Show simple item record

dc.contributor.authorMelo, Lara Clímaco de
dc.contributor.otherSanquetta, Carlos Roberto, 1964-
dc.contributor.otherDalla Corte, Ana Paula
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal
dc.date.accessioned2015-10-21T17:54:41Z
dc.date.available2015-10-21T17:54:41Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/38854
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Carlos Roberto Sanquetta
dc.descriptionCo-orientadora : Profª. Drª. Ana Paula Dalla Corte
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. Defesa: Curitiba, 19/02/2015
dc.descriptionInclui referências (fls. 160-188)
dc.descriptionÁrea de concentração : Manejo florestal
dc.description.abstractResumo: Explorando a relação direta entre o clima e a floresta observa-se que a existência de diferentes condições climáticas em associação com outros fatores define a forma como a vegetação se distribui no planeta. Com o objetivo de conhecer o componente climático do Paraná e seus impactos na distribuição da Floresta Ombrófila Mista, esse trabalho buscou simular a distribuição espacial e temporal de espécies florestais como indicativo para medidas de manejo e conservação. A modelagem utilizada relacionou o clima do Estado com dados de ocorrência original de 10 espécies ocorrente nesta floresta, usando como ferramentas o software PGECLIMA_R e a geoestatística. Dividiu-se esse trabalho em dois eixos principais e dependentes: o primeiro visou mapear as variáveis temperatura máxima, média e mínima no Paraná no período de 1970 a 2010, e a partir desses dados simulou-se cenários futuros de aumento de temperatura (0,3°C; 2,4°C; 4,8°C; 6,0°C) para 2100, tendo como base as projeções propostas pelo IPCC. O segundo eixo enfocou a resposta das espécies estudadas caso os cenários preditos venham a ocorrer; dessa forma, quantificou-se e delimitou-se as áreas de potencial retração dessas espécies florestais. Os resultados demonstraram um aquecimento no Paraná desde 1970 a 2010, representado por uma elevação sucessiva nas temperaturas. As projeções dos 4 cenários climáticos para 2100 mostrou-se coerente com a literatura e permitiu a indicação dos métodos utilizados para a projeção do fenômeno em estudo. Quanto ao impacto desses cenários nas espécies avaliadas, todas entrariam em processo de retração geográfica em função de aumentos nas temperaturas do Paraná. A Ocotea porosa, Sebastiania commersoniana e Piptocarpha angustifolia podem ser extintos caso não haja uma reversibilidade da condição de elevação das temperaturas no Estado. As demais estariam criticamente em perigo de extinção, ou em perigo de extinção, a exceção do Handroanthus albus, que estaria vulnerável, demonstrando relativa resiliência aos aumentos de temperatura avaliados. Recomenda-se a formulação de políticas públicas de mitigação e adaptação dos ecossistemas florestais às mudanças climáticas previstas, bem como a ampliação de estudos que abranjam todas as tipologias florestais, subsidiando potenciais ações. Palavras-Chave: Aquecimento global. Retração geográfica. Mitigação. Manejo florestal.
dc.description.abstractAbstract: Exploring the direct relation between the climate and the forest, it is observed that the existence of different climatic conditions, in association with other factors, defines how the vegetation is distributed on the planet. With the objective to understand the climate component of Parana and their impacts on the distribution of Mixed Ombrophilous Forest, this work aimed to simulate the spatial and temporal distribution of forest species as indicative for management and conservation. The modeling used related the climate at the State with data of the original occurrence of 10 species representative of that forest, using as tools the software PGECLIMA_R and geostatistics. The work it was divides on two main and dependent axs: the first, aimed to map the variables temperature maximum, average and minimum in Parana from 1970 to 2010, and from these data simulate future scenarios of temperature rise (0.3°C; 2.4°C; 4.8°C; 6.0°C) for 2100, have base in projections proposed by IPCC. The second axs focused on the response of the species studied in case of the scenarios predicted occur; thus, it was quantified and delineated the areas of potential retraction of these forest species. The results demonstrated a warming in Parana from 1970 to 2010, represented by a gradual increase in temperatures of the State. The projections of the 4 climate scenarios for 2100 proved to be consistent with the literature and allowed the indication of the methods used for the projection of the phenomenon studied. In relation of the impact of these scenarios on the species evaluated, all of them would be in process of geographical retract in function of the rises in temperatures of Parana. The Ocotea porosa, Sebastiania commersoniana and Piptocarpha angustifolia may be extinct if there is no reversibility of condition of raising temperatures. The others species would be critically endangered or in danger of extinction, as exception of Handroanthus albus, which would be vulnerable, showing on resiliency to temperature increases assessed. It is recommended the formulation of public policies of mitigation and adaptation of forest ecosystems to climate change, as well as the extension of studies covering all forest typologies, subsidizing potential actions. Key-words: Global Warming. Geographical Retraction. Mitigation. Forest Management.
dc.format.extent188 f. : il., tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.titleSimulação da distribuição de espécies da floresta ombrófila mista em função de possíveis cenários climáticos
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record