Show simple item record

dc.contributor.authorMoraes, Dayana Cristinapt_BR
dc.contributor.otherLenardt, Maria Helenapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2018-02-20T17:05:15Z
dc.date.available2018-02-20T17:05:15Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/53421
dc.descriptionOrientadora: Profª Drª Maria Helena Lenardtpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Enfermagem. Defesa: Curitiba, 06/11/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f.81-95pt_BR
dc.description.abstractResumo: Trata-se de estudo quantitativo de corte transversal, realizado no Ambulatório de Geriatria e Gerontologia do município de São José dos Pinhais/PR (Brasil), com o objetivo de analisar a relação entre instabilidade postural e a condição e os marcadores de fragilidade física de idosos em assistência ambulatorial de geriatria e gerontologia. Participaram do estudo idosos com idade ?60 anos que compareceram às consultas agendadas e que foram selecionados por critérios pré-estabelecidos de inclusão e exclusão. A amostra foi constituída por 381 idosos, com base no cálculo da amostra representativa da população de idosos do município. A coleta de dados ocorreu entre setembro de 2016 a março de 2017. Avaliaram-se a condição de fragilidade física mediante o fenótipo de fragilidade e instabilidade postural pela Escala de Equilíbrio de Berg. Analisaram-se os dados por meio de estatística descritiva, distribuição de frequência absoluta e percentual, média e desvio padrão, valores mínimos e máximos. Realizaram-se análises univariadas por meio do teste de qui-quadrado, com nível de significância estatístico considerado de p<0,05, e multivariadas por regressão logística, pelo método Forward Stepwise, que resultou no modelo de fragilidade física associado à instabilidade postural. As chances de cada variável independente se relacionar à instabilidade postural foram analisadas pela Odss Ratio, com intervalo de confiança de 95%. O modelo foi avaliado pelo critério da Receiver Operating Characteristic Curve, valor preditivo, especificidade e sensibilidade, taxa de falsos positivos e negativos, sendo considerado elegível o modelo com menor valor do Critério de Informação de Akaike. O estudo integra um projeto de pesquisa temático intitulado Fragilidade física e as Síndromes Geriátricas em idosos, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos do Setor de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Paraná, sob parecer CEP/SD 1.755.394. Quanto a condição de fragilidade física, 56 idosos (14,7%) foram classificados como frágeis, 217 (57%) pré-frágeis e 108 (28,3%) não-frágeis. O marcador de fragilidade física mais expressivo foi diminuição do nível de atividade física (n=151; 39,6%), seguido pelo autorrelato de fadiga e exaustão (n=98; 25,7%), redução da velocidade da marcha (n=77; 20,2%), redução da força de preensão manual (n=76; 19,4%) e perda de peso não intencional (n=62; 16,3%). Constatou-se 62 (16,3%) idosos com instabilidade postural. Associaram-se à instabilidade postural a pré-fragilidade (p<0,001), fragilidade (p<0,000), e os marcadores força de preensão manual (p=0,0008), perda de peso não intencional (p=0,0094), nível de atividade física (p=0,0001), fadiga/exaustão (p<0,0001) e velocidade da marcha (p<0,0001). Os marcadores de fragilidade física que compuseram o modelo preditivo final associado à instabilidade postural foram: velocidade da marcha (OR=14,58; IC 95%:7,34-30,18), fadiga/exaustão (OR=5,45; IC 95%:2,72-11,27), nível de atividade física (OR=2,47; IC 95%:1,24-5,02) e perda de peso não intencional (OR=2,00; IC 95%:0,87-4,51). Houve associação significativa entre instabilidade postural e a condição e os marcadores de fragilidade física. A presença de instabilidade postural determina maior chance do idoso ser categorizado como frágil ou pré-frágil. Esse resultado favorece o planejamento dos cuidados gerontológicos e fortalece o plano de tratamento sob uma abordagem específica. Palavras-chave: Equilíbrio postural. Enfermagem geriátrica. Enfermagem. Idoso fragilizado. Tontura. Vertigem.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This is a cross-sectional quantitative study, carried out at the Geriatrics and Gerontology Ambulatory of São José dos Pinhais/PR (Brazil) county, with the objective of analyzing the relationship between postural instability and the condition and markers of physical fragility of elderly in geriatric and gerontology ambulatory care. Elderly patients aged ?60 years who attended the scheduled appointments and who were selected by pre-established inclusion and exclusion criteria participated in the study. The sample consisted of 381 elders, based on the calculation of the representative sample of the elderly population of the county. Data collection took place between September 2016 and March 2017. The condition of physical fragility was assessed through the fragility and postural instability phenotype by the Berg Balance Scale. The data was analyzed using descriptive statistics, absolute frequency distribution and percentage, average and standard deviation, minimum and maximum values. Univariate analyzes were performed using the chi-square test, with a statistical significance level of p<0,05, and multivariate by logistic regression using the Forward Stepwise method, which resulted in the model of physical fragility associated with postural instability. The odds of each independent variable relating to postural instability were analyzed by the Odss Ratio, with a 95% trust interval. The model was evaluated by the criterion of the Receiver Operating Characteristic Curve, predictive value, specificity and sensitivity, false positive and negative rates, being considered eligible the model with the lowest value of the Akaike Information Criterion. The study integrates a thematic research project entitled Physical Fragility and Geriatric Syndromes in the Elderly, approved by the Ethics Committee on Research in Human Beings of the Health Sciences Sector of the Federal University of Paraná, under the advice CEP/SD 1.755.394. As for the condition of physical frailty, 56 elderlies (14,7%) were classified as fragile, 217 (57%) pre-fragile and 108 (28,3%) non-fragile.The most expressive physical fragility marker was a decrease in physical activity level (n=151; 39,6%), followed by self-report of fatigue and exhaustion (n=98; 25,7%), reduction of walking speed (n=77; 20,2%), reduction of manual grip strength (n=76; 19,4%) and unintentional weight loss (n=62; 16,3%). It was found that 62 (16,3%) elderly had postural instability. Pre-fragility was associated with postural instability (p <0,001), fragility (p<0.000), and hand grip strength markers (p=0,0008), unintentional weight loss (p=0,0094), physical activity level (p=0.0001), fatigue/ exhaustion (p<0,0001) and walking speed (p<0,0001). The physical frailty markers that made the final predictive model associated with postural instability were: walking speed (OR=14,58; IC 95%:7,34-30,18), fatigue/exhaustion (OR=5,45; IC 95%:2,72-11,27), level of physical activity (OR=2,47; IC 95%:1,24-5,02) and unintentional weight loss (OR=2,00; IC 95%:0,87-4,51). There was a significant association between postural instability and the condition and markers of physical fragility. The presence of postural instability determines a greater chance of the elderly being categorized as fragile or pre-frail. This result favors the planning of gerontological care and strengthens the treatment plan under a specific approach. Keywords: Postural balance. Geriatric nursing. Nursing. Frail Elderly. Dizziness. Vertigo.pt_BR
dc.format.extent126 f. : il., gráfs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.subjectEnfermagem geriátricapt_BR
dc.subjectIdoso fragilizadopt_BR
dc.subjectEquilibrio posturalpt_BR
dc.subjectTonturapt_BR
dc.subjectVertigempt_BR
dc.titleInstabilidade postural e a condição de fragilidade física em idosospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record