Show simple item record

dc.contributor.authorCunico, Camilapt_BR
dc.contributor.otherOka-Fiori, Chisatopt_BR
dc.contributor.otherDanni-Oliveira, Ines Moresco, 1956-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Geografiapt_BR
dc.date.accessioned2014-04-01T12:36:39Z
dc.date.available2014-04-01T12:36:39Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/34914
dc.description.abstractResumo: O objetivo principal dessa tese, vinculada à linha de pesquisa Paisagem e Análise Ambiental, é identificar a vulnerabilidade socioambiental da cidade de Curitiba - PR e correlacioná-la com os eventos registrados de alagamentos, deslizamentos e erosões e com as condições sociodemográficas características do recorte geográfico mencionado. Em um primeiro momento, é elaborado um referencial teórico, no qual se discutem e correlacionam-se os conceitos norteadores da pesquisa: vulnerabilidade, risco, resiliência e adaptação. Posteriormente, elabora-se a caracterização físico-natural e socioeconômica do município de Curitiba por meio de dados oficiais recentes disponíveis, os quais auxiliam na definição da vulnerabilidade socioambiental do município. Os eventos de alagamento, deslizamento e erosão que ocorreram em Curitiba no período de 2005 a 2010 foram espacializados para possibilitar a correlação dos mesmos com os graus de vulnerabilidade socioambiental existentes no município. Adota-se como referencial teórico-metodológico Alves (2006 e 2007) e Alves; Torres (2006), cujos procedimentos permitem a identificação das áreas de risco ambiental, de risco social, de vulnerabilidade socioambiental e a sobreposição dessas às malhas digitais dos setores censitários do município em questão, possibilitando a caracterização da população submetida aos diferentes graus de vulnerabilidade estabelecidos: muito baixo, baixo, médio, alto e muito alto. A utilização dessa abordagem permite manter as especificidades dos componentes físico-naturais e socioeconômicos ao mesmo tempo em que promove a sua integração. Como ponto de partida, foi elaborada uma hierarquização dos graus de vulnerabilidade socioambiental de Curitiba, e, num segundo momento, utilizaram-se apenas cinco bairros (Batel, Mercês, Tatuquara e Umbará) para a redefinição dessa mesma hierarquização, com base nas variáveis coletadas de cada setor censitário e expressas no Censo Demográfico do IBGE de 2010. Os resultados mostram que quanto menor o grau de vulnerabilidade socioambiental, melhores são as condições socioeconômicas da população, menor a quantidade de registros de eventos críticos e menor a quantidade de área submetida a risco ambiental. Evidencia-se também que as áreas com características naturais de risco ambiental são ocupadas por grupos sociais com maiores níveis de pobreza, com privações sociais, com baixa capacidade de reação aos eventos críticos, configurando graus elevados de vulnerabilidade socioambiental. As áreas com essas características identificadas devem ser alvos de intervenção pública para minimizar as desigualdades existentes e proporcionar o acesso universalizado às políticas de urbanização, de saneamento básico e de meio ambiente.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleDo risco à adaptaçãopt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record