Show simple item record

dc.contributor.advisorBicalho, Maria da Graça, 1947-pt_BR
dc.contributor.authorMasson, Mariana Rosa Nunespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Genéticapt_BR
dc.date.accessioned2019-03-21T11:32:32Z
dc.date.available2019-03-21T11:32:32Z
dc.date.issued2017pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/54572
dc.descriptionOrientadora : Profª Drª Maria da Graça Bicalhopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Genética. Defesa: Curitiba, 27/06/2017pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 63-68pt_BR
dc.description.abstractResumo: Sob a ótica estritamente biológica, a escolha do parceiro para fins reprodutivos é um dos aspectos fundamentais da vida e evolução das espécies. Vários estudos têm sido publicados sugerindo o papel do componente genético na formação dos casais, onde a escolha do parceiro seria guiada por mecanismos biológicos que assegurassem uma descendência com maior valor adaptativo ao meio, o que também minimizaria os efeitos deletérios da endogamia. Os genes HLA são determinantes da individualidade da resposta imune no confronto com patógenos o que caracteriza sua relevância na determinação e influência do valor adaptativo das espécies. No presente estudo testamos uma metodologia para avaliarmos a influência dos genes HLA na atração facial como um dos critérios para a escolha do parceiro. A amostra totalizou 59 participantes, sendo 25 homens e 34 mulheres, entre 18 e 45 anos, genotipados para os loci HLA-A, HLA-B e HLA-DRB1. O principal instrumento de avaliação foi a análise de fotografia facial de todos os participantes com perfil HLA-A, HLA-B e HLA-DRB1 conhecido, e que aderiram aos pré-requisitos e critérios de inclusão para participar do estudo. Observamos associação estatisticamente significativa (p = 0,0277) entre o número de diferenças HLA de Classe I quando o avaliador era do sexo masculino e avaliado do sexo feminino, sugestivo de que quanto maior o número de diferenças HLA de Classe I maior a atratividade facial. Porém, nosso estudo não é conclusivo quanto a influência dos genes testados na atração facial, necessitando a continuidade do mesmo. Nosso estudo é o primeiro a comparar a atratividade facial considerando-se primeiro o fator genético (HLA) isoladamente, seguido da análise da influência do componente ambiental (características sociais e comportamentais). Palavras-chave: HLA; atração facial.pt_BR
dc.description.abstractAbstract:Strictly from a biological perspective, the choice of partner for reproductive purposes is one of the fundamental aspects of life and evolution of species. Several studies have been published suggesting the role of the genetic component in the formation of couples, where the choice of the partner would be guided by biological mechanisms that assure a descendant with greater adaptive value to the environment, which would also minimize the deleterious effects of inbreeding. HLA genes are determinants of the individuality of the immune response in the confrontation with pathogens, which characterizes their relevance in determining and influencing the adaptive value of the species. In the present study, we tested a methodology to evaluate the effect of HLA genes on facial attraction as one of the criteria for mate choice. The sample consisted of 59 participants, 25 males and 34 females, between 18 and 45 years old, with HLA-A, HLA-B and HLA-DRB1 profiles. The primary instrument of the evaluation was the facial photography analysis of all participants with known HLA-A, HLA-B and HLA-DRB1 profiles, who adhered to the prerequisites and inclusion criteria to participate in the study. We observed a statistically significant association (p =0,0277) between the number of HLA Class I differences when the evaluator was male and evaluated female, suggesting that the greater the number of HLA I differences the greater the facial attractiveness. However, our study is not conclusive as to the influence of the genes tested in the facial attraction, necessitating the continuity of the same. Our study is the first to compare facial attractiveness considering first the genetic factor (HLA) alone, following the analysis of the influence of the environmental component (social and behavioral characteristics). Keywords: HLA; facial attraction.pt_BR
dc.format.extent94 f. : il. algumas color., gráfs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectGenéticapt_BR
dc.subjectAntigenos de histocompatibilidade HLApt_BR
dc.subjectAtração interpessoalpt_BR
dc.titleInvestigação dos genes HLA-A, HLA-B e HLA-DRB1 na atração facialpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record