Show simple item record

dc.contributor.advisorCampos, Wagner dept_BR
dc.contributor.authorSantos, Aline de Souza, 1991-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná.Setor de Ciências Biológicas. Curso de Especialização em Fisiologia do Exercíciopt_BR
dc.date.accessioned2020-03-26T20:42:43Z
dc.date.available2020-03-26T20:42:43Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/59231
dc.descriptionOrientador : Wagner de Campospt_BR
dc.descriptionMonografia (especialização) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Curso de Especialização em Fisiologia do Exercício.pt_BR
dc.description.abstractResumo : A incontinência urinária feminina é um importante problema de saúde pública e suas implicações impactam na qualidade de vida da mulher incontinente. Acometendo mulheres entre 25 a 49 anos, a incontinência urinária pode estar ligada às razões anatômicas, mudanças hormonais, partos e gestações que podem deslocar e/ou enfraquecer os músculos do períneo, além desses motivos, há fatores de risco associados como: a idade, obesidade, menopausa, cirurgias ginecológicas, constipação intestinal, doenças crônicas, fatores hereditários, uso de drogas, consumo de cafeína, tabagismo e exercícios físicos, que podem contribuir com seu aparecimento. Diante disso, o objetivo da pesquisa foi realizar um levantamento bibliográfico sobre a incontinência urinária e a prática da atividade física, apresentando uma correlação positiva ou negativa desta prática, na paciente com incontinência urinária. Para o desenvolvimento da revisão de literatura utilizou-se os mecanismos de busca nas bases de dados: Google Acadêmico, Scientific Electronic Library On Line - Scielo, ScienceDirect e Plataforma CAPES para a recuperação da literatura relevante utilizando as palavras-chave: Incontinência urinária; Programas de exercícios; Qualidade de vida; e Atividade física. Os critérios de inclusão foram: artigos com temática similar à da pesquisa; on line; gratuitos; em portugues, inglês e espanhol; e estudos comparativos; e entre o periodo de 1992 a 2018. Portanto, encontrou-se quarenta e oitos artigos no total, mas apenas dezoitos atenderam aos criterios de inclusão. Como conclusão, que a presença de incontinência urinária está correlacionada à inumeros fatores e um deles é a prática de atividades físicas. As pacientes que apresentam incontinência urinária e são praticantes de atividades fisicas, apresentam muitas vezes transtornos sociais, emocionais e físicos, além de, prejuizos com o rendimento físico durante a pratica do esporte e exercícios. Portanto, para o controle da incontinência urinária, o profissional de educação física deve estar atento e incluir nas suas atividades o fortalecimento da musculatura do períneo onde contribuirá com a melhora da qualidade de vida e para a redução da frequência das perdas urinárias em mulheres com incontinência urinária leve, moderada e alta.pt_BR
dc.format.extent29 f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectIncontinencia urináriapt_BR
dc.subjectAtividade físicapt_BR
dc.titleA incontinência urinária e a prática da atividade físicapt_BR
dc.typeMonografia Especialização Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record