Show simple item record

dc.contributor.authorMuraro, Marielpt_BR
dc.contributor.otherArguello, Katie Silene Cacerespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Juridicas. Programa de Pós-Graduaçao em Direitopt_BR
dc.date.accessioned2013-06-06T22:11:49Z
dc.date.available2013-06-06T22:11:49Z
dc.date.issued2013-06-06
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/30132
dc.description.abstractResumo: Este trabalho procura aproximar os temas mídia de massa e segurança pública fazendo uma análise da campanha lançada pelo jornal Gazeta do Povo intitulada Paz sem voz é medo. Passeando por vários autores, mas adotando como marco teórico a criminologia crítica, analisam-se as reportagens e a forma de exposição dos temas crime, violência e segurança, entre outros subtemas, segundo o discurso midiático, constatando-se que ele reproduz certos estereótipos balizadores do sistema penal seletivo e repressivo. Na campanha se verifica o apelo à defesa da sociedade para que participem de uma cultura de paz denunciando os crimes em que foram vítimas e que foram presenciados acreditando que esta atitude poderá livrar o cidadão do sentimento de insegurança em face da conduta delituosa. No entanto, essa postura fomenta não uma cultura de paz, mas a elevação do sentimento de insegurança, o qual tem sido utilizado para legitimar ações repressivas que se intitulam guerra ao crime e ao tráfico de drogas, perseguição a pequenos desvios, autorizando a implantação de unidades de polícia pacificadora de forma hostil nos territórios do Rio de Janeiro e do Paraná, exercitando a violência institucional por meio dos aparelhos repressivos estatais, em especial o policial, que com tradição militarista, opera aplaudido pela população com o uso da força letal e violenta. Essa repressividade e violência do sistema penal é compreendida como a panaceia da segurança pública no Brasil, assim como se renova a crença na pena como solução para os conflitos sociais de natureza penal. Na tentativa de reduzir essa violência irracional do sistema, propõe-se um retorno ao discurso dos direitos humanos para serem colocados como objeto e como limitação do sistema penal.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCriminologiapt_BR
dc.subjectCrimept_BR
dc.titleCrime, violência e segurançapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record