Show simple item record

dc.contributor.advisorOliveira, Márcio Sérgio Batista Silveira de, 1962-pt_BR
dc.contributor.authorStollmeier, Luara Antunespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologiapt_BR
dc.date.accessioned2020-05-07T13:31:03Z
dc.date.available2020-05-07T13:31:03Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/43746
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Márcio de Oliveirapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Defesa: Curitiba, 15/04/2016pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 144-154pt_BR
dc.description.abstractResumo: Esse trabalho propõe a análise de fragmentos da trajetória de Francisco Fasce Fontana e três de seus descendentes por uma perspectiva sociológica. Fasce era um imigrante genovês que se estabeleceu no Brasil em 1881, vindo de Nueva Palmira (Uruguai) numa segunda migração. Ele chega, portanto, no contexto da grande imigração (1870- 1920), mas não nas mesmas condições dos seus conterrâneos peninsulares. Após esse período trabalhando no comércio do rio da Prata, ele vem à Curitiba negociar uma dívida quitada com um engenho de erva mate. O mate é um produto regional cuja industrialização foi relativamente fechada aos imigrantes, por pertencer às famílias tradicionais paranaenses e demandar um conhecimento técnico específico. Entretanto, Fontana adquiriu capitais que possibilitaram tanto o seu desenvolvimento como ervateiro como a entrada nas redes de parentesco dessa burguesia específica. Para isso ele precisou se adaptar a um contexto que categorizava continuamente os estrangeiros conforme um projeto político nacional e, simultaneamente, uma busca identitária regional paranaense. A construção dessas imagens implicava em imposições múltiplas sobre a experiência dos imigrados: ser estrangeiro ou colono tinha diferentes conotações e posições atribuídas no espaço social curitibano e para alterar o posicionamento nesse espaço, numerosas estratégias se tornaram possíveis. Ser valorizado como produto de um projeto civilizatório implicava no distanciamento dos "tipos exóticos", como eram representados os grupos étnicos nos periódicos locais. Os espaços físicos são considerados nessa abordagem não como necessariamente equivalentes ao espaço social, mas como correlacionados aos processos sociais em curso. Na primeira geração, o estabelecimento da fábrica de beneficiamento, da casa e a execução de um projeto público - o Passeio Público-, integra as relações, assim como a captação e o câmbio de diferentes capitais, num termo bourdiesiano. A análise continua na geração seguinte, quando Francisco Fido Fontana reproduz algumas estratégias comerciais, familiares e políticas do pai, mas sem retorno ao passado da família ou à origem étnica de seus antepassados. Ildefonso Correia Fontana e Francisco Fernando são as duas últimas gerações, marcadas tanto pela continuidade do ofício ervateiro como pela pesquisa genealógica. Fernando leva essa busca a uma dimensão diferente, entretanto, se associando ao Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, um espaço fundado em 1900 para a criação e reforço de uma identidade paranaense que novamente reforçava as fronteiras entre os nacionais, os colonos imigrantes caricaturados e os negros invisibilizados. Palavras-Chave: Sociologia da Imigração. Gerações. Indústria ervateira. Curitiba.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This dissertation aims to analyze fragments of the life story of Francisco Fasce Fontana and three of his descendants from a sociological perspective. Fasce was a Genovese immigrant who settled in Brazil in 1881 after he left Nueva Palmira (Uruguay) in a second emigration. He arrives, therefore, in the context of the great immigration (1870- 1920), but not in the same conditions of his peninsular compatriots, for after two decades doing business on the river La Plata he comes to Curitiba to settle a debt in exchange for a yerba mate mill. Mate is a product whose industrial processing required specific technical knowledge and whose market was an oligopoly of traditional paranaense families, it was therefore virtually closed off to immigrants. However, Fontana acquired the capitals that allowed both his growth as ilexfactor and his accession in the kinship networks of this specific bourgeoisie. To this end, he had to adapt to an environment that constantly categorized immigrants according simultaneously to a national political project and a pursuit for a regional paranaense identity. This entailed many burdens on the immigrant's experience: to be a foreigner or a colonist had different connotations and attributed positions in the city's social space. Objectively, being appreciated as product of a racial whitening and civilizational project led to a distancing from "exotic types" - the way ethnic groups were portrayed in local periodicals. The physical spaces are considered in this approach not as necessarily equivalent to social spaces, but as related to the ongoing social processes. In the first generation, the establishment of the factory, the house and the implementation of a municipal project integrate the relationships as well as the acquisition and exchange of different capitals - to use a bourdieusian term. In the following generation, Francisco Fido Fontana emulates some of his father's commercial, familial and political strategies, but does not return to his family's past or ethnic origin. Ildefonso Correia Fontana and Francisco Fernando are the two last generations, noteworthy by both the continuity of the mate business and their work on genealogical research as they reestablish contact to relatives in Uruguay and reunite all possible versions of Fasce's history. Fernando takes this investigation a step further by joining the Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, an institute founded in 1900 for the conception and invigoration of a paranaense identity that would reinforce the boundaries between the nationals, the caricaturized immigrants and the scorned black. Keywords: Sociology of Immigration; Generations; Yerba Mate Industry; Curitiba.pt_BR
dc.format.extent154 f : il, algumas color.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectSociologiapt_BR
dc.subjectFontana, Francisco Fascept_BR
dc.subjectErva-mate - Indústriapt_BR
dc.subjectSociologia - Imigraçãopt_BR
dc.titleOs Fontana : aspectos da experiência imigrante (1880-2015)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record