Show simple item record

dc.contributor.advisorAlbrecht, Leandro Paiola, 1981-pt_BR
dc.contributor.authorCantu, Renan Marcos, 1992-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor Palotina. Curso de Graduação em Agronomiapt_BR
dc.date.accessioned2022-05-01T12:57:32Z
dc.date.available2022-05-01T12:57:32Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/75421
dc.descriptionOrientador: Leandro Paiola Albrechtpt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Palotina, Curso de Graduação em Agronomia.pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo : A soja (Glycine max (L.) Merrill) oriunda e domesticada no continente asiático com seu ancestrais muito diferentes da soja que temos hoje, representa atualmente para o agronegócio brasileiro, mais da metade da área de produção de grãos do país. Sua produção cresceu muito nas últimas três décadas, devido à abertura de novos campos de produção, aumento da produtividade por área, proporcionado em grande parte pelo surgimento de tecnologias na área de ciência dos solos, para correção da acidez, adubações corretivas para macro e micronutrientes e inoculação para FBN, o que tem proporcionado grandes saltos na produção. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de doses e épocas de aplicação de potássio em cobertura no desempenho agronômico da cultura da soja na região de Palotina – PR. O experimento foi conduzido em uma área agrícola na Linha Água Branca, a cerca de 3 Km da cidade de Palotina – PR durante a safra 2014/2015. O solo predominante na área é o Latossolo Vermelho eutroférrico, o delineamento experimental usado foi de blocos casualizados em esquema fatorial de 5x5, sendo cinco doses aplicadas em cinco diferentes estádios fenológicos da cultura, com quatro repetições e totalizando cem parcelas. A fonte de potássio utilizada foi o KCl (60% de K2O), aplicado nas doses de 0, 30, 60, 90 e 120 Kg ha1 nos estádios V1, V4, V7, ½ no V1 + ½ no V4 e ½ no V4 + ½ no V7. As variáveis analisadas foram: Estande, Altura Final de Plantas, Número Total de Vagens, Teor Total de Clorofila, Massa de Mil Grãos e Produtividade. Após análise de variância dos dados e desdobramentos, foi aplicada à análise de regressão (P=0,05) para verificar o comportamento das doses e o teste de médias de Tukey para comparação dos estádios, utilizando o software Sisvar® . As variáveis Altura Final de Plantas e Número Total de Vagens, não apresentaram resultado significativo dentre os desdobramentos, o mesmo se repetiu para o Teor Total de Clorofila e Massa de Mil Grãos, porém para essas duas últimas variáveis houve resultado significativo dentro do fator principal, onde na primeira foi possível ajustar um modelo de regressão quadrática de comportamento das doses, na segunda variável não foi possível fazer o ajuste. Já para a variável Produtividade ocorreu resultado significativo para estádios de aplicação dentro do desdobramento da dose de 90 Kg ha-1 e para o desdobramento de doses dentro do estádio de aplicação V4, porém este com P=0,21, sendo possível então traçar um modelo de regressão quadrática para o comportamento das doses. As diferentes doses e épocas de aplicação de potássio na cultura da soja não resultaram em grande influência sobre as características morfológicas e produtivas da cultura. Porém, doses de até 60 Kg ha-1 de potássio trouxeram bons resultados neste trabalho, preferencialmente quando aplicado dos 10 aos 30 dias após a emergência da cultura, contribuindo ainda para reposição dos teores deste elemento extraídos do solo pela soja, evitando possíveis deficiências nas safras seguintes.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectNutriçãopt_BR
dc.subjectAgronomiapt_BR
dc.titlePotássio em diferentes doses e estádios de desenvolvimento na cultura da soja.pt_BR
dc.typeMonografia Graduação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record