Show simple item record

dc.contributor.authorSilva, Raí Kauê Istschuk Lourenço dapt_BR
dc.contributor.otherLingnau, Christelpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Parana. Setor de Ciencias Agrárias. Curso de Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2017-03-20T23:26:15Z
dc.date.available2017-03-20T23:26:15Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/44899
dc.descriptionOrientadora: Profª. Drª. Christel Lingnaupt_BR
dc.descriptionMonografia (graduação) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciências Agrárias, Curso de Engenharia Florestal.pt_BR
dc.description.abstractResumo: O Google Earth® é uma ferramenta de divulgação de imagens orbitais, que são disponibilizadas gratuitamente para fins de visualização e consultas. As imagens são de baixa a alta resolução espacial. O objetivo deste estudo foi avaliar o potencial das imagens de alta resolução espacial em relação a qualidade geométrica e posicional, para a classificação do uso nas Áreas de Preservação Permanente (APP). A área de estudo está localizada ao leste da Sub-bacia do Rio Miringuava em São José dos Pinhais - PR. O estudo foi realizado a partir de 42 áreas testes, distribuídas aleatoriamente e contemplando o relevo ondulado (0 a 20% de declividade média) e forte ondulado (>20% de declividade média). A fotointerpretação visual nas APPs foi realizada nas imagens do Google Earth® e ortofotos, classificando-as conforme o seu uso em regular ou irregular. A comparação entre as imagens tem a ortofoto como imagem referência. Para avaliar a qualidade do georreferenciamento da imagem do Google Earth®, foi selecionado um ponto de controle de fácil identificação em ambas as imagens, e em cada área teste, com o propósito de checar se ocorre alguma tendência no sentido e distância do deslocamento em E e N. De acordo com os testes estatísticos, as médias das áreas encontradas entre as imagens foi semelhante com 95% de probabilidade, sendo que a maior área não coincidente apresenta apenas 2,51% do total das APPs. Porém, a análise posicional apontou uma tendência no deslocamento da imagem Google Earth® mais acentuada no sentido oeste. Observou-se deslocamentos mais acentuados no sentido oeste e sul em áreas testes com declividade média acima de 16,5%. Conclui-se que a confiabilidade das imagens Google Earth® são limitadas, sobretudo, em áreas mais acidentadas, na escala 1:10.000.pt_BR
dc.format.extent44 f. : il. (algumas color.), grafs., mapas., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectOrtofotografiapt_BR
dc.subjectInterpretação fotograficapt_BR
dc.subjectÁreas protegidas - Paranápt_BR
dc.subjectReservas naturais - Paranápt_BR
dc.subjectMapeamento do solo - Paranápt_BR
dc.titleAvaliação das imagens do Google Earth® de alta resolução espacial em relação às ortofotos para o mapaeameanto de áreas de preservação permanente (APP)pt_BR
dc.typeMonografia Graduaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record