Show simple item record

dc.contributor.authorFreitas, Fernando José Ferneda, 1992-pt_BR
dc.contributor.otherManica, Lilian Tonellipt_BR
dc.contributor.otherCampião, Karla Magalhães, 1985-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Zoologiapt_BR
dc.date.accessioned2019-02-25T18:39:34Z
dc.date.available2019-02-25T18:39:34Z
dc.date.issued2018pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/58879
dc.descriptionOrientadora: Lilian Tonelli Manicapt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Karla Magalhães Campiãopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa : Curitiba, 28/09/2018pt_BR
dc.descriptionInclui referências: p. 29-37pt_BR
dc.description.abstractResumo: A expressão de características sexuais secundárias extravagantes prevê boa saúde em uma diversidade de animais. De acordo com a hipótese de Hamilton e Zuk, tais características estão relacionadas com a resistência a parasitos e, embora sejam custosas para produzir, funcionam como sinais atrativos no momento da escolha de um parceiro sexual. Nesse contexto, a coloração da plumagem das aves é um sinal importante que pode indicar a presença de parasitos e a condição de saúde do indivíduo. Nós testamos se a coloração da plumagem dorsal de oito espécies de aves da Mata Atlântica se relaciona com a probabilidade de parasitismo por coccídios. Capturamos um total de 143 indivíduos usando redes de neblina, os identificamos com anilhas e coletamos amostras de fezes e penas dorsais. Observamos as fezes ao microscópio óptico e encontramos 2.300 oocistos de coccídios presentes em 47 indivíduos de oito espécies de aves. Extraímos as variáveis de coloração das penas por meio do espectrofotômetro. Convertemos nosso conjunto de variáveis colorimétricas correlacionadas entre si em um conjunto de variáveis não correlacionadas usando uma análise de componentes principais e relacionamos esses componentes com a presença de parasitos por meio de modelos lineares generalizados. Os dois primeiros componentes (PC1 e PC2) foram suficientes para explicarem mais de 80% da variação dos dados, contudo, nosso modelo mostrou que a interação entre PC2 e espécie foi a única relacionada à probabilidade de infecção pelos parasitos. Isso indicou que a relação entre as variáveis de coloração representadas por PC2 e a probabilidade de infecção varia entre as espécies, sendo apenas significativa para Schiffornis virescens. PC2 se correlacionou com a variável brilho, então inferimos que indivíduos dessa espécie com maior brilho na plumagem dorsal tem menor probabilidade de estarem infectados por parasitos. É possível que o obtido para S. virescens reflita a ação dos coccídios em interromperem a absorção de nutrientes pelo hospedeiro, afetando a pigmentação das penas e consequentemente sua coloração. Esse resultado também está de acordo com o proposto por Hamilton e Zuk, então esperamos que machos com maior brilho na plumagem sejam preferíveis pelas fêmeas, em detrimento daqueles com menor brilho. Por fim, ressaltamos a importância de trabalhos como esse, que explorem características sexuais secundárias como sinalizadoras de boa saúde e resistência a parasitos, assim como encorajamos estudos vindouros a testarem se tais sinalizadores influenciam o sucesso reprodutivo de S. virescens infectados e não infectados. Palavras-chave: Coloração da plumagem. Parasitismo. Seleção sexual mediada por parasitos. Aves da Mata Atlântica.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The expression of extravagant secondary sexual traits is an honest indicator of good health in a diversity of animals. According to Hamilton and Zuk's hypothesis, such traits are related to parasites resistance and act as attractive signals for mate choice, despite high production costs. In this context, bird plumage coloration is an important sign that can indicate the presence of parasites and individual health condition. Here, we tested whether the dorsal plumage coloration of eight Atlantic Forest bird species is related to the likelihood of coccidia parasitism. We captured 143 individuals using mist nets, from which we also collected fecal samples and dorsal feathers. We observed feces under the optical microscope and found 2,300 coccidia oocysts in 47 individuals of eight bird species. We extracted color variables from the feathers using a spectrophotometer. We converted our set of correlated color variables into a set of uncorrelated variables using a principal components analysis and we related these components to parasites presence using generalized linear models. The first two components (PC1 and PC2) were sufficient to explain more than 80% of data variation, however, our model showed that the interaction between PC2 and species was the only one related to parasite infection probability. This result indicated that the relationship between the color variables represented by PC2 and parasite infection probability varies among species. Post hoc analyses indicated significant relationship only for Schiffornis virescens. PC2 correlated with the brightness variable, so individuals of S. virescens with higher brightness in the dorsal plumage are less likely to be infected by parasites. This result may reflect the effect of the coccidia in interrupting nutrients absorption by the host, affecting the feathers pigmentation and consequently their coloration. This result is also consistent with the proposed by Hamilton and Zuk, therefore we expect that males with greater plumage brightness are preferred by females over those with less plumage brightness. Finally, we emphasize the importance of such studies that explore secondary sexual traits as signs of health condition and resistance to parasites, and also we encourage future studies to test whether such signs influence the reproductive success of infected and uninfected S. virescens individuals. Key-words: Plumage coloration. Parasitism. Parasite-mediated sexual selection. Atlantic Forest Birds.pt_BR
dc.format.extent38 p. : il. (algumas color.).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectAvespt_BR
dc.subjectZoologiapt_BR
dc.subjectParasitismopt_BR
dc.subjectCoccidiopt_BR
dc.titleRelação entre aves e coccídios : a coloração da plumagem permite predizer a infecção pelos parasitos?pt_BR
dc.typeDissertação Digitalpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record