Show simple item record

dc.contributor.advisorAndrade, Anderson Joel Martino, 1977-pt_BR
dc.contributor.authorRibeiro, Daniele Cristine Krebspt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Farmacologiapt_BR
dc.date.accessioned2020-11-04T17:28:04Z
dc.date.available2020-11-04T17:28:04Z
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/68875
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Anderson Joel Martino Andradept_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia. Defesa : Curitiba, 29/04/2020pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Toxicologiapt_BR
dc.description.abstractResumo: Os analgésicos estão entre os medicamentos mais utilizados em todo o mundo e foram recentemente associados a efeitos antiandrogênicos. Devido à alta prevalência de uso de analgésicos durante a gestação, existe uma preocupação com os possíveis riscos associados à exposição pré-natal a esses medicamentos. Estudos demonstraram a associação do uso de analgésicos de uso comum, como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e ibuprofeno, com efeitos desreguladores endócrinos em animais e humanos (efeitos antiandrogênicos decorrentes da inibição da produção de testosterona pelo testículo fetal, por exemplo). O diclofenaco é um anti-inflamatório não esteroidal amplamente utilizado pela população e que é encontrado no ambiente. Embora contraindicado durante a gestação, sabe-se que muitas mulheres podem usar esse medicamento durante esse período. Assim, o objetivo desse estudo foi investigar os efeitos reprodutivos em ratos machos e fêmeas expostos in utero ao diclofenaco do dia gestacional 10 ao 20. Ratas prenhes foram tratadas com diclofenaco nas doses de 0,2, 1 e 5 mg/kg/dia por via oral. Os marcadores do desenvolvimento sexual avaliados na prole foram a distância anogenital (AGD) e número de mamilos em machos e fêmeas, separação prepucial (PPS) em machos e abertura do canal vaginal (VO) e primeiro estro (FE) em fêmeas. Foram avaliados o peso de órgãos reprodutivos de todos os descendentes e, na prole masculina, a produção espermática diária, quantificação plasmática de testosterona e histologia testicular. Não foram observados efeitos significativos na AGD e desenvolvimento de mamilos da prole feminina e masculina em qualquer dose de diclofenaco testada. As idades médias de VO, FE e PPS foram maiores em todos os grupos de tratamento, mas alcançaram significância estatística apenas na PPS nos machos expostos in utero a 0,2 mg/kg/dia de diclofenaco. Não foram observadas alterações nos pesos dos órgãos reprodutivos masculinos ou femininos nem nos demais parâmetros avaliados na prole masculina (contagem espermática, quantificação plasmática de testosterona e histologia dos testículos). No geral, os resultados indicam que a exposição intrauterina ao diclofenaco não induz alterações nos marcadores externos de desregulação endócrina ou fisiologia reprodutiva, mas pode ter um impacto nos marcos de desenvolvimento associados ao início da puberdade. Palavras-chave: Desreguladores endócrinos. Toxicidade Reprodutiva. Analgésicos. Diclofenacopt_BR
dc.description.abstractAbstract: Mild analgesics are among the most used drugs worldwide and have been recently associated with antiandrogenic effects. Due the high prevalence of analgesic use during pregnancy, there is a concern about the possible risks associated with prenatal exposure to these drugs. Studies have shown an association between the use of commonly used analgesics, such as paracetamol, acetylsalicylic acid and ibuprofen, with endocrine disrupting effects in animals and humans (antiandrogenic effects resulting from the inhibition of testosterone production by the fetal testis, for example). Diclofenac is a non-steroidal anti-inflammatory drug widely used by the population and is found in the environment. Although contraindicated during pregnancy, it is known that many women can use this drug during this period. Thus, the aim of the study was to investigate the reproductive effects in male and female rats exposed in utero to diclofenac from gestational day (GD) 10 to 20. Pregnant rats were treated with diclofenac at doses of 0.2, 1 and 5 mg/kg/day via gavage. The markers of sexual development evaluated in the offspring were the anogenital distance (AGD) and nipple development in males and females, preputial separation (PPS) in males and vaginal opening (VO) and first estrus (FE) in females. The weight of the reproductive organs of all offspring was evaluated and, in the male offspring, daily sperm production, plasma testosterone quantification and testicular histology. No significant effects were observed in AGD and nipple development of female and male offspring at any diclofenac dose tested. The mean ages of VO, FE and PPS were higher in all treated groups, but reached statistical significance only in PPS in males exposed in utero to 0.2 mg/kg/day of diclofenac. There were no changes in the weights of the male or female reproductive organs or in the other parameters evaluated in the male offspring (daily sperm production, plasma testosterone quantification and histology of the testis). Overall, the results indicate that intrauterine exposure to diclofenac does not induce changes in external markers of endocrine disruption or reproductive physiology, but may have an impact on the developmental markers associated with the onset of puberty. Key-words: Endocrine disruptors. Reproductive Toxicity. Analgesics. Diclofenac.pt_BR
dc.format.extent93 p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAnalgesicospt_BR
dc.subjectDiclofenacopt_BR
dc.subjectReproduçãopt_BR
dc.subjectSistema endocrinopt_BR
dc.subjectFarmacologiapt_BR
dc.titleInvestigação dos efeitos reprodutivos do diclofenaco em ratos expostos in uteropt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record