Show simple item record

dc.contributor.advisorSampaio, Armando Vaz, 1965-
dc.contributor.authorSchuntzemberger, Amanda Massaneira de Souza
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico
dc.date.accessioned2016-11-09T16:47:43Z
dc.date.available2016-11-09T16:47:43Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/43190
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Armando Vaz Sampaio
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Ecônomico. Defesa : 05/04/2016
dc.descriptionInclui referências : f.143-153
dc.description.abstractResumo: O acesso ao crédito é frequentemente considerado como um requisito fundamental para o crescimento econômico e para o aumento do padrão de vida nas zonas rurais menos desenvolvidas. Nesse sentido, o crédito é um meio do qual dispõem as famílias na obtenção do que necessitam para produzir, estando a sua função estratégica relacionada à sua capacidade de contribuir com a viabilidade, sustentabilidade e expansão das atividades econômicas. Todavia, a maioria das redes financeiras brasileiras, principalmente os bancos convencionais, ainda não prioriza as regiões periféricas, sobretudo no meio rural, perpetuando-se as limitações no acesso ao crédito. Nesse contexto, as cooperativas de crédito, na lógica de finanças de proximidade, podem ajudar a resolver algumas das imperfeições de mercado que existem no setor de crédito rural, uma vez que podem reduzir os custos de transação e a assimetria de informações entre os agentes. Com isto, a possibilidade de acesso ao crédito, via cooperativas de crédito, pelos produtores rurais antes marginalizados pelo sistema financeiro tradicional pode gerar um impacto positivo para o desenvolvimento das comunidades em que se inserem, contribuindo para melhorar a qualidade de vida da população. Desse modo, esse estudo buscou avaliar quais os fatores determinantes do acesso ao crédito rural via cooperativas de crédito e via bancos, bem como mensurar os impactos do acesso ao crédito rural, via essas fontes, nas produtividades parciais do trabalho e da terra e na eficiência técnica dos estabelecimentos agropecuários da amostra considerada. Assim, usando microdados do Censo Agropecuário 2006 do IBGE, incluindo características do estabelecimento agropecuário e do seu responsável, considerou-se que os estabelecimentos poderiam ter três diferentes status de acesso ao crédito: nenhum acesso (restrição de crédito), desconsiderando os estabelecimentos que não acessaram crédito porque não precisaram; acesso ao crédito via cooperativas de crédito ou acesso ao crédito via bancos. Ressalta-se que foram considerados apenas os estabelecimentos cuja propriedade é de um produtor individual, tendo-se excluídos todos os demais. Dentre as técnicas econométricas utilizadas, um modelo logit multinomial verifica os fatores determinantes do acesso ao crédito rural via cooperativas de crédito e via bancos, em relação aos estabelecimentos que não acessaram crédito, controlando por características tanto dos estabelecimentos como de seus responsáveis. Os resultados sugerem que, dada a magnitude dos coeficientes, os estabelecimentos que tinham acesso à assistência técnica e cujo responsável participava de cooperativas e/ou outras entidade de classe tinham mais chances de acessar crédito rural via cooperativas de crédito e via bancos do que sofrer restrição de crédito. Tais resultados são confirmados pela análise discriminante linear realizada. A aplicação do Propensity Score Matching possibilitou que os estabelecimentos agropecuários das amostras fossem pareados em grupos equiparáveis. De modo geral, em todas as regiões, observou-se que os estabelecimentos que acessaram crédito rural via cooperativas de crédito e via bancos apresentaram melhores desempenhos nas produtividades parciais do trabalho e da terra e na eficiência técnica, quando comparados àqueles estabelecimentos que não acessaram crédito de nenhuma fonte. Entretanto, quando se comparam os estabelecimentos que acessaram crédito rural via cooperativas de crédito com aqueles que acessaram via bancos, percebe-se que os efeitos são diversos. Enquanto em algumas regiões as diferenças nas produtividades do trabalho e da terra e na eficiência técnica não foram significativas, caso das regiões Norte e Nordeste, em outras essas diferenças foram positivas (Brasil, Sudeste e Centro-Oeste) e até mesmo negativas (Sul)
dc.description.abstractAbstract: Access to credit is often regarded as a fundamental requirement for economic growth and rising living standards in less developed rural areas. However, most Brazilian financial networks, especially conventional banks, not priority peripheral regions, especially in rural areas, perpetuating the limitations on access to credit. In this context, credit unions, in a logic of proximity finance, may help solve some of the market imperfections that exist in the rural credit sector, since they can reduce transaction costs and information asymmetry between agents. In this sense, the possibility of credit access through credit unions, by farmers previously marginalized by the traditional financial system, can generate a positive impact on the development of the communities in which they operate, helping to improve the quality of life of the population. Thus, this study aimed to assess what are the determinants of rural credit access through credit unions and banks, as well as measure the impacts of rural credit access, by these sources, in partial labor and land productivities and technical efficiency of farms from the sample considered. Using microdata of Agricultural Census 2006 from IBGE, including characteristics of the rural farm households and its head, it was considered that the rural farms could have three different credit access status: no access (credit restriction), excluding those that did not access credit because they did not need; credit access through credit unions or credit access through banks. It is emphasized that were considered only the establishments owned by an individual producer, having excluded all others. Among the econometric techniques, a multinomial logit model was estimated to verify what are the determinants of rural credit access through credit unions and banks in relation to the rural farms that had no access (credit restriction), controlling by characteristics of the establishments and its head. The results suggest that, given the magnitude of the coefficients, establishments which had access to technical assistance and whose responsible participated in cooperatives and/or other entity class were more likely to access rural credit through credit cooperatives and through banks than to have credit restrictions. The implementation of Propensity Score Matching enabled the rural farm households of the samples to be matched in comparable groups. Generally, in all regions, it was noted that the rural farm households which accessed rural credit through credit unions and through banks were better in the technical efficiency and partial labor and land productivities when compared to those which not accessed credit from any source. However, when comparing the rural farm households which accessed rural credit through credit unions with those which accessed through banks, it is clear that the effects are diverse. While in some regions the differences in labor and land productivities and technical efficiency were not significant (North and Northeast), in other these differences were positive (Brazil, Southeast and Midwest) and even negative (South).
dc.format.extent172 f. : il., Algumas color.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectCooperativas de crédito - Brasil
dc.subjectCrédito rural - Brasil
dc.subjectAgropecuaria - Aspectos econômicos
dc.subject.ddc334.2
dc.titleEvidências do impacto do cooperativismo de crédito na agropecuária brasileira
dc.typeTese


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record