Show simple item record

dc.contributor.advisorFonseca, Gustavo Fernandes Camargopt_BR
dc.contributor.authorSilva, Fernanda Felisbino Ferreira dapt_BR
dc.contributor.otherRosa, Liana, 1982-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Campus Pontal do Paraná - Centro de Estudos do Mar. Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicospt_BR
dc.date.accessioned2022-07-19T22:23:16Z
dc.date.available2022-07-19T22:23:16Z
dc.date.issued2021pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/76694
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Gustavo Fernandes Camargo Fonsecapt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Drª. Liana Rosapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Campus Pontal do Paraná, Centro de Estudos do Mar, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa : Curitiba, 16/06/2021pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 38-42pt_BR
dc.description.abstractResumo: Os epibiontes são comuns a todas as espécies de tartarugas marinhas existentes no mundo, sendo a presença destes organismos um potencial indicador da saúde dos seus hospedeiros. No caso das tartarugas-verdes (Chelonia mydas) juvenis por habitarem prioritariamente áreas costeiras, estão expostas a múltiplos impactos de origem humana e a consequente debilitação de sua condição de saúde. Assim, o presente estudo avaliou a eficiência do uso de epibiontes como uma ferramenta para entender a saúde de tartarugas-verde a partir da investigação quanto a relação entre a saúde de tartarugas-verdes, a carga de epibiontes encontrada nos animais, o escore corporal dos indivíduos, a presença de patologias e as evidências de interações humanas, como a presença de petrechos de pesca, fragmentos plásticos ou sinais de colisões com embarcações. A carga de epibiontes foi mensurada a partir da porcentagem de cobertura da carapaça da tartaruga por organismos sésseis incrustados. Foram analisadas 122 tartarugas-verdes juvenis, entre os anos de 2017 e 2018, encontradas encalhadas na costa do Estado do Paraná, Brasil. Os resultados indicaram que a grande maioria das tartarugas-verde da amostra tem cobertura de epibiontes menor do que 24% (n=110, desvio padrão = 23,09). A árvore de inferência condicional mostrou que as variáveis referentes às evidências de interação com a pesca, o índice de saúde e o escore corporal dos indivíduos são determinantes para explicar a cobertura de epibiontes. Animais com pior escore corporal apresentaram, em sua maioria, carga pesada de epibiontes na carapaça. Dos animais que possuíam evidências de interação com a pesca, o índice de saúde é o melhor indicador da carga de epibiontes. Indivíduos mais saudáveis, porém, com interações antrópicas, apresentaram menores taxas de epibiontes. Pudemos obter 30,3% de taxa de precisão preditiva no modelo de árvore de inferência condicional gerado. A análise ainda é restrita em número de indivíduos, no entanto destaca a relevância da relação entre a cobertura de epibiontes e a saúde das tartarugas marinhas e suporta um esforço nesta linha em futuras pesquisas, nossos resultados indicam que a quantidade de epibiontes presentes na carapaça de tartarugas-verde é um importante indicador para acessar o estado de saúde dos indivíduos e pode auxiliar na determinação de um prognóstico para os animais debilitado.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Epibionts are common to all species of sea turtles in the world, and the presence of these organisms is a potential indicator about the hosts' health. To the juvenile green turtles (Chelonia mydas), as they primarily inhabit coastal areas, they are exposed to multiple human impacts and the consequent weakening of their health condition. Thus, the present study evaluated the efficiency of the use of epibionts as a tool to understand the health of green turtles from the investigation of the relationship between the health of green turtles, the load of epibionts found in animals, the body score of the animals. individuals, the presence of pathologies and evidence of human interactions, such as the presence of fishing gear, plastic fragments or signs of collisions with vessels. The epibiont load was measured from the percentage epibiont coverage. About of 122 juvenile green turtles were analyzed between 2017 and 2018, found stranded in the coast of Paraná State, Brazil. The results indicated that the vast majority of the green turtles in the sample have epibiont coverage less than 24% (n=110, standard deviation = 23.09). The conditional inference tree showed that the variables related to evidence of interaction with fishing, the health index and the individuals' body score are determinant to explain the epibiont coverage. Animals with the worst body score showed, for the most part, a heavy load of epibionts on the carapace. Of the animals that had fishing interactions evidences, the health index was the best indicator of the epibiont load. Healthier individuals, but with anthropogenic interactions, had lower epibionts coverage. We were able to obtain a 30.3% predictive accuracy rate in the generated conditional inference tree model. The analysis is still restricted in number of individuals, however it highlights the relevance of the relationship between epibiont coverage and the health of sea turtles and supports an effort in this line in future research, our results indicate that the Green turtles epibionts coverage are an important indicator to assess the health status of individuals and can help determine a prognosis to unhealthy animals.pt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTartaruga marinhapt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.titleSeriam os epibiontes uma representação do status de saúde das tartarugas-verdes (Chelonia mydas)?pt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record