Show simple item record

dc.contributor.advisorFernandes, Jovanir Inês Müller
dc.contributor.authorEsser, Aline Fernanda Gonçalves
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor Palotina. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal
dc.date.accessioned2016-02-25T16:35:24Z
dc.date.available2016-02-25T16:35:24Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/41244
dc.descriptionOrientadora : Profª Drª Jovanir Inês Muller Fernandes
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor Palotina, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal. Defesa: Palotina, 20/08/2015
dc.descriptionInclui referências
dc.descriptionÁrea de concentração: Produção animal
dc.description.abstractResumo: Aves alimentadas com dietas vegetais dependem da síntese endógena de creatina, que requer a participação de aminoácidos, alguns deles considerados essenciais para diversas funções fisiológicas e metabólicas, como a arginina (Arg). O ácido guanidinoacético (GAA) é um aditivo alimentar, disponível comercialmente, mais eficaz em comparação com a creatina e Arg, porque é menos oneroso que qualquer um destes compostos. O objetivo do trabalho foi avaliar a inclusão do ácido guanidinoacético e arginina como precursor da creatina em dietas vegetais sobre o desempenho, qualidade e rendimento de carcaça de frangos de corte em ambiente termoneutro e submetidos ao estresse térmico. Foram utilizados 1260 pintos de corte distribuídos em um delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro tratamentos, nove repetições e 35 aves por unidade experimental. Os tratamentos foram constituídos por: T1 - dieta a base de milho e farelo de soja; T2- dieta controle a base de milho, farelo de soja e farinha de carne (3%); T3- dieta a base de milho e farelo de soja acrescida de ácido guanidinoacético (0,8%) e T4- dieta a base de milho e farelo de soja acrescida de L-Arginina (0,8%). Foram registrados o peso médio das aves e o consumo de ração, aos 7, 21 e 42 dias de idade. Aos 7 dias de idade, foram sacrificadas 18 aves por tratamento para o rendimento de peito e pernas. Aos 42 dias de idade, foi realizada a coleta de sangue de 12 aves por tratamento para a determinação das concentrações séricas de ácido úrico, uréia, creatina, lactato e glicose. As mesmas aves foram abatidas, para o cálculo de rendimento de carcaça em relação ao peso vivo e rendimento de cortes nobres. O músculo pectoralis major direito de cada ave foi utilizado para as análises de pH, de cor (luminosidade L*, índice de vermellho a* e índice de amarelo b*) e a perda de água por pressão. O músculo Pectoralis major do lado esquerdo para as análises de perdas por descongelamento e por cozimento. Aos 42 dias de idade, a temperatura ambiente do aviário foi elevada para 32ºC, por 48 horas. Aos 44 dias de idade, foram sacrificadas mais 12 aves por tratamento para a determinação das mesmas avaliações feitas em aves criadas em ambiente termoneutro. Os dados foram analisados pelo software SAS. As dietas com adição de farinha de carne ou vegetais acrescidas de GAA ou L-Arg resultaram em maior peso vivo e percentual de carne de peito aos 7 dias. Para o período total de 1 a 42 dias de idade, observou-se melhor conversão alimentar em aves suplementadas com dieta vegetal acrescida de farinha de carne. Para as demais características não foram observadas diferenças significativas. Aves submetidas ao estresse térmico recebendo dietas vegetais com Arg ou GAA não apresentaram variações na bioquímica sérica e na qualidade da carne. Entretanto, a suplementação de dietas vegetais com Arg ou GAA resultou em maior peso de carcaça e maior rendimento do peito e menor deposição de gordura abdominal em frangos submetidos ao estresse térmico. O uso de Arg e GAA em dietas exclusivamente vegetais como precursor da creatina, pode contribuir para melhores índices zootécnicos e propriedades funcionais da carne de frangos de corte submetidos ao estresse térmico. Palavras-Chave: aminoácidos, carne, estresse térmico, ganho de peso, glicina, ressíntese de ATP
dc.description.abstractAbstract: Birds fed diets vegetables depend on the endogenous synthesis of creatine, which requires the participation of amino acids, some of which are considered essential for many physiological and metabolic functions, such as arginine (Arg). The guanidinoacetic acid (GAA) is a food additive, commercially available more effective compared with creatine and Arg, because it is less costly than any of these compounds. The objective was to evaluate the inclusion of guanidinoacetic acid and arginine as a precursor of creatine in vegetable diets on performance, quality and carcass yield of broiler chickens in thermoneutral environment and subjected to heat stress at 42 and 43 days old. 1260 broiler chicks were distributed in a completely randomized design, with four treatments, nine replicates and 35 birds each. The treatments were: T1- diet based on corn and soybean meal; T2- diet from corn, soybean meal and meat meal (3%); T3 diet based on corn and soybean meal plus guanidinoacetic acid (0.8%) and T4 diet based on corn and soybean meal plus L-arginine (0.8%). It was reported the average weight of the birds and the feed intake at 7, 21 and 42 days of age. At 7 days of age, 18 birds were sacrificed by treatment for breast yield and legs. At 42 and 44 days, blood collection was held from 12 birds per treatment for the determination of serum uric acid, urea, creatine, lactate and glucose. The same birds were slaughtered for carcass yield calculation in relation to body weight and yield of noble cuts. The pectoralis major muscle right of each bird was used for pH, color (brightness L *, a * vermellho index and yellow index b *) and the pressure for water loss. The pectoralis major muscle of the left side for analysis of loss on thawing and cooking. Data were analyzed by SAS software. The diets with addition of meat or vegetables plus GAA or L-Arg resulted in higher live weight and percentage of breast meat at 7 days. For the whole period of 1 to 42 days of age, it was observed effect (p <0.0002) on feed conversion in birds diet supplemented with vegetable and meat compared with the other diets. In the remaining parameters were no significant differences between treatments. In birds under heat stress was no significant difference between T1 and T2 diets for cooking loss. In the remaining parameters were no significant differences between treatments. The use of Arg and vegetable diets GAA exclusively as a precursor of creatine, can contribute to improved performance indexes and functional properties of meat of broilers subjected to thermal stress, since the use of animal proteins is increasingly restricted in animal nutrition. Keywords: amino acids, meat, heat stress, weight gain, glycine, ATP resynthesis
dc.format.extent79 f. : il., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectCiencia Animal
dc.titleÁcido guanidinoacético e arginina em frangos de corte submetidos ao estresse por calor no período pré-abate
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record