Show simple item record

dc.contributor.authorAlmeida, Ian Coelho de Souzapt_BR
dc.contributor.otherCavalieri, Marco Antônio Ribaspt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômicopt_BR
dc.date.accessioned2015-06-24T20:42:47Z
dc.date.available2015-06-24T20:42:47Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/38070
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Marco Antônio Ribas Cavalieript_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Ecônomico. Defesa : 26/03/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: O estudo aqui apresentado visa compreender as possíveis formas como a ideologia anticomunista do golpe civil-militar brasileiro de 1964 pode ou não ter afetado o ensino de economia no país. Dado que a Doutrina de Segurança Nacional, que guiava as ações dos militares, intencionava abertamente o combate às ideias socialistas, nosso foco recai sobre a teoria marxista dentro das ciências econômicas. Para cumprir esse objetivo utilizamos a metodologia da História Oral e também uma análise dos currículos dos cursos de economia de algumas das principais instituições de ensino do país. Em um primeiro momento é feito um levantamento bibliográfico com relação ao comportamento do regime civil-militar frente à comunidade acadêmica, especialmente em algumas das universidades que analisamos mais profundamente a posteiori. Durante a análise das grades curriculares dos cursos de economia que vigoraram no período militar, não pudemos encontrar indícios de que o governo intervinha em suas estruturas, ou impunha qualquer constrangimento ao ensino de qualquer teoria econômica. Partindo para o método da história oral, entrevistamos oito relevantes professores de economia e/ou, mais especificamente, economia marxista, a saber: Antônio Delfim Netto, Antônio Plínio Pires de Moura, Claus Magno Germer, João Antônio de Paula, Luiz Carlos Bresser-Pereira, Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, Paul Israel Singer e Theotônio do Santos. Como resultado reiteramos a ausência de qualquer constrangimento direto ao ensino de economia marxista, ou mesmo outro tipo de interferência na estruturação dos cursos. No entanto, um importante ponto a ser ressaltado é a maneira como alguns economistas poderiam se sentir acuados frente ao ambiente violento que se construía àqueles considerados subversivos, no qual os marxistas claramente se encaixavam. Palavras-Chave: História do Pensamento Econômico; História Oral; Economia Marxista; Ditadura Civil-Militarpt_BR
dc.description.abstractAbstract: The study presented here intent to comprehend the possible manners how the anticommunist ideology of the Brazilian military (1964-1985) government may or may not have affected the economics teaching in Brazil. Due the National Security Doctrine, which was the military action basis, open intention to fight socialists ideas our work focuses on Marxist theory. In order to reach this objective we use Oral History methodology and analyze the curriculums of economic courses from some of the main teaching institutions in the country. In a first moment, we use secondary bibliography related to government's behavior towards academic community in the studied interim, focusing specially in the case of universities that would be latter more deeply discussed. During the analyses of the economic courses curriculums of the period here dealt we were not able to find indications that Brazilian government interfered directly in its structure or imposed any constraints to any economic theory teaching. Utilizing the oral history method, we interviewed eight professors relevant to the economics field, and/or, more specifically, to Marxist economics field, namely: Antônio Delfim Netto, Antônio Plínio Pires de Moura, Claus Magno Germer, João Antônio e Paula, Luiz Carlos Bresser-Pereira, Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, Paul Israel Singer and Theotônio do Santos. As a result, we reiterate the lack of a direct constraint to Marxist economics teaching or other interference on the courses structure. However, an important point raised is that some economists could feel hindered in approach some topics due the environment of violence that was been built for those considered subversives, a concept that Marxists would clearly fit. Key Words: History of Economic Thought; Oral History; Marxist Economics; Military Dictatorshippt_BR
dc.format.extent229f. : il., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectCrescimento e desenvolvimento economicopt_BR
dc.subjectEconomia marxistapt_BR
dc.subjectEconomia - Estudo e ensino (Superior)pt_BR
dc.subjectDitadura - Brasilpt_BR
dc.subjectBrasil - História - 1964-1985pt_BR
dc.subject.ddc330.1pt_BR
dc.titleDisseminação do pensamento marxista durante a ditadura civil-militar : uma abordagem de história oralpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record