Show simple item record

dc.contributor.advisorDelazari, Luciene Stamato
dc.contributor.authorPombo, Renan Martins
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas
dc.date.accessioned2015-11-26T18:18:10Z
dc.date.available2015-11-26T18:18:10Z
dc.date.issued2014
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40016
dc.descriptionOrientadora : Profa. Dra. Luciene Stamato Delazari
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas. Defesa: Curitiba, 21/08/2014
dc.descriptionInclui referências : f. 131-136
dc.description.abstractResumo: A demanda de procedimentos que automatizem a generalização cartográfica é cada vez mais presente nos dias atuais, com a necessidade de apresentação dos mapas em dispositivos como os smartphones, que têm pequenas áreas de representação. Portanto é preciso tornar esse tipo de procedimento cada vez menos subjetivo e aprimorar os algoritmos já existentes, ou ainda propor novas soluções. Um dos elementos relevantes para o entendimento de uma região é a toponímia, que na maioria das vezes não é generalizada diretamente, pois são informações associadas às feições geográficas, que geralmente são o alvo da generalização. Porém, há casos em que existe espaço para representar os topônimos, mas os SIG utilizam das opções de colocação de etiquetas, ou fazem a eliminação do topônimo, mesmo quando poderia ser utilizada a abreviação. Nesta pesquisa os topônimos foram considerados feições geográficas e também como agentes. Estes atuam em um sistema multiagentes no qual tentam resolver seus conflitos de representação e armazenam e replicam as soluções encontradas para os demais agentes semelhantes. As amostras de dados utilizadas foram as regiões centrais dos municípios de Araucária, Curitiba e Florianópolis, contemplando, respectivamente, áreas com vias retas de baixa e alta hierarquia e ruas curvas. A partir destas, foram criadas tabelas para arquivar os atributos geométricos e semânticos dos topônimos e foram geradas imagens de mapas sem a toponímia. Estes foram processados por um aplicativo desenvolvido na Linguagem C, que resulta em imagens com a representação da toponímia generalizada. Ao considerar-se as escalas do mapeamento cadastral, o método utilizado apresenta vantagens a partir da escala 1:5000, na qual passa a representar mais informação acerca dos nomes das ruas das cidades. Em estudos futuros, pretende-se implementar este programa em um SIG. Palavras-chaves: generalização cartográfica, toponímia, agentes.
dc.description.abstractAbstract: The need for processes to automated cartographic generalization are increasingly nowadays, mainly due to the need of map presentation in small devices, such as smartphones. Therefore it is necessary to make this procedure less and less subjective and improve the existing algorithms, or propose new solutions. One of the key elements for the understanding of a region is the place names. This, most of the times, is not directly generalized because it is information associated with the geographic features, which are usually the target of generalization. However, there are cases where there is space to represent the toponyms, but the GIS only make use of elimination or displacement, not exploiting other operator, such as abbreviation. This research considered the place names as geographical features as agents. These operate in a multi-agent system where they try to resolve their conflicts in the representation, storing and replicating the solutions for other similar agents. The samples used were the downtown regions of the municipalities of Araucaria, Curitiba and Florianópolis. From this, were created tables to store both the geometric and semantic attributes of place names and images of the maps without the place names. Those were then processed by a program developed in C language, which resulted in images with the representation of generalized toponymy. When considering the scales of cadastral mapping, the method developed has advantages from the scale 1:5000, which now represents more information about names of city streets, when comparing the same results obtained from a GIS software. In future studies, we intend to implement this program within a GIS. Keywords: cartographic generalization, toponymy, agents
dc.format.extent150 f. : il. algumas color.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectGeodésia
dc.titleGeneralização cartográfica automatizada de toponímia de sistemas viários utilizando agentes
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record