Show simple item record

dc.contributor.advisorMoura, Mauricio Osvaldo, 1969-pt_BR
dc.contributor.authorBruinje, Andre Carreira, 1988-pt_BR
dc.contributor.otherCosta, Gabriel Corrêapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservaçãopt_BR
dc.date.accessioned2022-06-27T16:38:50Z
dc.date.available2022-06-27T16:38:50Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/59819
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Mauricio Osvaldo Mourapt_BR
dc.descriptionCoorientador: Prof. Dr. Gabriel Corrêa Costapt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação. Defesa : Curitiba, 06/04/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Seleção sexual é um dos mais importantes promotores de diversidade morfológica e comportamental. Dentre esta diversidade biológica estão as estratégias reprodutivas alternativas de cada espécie, nas quais variantes de comportamento e de coloração são, muitas vezes, mantidas por reprodução diferencial. Neste contexto, é esperado que machos informem sua "qualidade individual" através de sinalização, fêmeas escolheriam então "melhores" parceiros, e tais machos tenderiam a vencer encontros de competição entre machos. A lagartixa-do-lajedo, Tropidurus semitaeniatus, é um lagarto saxícola de pequeno porte endêmico ao bioma da Caatinga na América do Sul que possui dois morfos de cores entre machos adultos. Nesta Tese, exploro os papéis dos morfos dos machos em seleção intra- e inter-sexual considerando comportamento, performance do organismo, e coloração. No Capítulo 1, exploro se os morfos de machos, e fêmeas, diferem em sua coloração ao longo do corpo todo e se eles são capazes de perceber estas diferenças de coloração. Resultados demonstram que não apenas fêmeas, machos pretos e machos amarelos caracterizam três classes distintas nos padrões de cor, mas também que as diferenças entre os grupos são perceptíveis pela visão de conspecíficos tanto em colorações dorsais quanto ventrais. No Capítulo 2, exploro o papel dos morfos em ensaios de competição intra-sexual entre morfos. Os resultados demonstram que os morfos de cor de machos de T. semitaeniatus tendem a apresentar comportamentos diferentes. Machos pretos tendem a ser mais agressivos enquanto machos amarelos dentem a se comportar de forma mais evasiva. A performance de velocidade máxima de corrida não teve relação com agressividade nem com a tendência de vencer os embates. No entanto, colorações ventrais mais escuras e amareladas sinalizam a habilidade de luta dos machos. No Capítulo 3, exploro o papel dos morfos em contextos inter-sexuais. Através de experimentos de escolha, testo se as fêmeas possuem preferencia pelos morfos enviesada, através de sinais visuais e/ou químicos. Fêmeas preferem machos do morfo pretos por sinais químicos, mas não por sinais visuais, e também não acessam a performance do macho por nenhum destes. Visualmente, no entanto, fêmeas preferem colorações ventrais mais escuras e esverdeadas (mas não um morfo específico). No Capítulo 4, apresento frequências relativas de morfos e sexos de lagartos coletados em três populações relativamente próximas. Curiosamente, frequências dos morfos apresentam alta variação entre todas as três populações. Machos amarelos representaram de um mínimo de 5% dos machos adultos em uma população para até 85% dos machos em uma segunda população. Em suma, meus resultados sugerem que os machos de cor da lagartixa-do-lajedo têm um papel no acesso à reprodução, e fazem uso de diferentes estratégias comportamentais. Além disso, que a comunicação ocorre através de múltiplas vias de sinalização. Finalmente, uma vasta gama de possibilidades para estudos futuros é aberta por estes resultados tais como redes de interação sociais dos morfos; a associação de estratégias alternativas de reprodução dos morfos ao longo de diferentes estações reprodutivas; a relação da sinalização química e da produção de colorações baseadas em pigmentos; e a variação da performance imunológica e de força de mordida entre os morfos. ???? Palavras-chave: Seleção sexual, competição entre machos, escolha de parceiro, Tropidurus semitaeniatus, comportamento, morfos de coloraçãopt_BR
dc.description.abstractAbstract: Sexual selection is one of the most important drivers of morphological and behavioral diversity. Among this biological diversity there are alternative reproductive tactics within species, of which behavioral and color variants are often maintained by differential reproduction. In these contexts, it is expected that males would inform individual quality through signaling, females would then choose "better quality" males, and such males would win male-male competition encounters. The striped lava lizard, Tropidurus semitaeniatus, is a small sized rock-dwelling lizard endemic to the Caatinga biome in South America that has two color morphs among adult males. In this Thesis, I access the role of male color morphs in intra- and inter-sexual selection taking into account behavior, whole-organism performance, and coloration. In chapter 1, I access whether male morphs, and females, differ in their whole body coloration and whether they are able to perceive such differences in coloration. My results show that, not only females, black males, and yellow males show distinct color patterns, but also that such differences among groups are perceivable by conspecifics' vision in both dorsal and ventral coloration. In chapter 2, I access the role of color morphs in staged intra-sexual competition trials between morphs. My results show that male color morphs of T. semitaeniatus tend to behave differently. Black males tend to behave more aggressively while yellow males tend to be more evasive. Sprint-speed performance has no relationship to aggressiveness or tendency to win encounters. However, darker and yellowish ventral colors signal fighting ability of males. In chapter 3, I explore the role of male color morphs in inter-sexual contexts. Through multi-modal choice experiments I access whether females have biased preference of color morphs through visual and/or chemical cues. Females prefer black morph males by chemical cues, but not by visual ones, and they do not access male's performance by any. Visually, however, females tend to prefer darker-greenish ventral colorations (but not a specific morph). Finally, in Chapter 4, I present morph and sex relative frequencies of lizards sampled in three relatively close populations. Curiously, color morph frequencies vary greatly among all three populations. Yellow males accounted for as low as 5% of adult males of one population, for up to 85% of adult males of a second population. All together, my results suggest that male color morphs of the striped lava lizard play a role in the assessment of reproduction and make use of different behavioral strategies. Also, that communication occurs through multiple modes of signaling. Lastly, a wide range of possibilities for future studies is opened by these results such as morphs' social network; association of alternative reproductive tactics of morphs throughout breeding seasons; the relationship of chemical signaling and the production of pigment-based colorations; and distinction of immunological and bite-force performances between color morphs. Keywords: Sexual selection, male-male competition, mate choice, Tropidurus semitaeniatus, behavior, color morphspt_BR
dc.format.extent1 recurso online : PDF.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languageMultilinguapt_BR
dc.languageTexto em português e inglêspt_BR
dc.languageporengpt_BR
dc.subjectSeleção sexual em animaispt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.subjectCompetição (Biologia)pt_BR
dc.subjectLagartopt_BR
dc.subjectAcasalamento de animaispt_BR
dc.titleSeleção intra e intersexual em um lagarto com polimorfismo de coloraçãopt_BR
dc.typeTese Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record