques. More serious complications were observed in the LTA group with statistical significance, although minor complications and all those with variable neurological deficits (temporary or permanent) were similar in both groups. Key-words: 1. Neurosurgery. 2. Epilepsy. 3. Temporal lobe epilepsy. 4. Anterior temporal lobectomy. 5. Hippocampus. 6. Seizures.pt_BR
dc.format.extent73f. : il. algumas color., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectCirurgiapt_BR
dc.subjectNeurocirurgiapt_BR
dc.subjectEpilepsiapt_BR
dc.subjectEpilepsia do lobo temporalpt_BR
dc.subjectHipocampopt_BR
dc.titleLobectomia temporal anterior versus amigdalohipocampectomia seletiva : comparação entre as duas técnicas cirúrgicas em pacientes com epilepsia por esclerose mesial temporalpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record