Show simple item record

dc.contributor.authorRosa, Rodrigo Amighini, 1985-pt_BR
dc.contributor.otherMachado, Eunice da Costapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Centro de Estudos do Mar. Programa de Pos-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceanicospt_BR
dc.date.accessioned2011-02-10T11:45:02Z
dc.date.available2011-02-10T11:45:02Z
dc.date.issued2011-02-10
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/25107
dc.description.abstractResumo: As fontes alóctones de materiais para os ecossistemas costeiros têm as bacias fluviais como principais vias de acesso. A bacia hidrográfica litorânea do Paraná apresenta um elevado potencial erosivo, decorrente da alta instabilidade natural e pela ação antrópica em algumas regiões. O Complexo Estuarino de Paranaguá (CEP) apresenta dois eixos principais: L–O, que corresponde à Baía de Paranaguá e N–S, que contempla a Baía das Laranjeiras. Na primeira, foram investigados os rios Cachoeira, Cacatú, Faisqueira, Nhundiaquara, Guaraguaçú e Sagrado, e na segunda, os rios Guaraqueçaba, Serra Negra e Tagaçaba. As concentrações e os fluxos de nutrientes e material particulado foram quantificados ao longo de um ciclo anual nas bacias fluviais do CEP. A aplicação do índice de potencial de eutrofização costeira (IPEC) permitiu estimar os potenciais das bacias fluviais em eutrofizar o sistema estuarino e áreas costeiras adjacentes. O rio que apresentou maior vazão no CEP foi o Cachoeira, responsável também pelas maiores descargas de MPS (23 Ton/Dia no período chuvoso), nitrato (692 Kg/Dia no período seco), nitrogênio inorgânico dissolvido (NID) (759 Kg/Dia no período seco), fósforo inorgânico dissolvido (PID) (49,45 Kg/Dia no período chuvoso) e silicato (12217 Kg/Dia no período seco) para o sistema. Variações sazonais significativas foram observadas na maioria dos rios para os diferentes aportes. As diferenças espaciais entre a Baía de Paranaguá e a Baía das Laranjeiras foram significativas somente para a concentração e aporte de nitrito. O IPEC exibiu, na maior parte dos rios, valores negativos, indicando ausência de potencialidade de eutrofização costeira pelo aporte fluvial. Apenas o rio Guaraguaçú apresentou valor positivo de IPEC, demonstrando o pequeno potencial de eutrofização costeira causado pelo excesso de N total em relação à sílica dissolvida. As razões N/P obtidas a partir das concentrações molares observadas nos rios que compõem o CEP indicam, em sua maior parte, limitação potencial pela disponibilidade de P em relação ao N. Os rios Guaraguaçú e Tagaçaba apresentaram, no entanto, razões N/P abaixo de 16, configurando assim ambientes que podem sofrer limitação por N. As razões calculadas a partir dos valores molares de N e P, em relação a Si foram baixas, demonstrando elevada disponibilidade de Si, o que permite inferir que os rios investigados no CEP não apresentam concentrações elevadas de nutrientes (N e P) provenientes de fontes antrópicas. Com base nos resultados deste estudo, os principais fatores que controlam os fluxos e concentrações nas bacias de drenagem do CEP são: a geomorfologia, os regimes pluviométricos, e as atividades antrópicas. De acordo com a resolução CONAMA 357/05, os rios investigados apresentaram concentrações de nutrientes e clorofila-a abaixo dos limites críticos preconizados, e podem ser inseridos nos padrões de águas doces da classe 1, se levado em conta apenas os parâmetros investigados. Este trabalho forneceu as informações necessárias para a elaboração e do balanço de materiais no CEP, demandando, portanto, estudos adicionais que contribuam para uma melhor compreensão dos processos biogeoquímicos que atuam neste sistema.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleFluxos de nutrientes e material particulado na bacia de drenagem do complexo estuarino de Paranaguá - PRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record