Show simple item record

dc.contributor.authorGonçalves, Camila Mennapt_BR
dc.contributor.otherVidal, Érica Alves Gonzálezpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Campus Pontal do Paraná - Centro de Estudos do Mar. Curso de Graduação em Oceanografiapt_BR
dc.date.accessioned2022-06-28T11:17:01Z
dc.date.available2022-06-28T11:17:01Z
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/76610
dc.descriptionOrientadora: Erica A. G. Vidalpt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Centro de Estudos do Mar, Curso de Oceanografiapt_BR
dc.description.abstractOs cefalópodes, ao contrário dos demais moluscos, possuem um sistema muscular que proporciona a força necessária para a locomoção de "propulsão a jato", a qual permite que os mesmos se desloquem velozmente. A maioria dos cefalópodes eclode como miniaturas dos adultos e passam seus primeiros estágios de vida em ambiente diferente dos que vivem os adultos, por estes motivos os são chamados de paralarvas. Mas, apesar de serem muito parecidas com os adultos, essas apresentam uma capacidade de natação limitada, além de se encontrarem dispersas na coluna d'água. Durante a ontogenia, o espaçamento entre os individuos e a capacidade de natação contra uma corrente parece ser alguns dos fatores mais importantes, na determinação de qualquer comportamento social. A existência de formas elaboradas de interações sociais relacionadas com a em paralarvas ainda não foi avaliada. Portanto, o objetivo deste trabalho é analisar a ontogenia do comportamento natatório em paralarvas de lulas Doryteuthis opalescens, principalmente no que se refere aos fatores determinantes da agregação entre os indivíduos para formação de cardumes ou "schooling", que significa grupo de individuos que se locomovem em uma determinada sincronia fisica (mesma velocidade e direção) e apresentam uma natação paralela. A análise do comportamento natatório foi realizada através da observação de videos de paralarvas Doryteuthis opalescens de 2,5 a 13 mm de comprimento do manto (CM) e idades entre 0 160 dias cultivadas em laboratório. Foram realizadas filmagens e posteriormente, análise destas quadro-a-quadro. Dentre os resultados encontrados, padrão mais evidente foi a atração visual entre as paralarvas. Desde os primeiros dias de vida pós-eclosão, as paralarvas realizaram as mesmas posições (observando e copiando posições) e nadavam nos mesmos desvios angulares em relação à outra que estivesse em seu campo de visão. Porém, ao longo da ontogenia começaram a se agrupar até conseguirem nadar contra a corrente em 'schoolings. Os resultados Indicam que isso se deve principalmente à habilidade de natação contra uma corrente e ao tamanho das paralarvas que formam o 'schooling'. Palavras-chave: paralarvas, Doryteuthis opalescens, comportamento natatório e social.pt_BR
dc.format.extent49 f. : il.color.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCephalopodapt_BR
dc.subjectLulaspt_BR
dc.subjectOceanografia biológicapt_BR
dc.titleOntogenia do comportamento natatório e social em paralarvas da lula, Doryteuthis opalescens (Cephalopoda: Loliginidae)pt_BR
dc.typeMonografia Graduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record