Show simple item record

dc.contributor.advisorMaranhão, Mario Fernando de Camargopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Cardiologiapt_BR
dc.creatorGlitz, Tótilapt_BR
dc.date.accessioned2022-11-16T19:22:12Z
dc.date.available2022-11-16T19:22:12Z
dc.date.issued1989pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/59925
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Mário Fernando de Camargo Maranhãopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Cardiologiapt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 100-116pt_BR
dc.description.abstractResumo: Neste trabalho pretendeu-se estudar prospectivamente o prolapso da valva mitral em pacientes de ambos os sexos e idade ate 40 anos, princialmente em relação à presença e irnportância das disritmias cardíacas. Neste sentido, foram analisados 40 indivíduos com o diagnóstico desta síndrome, comprovado pelo ecocardiograma de modo M. A média etária era de 24, 35 anos, com extremos entre 7 e 40 anos, compreendendo 14 homens e 26 mulheres. Os pacientes foram analisados através de exame cl1nico, radiológico, eletrocardiográfico, ecocardiográfico de modo M, ergométrico e de eletrocardiografia dinâmica, sistema Holter de 24 horas. De acordo com a presença ou ausência de sintomatologia predominante os casos foram divididos em 3 grupos distintos: assintomáticos, portadores de palpitação e os pacientes com dor precordial. Grupo I - pacientes assintomáticos:. série constituída por 6 indivíduos (15% da amostra) sendo 2 do sexo feminino e 4 do masculino, media etária de 15,83 anos e extremos entre 13 e 20 anos. Grupo II – paciente portadores de palpitação: compreendia 21 casos ( 52, 5% da amostra), sendo 14 do sexo feminino e 7 do masculino, variando a idade entre 7 e 40 nos, média etária de 26, 52 anos. A queixa de palpitação relacionava-se a distúrbios do ritmo cardíaco documentados em eletrocardiografia dinâmica, em 85% dos componentes deste grupo. Grupo III - pacientes com dor no peito: somava 13 casos (32,5% da amostra ) sendo 10 do sexo feminino e 3 do masculino, idade variando entre 16 e 40 anos, com média etária de 27,08 anos, na maioria dos casos sendo a queixa do tipo "aperto" precordial. Ao exame físico, observou-se a presença de estalido meso-sistólico isolado em 29 casos, acompanhando-se de sopro tele-sistólico em 9 e em 2 destes, havia sopro holo-sístoleco. Constatavam-se também em alguns casos alterações da estrutura óssea do tórax confirmadas pelo estudo radiológico. No eletrocardiograma, merecem atenção especial o registro de 5 episódios de arritmias cardíacas, sendo 2 de extra-sístoles ventriculares frequentes, 1 de extra-sístole ventricular isolada e 2 de extra- sístoles atriais isoladas. Observou-se o intervalo QT corrigido para frequência cardíaca alargado em 7 ocasiões e alterações de ST-T em 5 casos. O teste de esforço contribuiu para provocar 10 episódios de disritmias cardíacas, assim discriminado: 2 de extra-sístoles ventriculares frequentes, 3 de extra-sístoles ventriculares isoladas e 5 de extra-sistoles atriais frequentes. Na análise ecocardiográfica, o movimento sistólico posterior do folheto mitral ocorreu na tele-sístole em 26 indivíduos e era holo-sistólico em 14 casos. Em relação ausculta cardíaca, o movimento tele-sistólico posterior relacionou-se com a ocorrência de 21 estalidos isolados, 4 estalidos associados a sopros meso-tele-sistólicos e de 1 sopro holo-sistólico. Quanto ao movimento holo-sistólico, coincidiu com 7 estalidos isolados, 6 estalidos associados a sopros e a 1 sopro holo-sistólico na área mitral. A eletrocardiografia dinâmica, sistema Holter de 24 horas, detectou disritmias cardíacas em 85% dos casos analisados (34 dos 40 casos), sendo mais frequentes os distúrbios da formação do estimulo cardíaco, na forma de extra-sistoles ventriculares. Algumas, enquadravam-se no tipo letal, dentro das classes 2, 3,4A e 4B, de Lown^90 al elém de distúrbios da condução do estímulo cardíaco, corno bloqueio atrio-ventricular de 2° grau tipo Mobitz I, Princialmente quando provocadas pelo esforço. Mostraram significância estatistia, na determinação destes distúrbios, a idade rnais avançada e as alterações do ST-T registradas no eletrocardiograma convencional . A eletrocardiografia dinâmica não contribuiu para o registro de alterações do segmento ST-T, havendo, também, pobre relação entre as manifestações clínicas registradas nos diários durante a gravação e as alterações presentes no eletrocardiograma de 24 horas. Na serie analisada, apenas 1 paciente preencheu os critérios de letalidade descritos na literatura (idade mais avançada, historia clinica de síncopes, sexo feminino, ausculta cardiaca de estalido meso-sistolico acompanhado de sopro tele-sistolico, altera<;;:oes do ST-T e extra-sistoles ventriculares registradas no eletrocardiograma convencional. A morte súbita e inesperada nestes pacientes é de natureza elétrica, pela alta excitabilidade rniocárdica. Nesse sentido, o método complementar mais eficiente para o registro destes distúrbios é a eletrocardiografia dinâmica, sistema Holter de 24 horas, que uma vez associado ao teste de esforço, registra número ainda maior de disritmias cardíacas, incluindo as potencialmente letais.pt_BR
dc.format.extent116 f. : il., tabs., grafs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleDisritmias cardíacas no prolapso valvar mitral : estudo clínico, radiológico, ergométrico, de eletrocardiografia dinâmica e ecocardiografia de Modo Mpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record