Show simple item record

dc.contributor.advisorBornschein, Marcos Ricardo, 1968-
dc.contributor.authorFavretto, Mario Arthur
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação
dc.date.accessioned2016-09-19T12:39:58Z
dc.date.available2016-09-19T12:39:58Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/43145
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Marcos Ricardo Bornschein
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação. Defesa: Curitiba, 19/01/2016
dc.descriptionInclui referências : f. 139-157
dc.description.abstractResumo: Tachuris rubrigastra e Phleocryptes melanops são pequenas aves de brejos, de regiões subtropicais e temperadas, especialmente andino-patagônicas, com populações residentes e migratórias, com informações biológicas fragmentadas e movimentações pouco estudadas. No Brasil, estas espécies ocorrem em um bastante restritivo para a ocupação pelas aves que são os brejos salinos subtropicais, ecossistema recentemente reconhecido e alvo do presente estudo, caracterizado pelo dinamismo da sucessão da vegetação e variações das marés. Para estudar a distribuição e restrição destas aves em parte do litoral do Brasil, realizamos observações fortuitas e sistemáticas, efetuadas entre 1994 e 2015, do litoral sul de São Paulo ao litoral norte de Santa Catarina, Brasil. Registramos três populações residentes de T. rubrigastra (totalizando 117,21 ha) e duas de P. melanops (totalizando 58,42 ha) em brejos salinos no estuário do interior de baías no estado do Paraná. Também registramos indivíduos migrantes na faixa costeira da região de estudo e no interior de baías. As populações residentes de T. rubrigastra e P. melanops ocupam uma pequena área do total de brejos existentes na região (5,64% e 2,81%, respectivamente). Ainda assim, registramos perda de área de residência de T. rubrigastra por invasão de uma planta nativa Panicum mertensii e por invasão de uma planta exótica Urochloa arrecta. Corroboramos a proposição de que as áreas de residência são um ecossistema à parte, que sugerimos estar sofrendo tropicalização da flora e ainda retração por avanço de manguezais. Para estudar a seleção de habitat por T. rubrigastra e P. melanops, caracterizamos as fitofisionomias em áreas que elas ocorrem e as mesmas onde elas não ocorrem no interior da baía de Guaratuba, estado do Paraná, sul do Brasil. Avaliamos características fitossociológicas, percentual de solo exposto, disponibilidade de recurso alimentar e altitude nestas fitofisionomias, entre os anos de 2014 e 2015. Com o objetivo de entender as variações sazonais das populações destas espécies em suas áreas como residentes no interior da baía de Guaratuba, realizamos amostragens de censos de abundância, marcação/recaptura, sexagem para avaliar a possibilidade de migração diferencial por sexo e procura por indivíduos anilhados, entre os final de 2011 e começo 2015. Em relação à seleção de habitat, as espécies ocorrem em um total de quatro fitofisionomias muito simplificadas quanto à flora, caracterizadas pelo domínio de uma ou duas plantas, entre Schoenoplectus californicus, Crinum americanum, Cladium jamaicense e Typha domingensis. A cobertura da vegetação (= densidade) é a principal variável para as áreas usadas pelas aves. As aves usaram fitofisionomias com as plantas de estrutura aérea verticalizada em densidades intermediárias e a de estrutura aérea em forma de roseta (C. americanum) em densidade alta. A vegetação usada apresenta três estratos: um inferior, com densidade baixa à moderada, um médio, com densidade moderada à alta, e um superior, com densidade baixa. Densidade "intermediária" no estrato médio provavelmente protege contra predadores e ocultar ninhos, enquanto que menores densidades nos estratos inferior e superior permitiriam o forrageamento. As fitofisionomias selecionadas e não selecionadas pelas aves são os estágios iniciais no processo de formação e sucessão natural dos brejos da região. Os estágios iniciais ocupados pelas aves ocorrem em locais muito restritos, dependentes de deposição natural de sedimentos, assim destacando a vulnerabilidade das populações locais. Especialmente em função dos impactos da mudança climática que podem afetar a deposição de sedimentos. Em relação à sazonalidade, verificamos que ambas as espécies têm maiores abundâncias em dois picos e que os indivíduos anilhados tiveram sazonalidade, e a composição de indivíduos varia conforme os picos de abundância das espécies. Ambas as espécies são sazonais na área amostral, havendo migração parcial em dois turnos, um em período quente do ano e outro em período frio. Propomos que a variação na composição dos indivíduos durante os picos de abundância seja uma adaptação à alta restrição de habitat destas espécies na área de estudo, como forma de reduzir a competição por recursos alimentares e locais de nidificação. A redução em área dos brejos salinos subtropicais poderia ser condizente como um efeito gerador do padrão migratório em dois grupos, o qual seria um resultado para manter um contingente populacional em área de vida rapidamente reduzida.
dc.description.abstractAbstract: Tachuris rubrigastra and Phleocryptes melanops are small marsh birds that inhabit subtropical and temperate regions, especially andean-patagonian ecosystems, with resident and migratory populations, and for which there exists little information about their life history and few studies on their movements. In Brazil, these species occur in a very restricted habitat, which is subtropical salt marsh, a recently recognized ecosystem and aim of this research, characterized by the dynamic succession and tidal variations. To study the distribution and restriction of these bird species on the Brazilian coast, we conducted incidental and systematic observations between 1994 and 2015, between the southern coast of São Paulo state to the north coast of Santa Catarina state, Brazil. We recorded three resident populations of T. rubrigastra (across 117.21 ha) and two of P. melanops (across 58.42 ha) in salt marshes inside of bays in the Paraná State. We also recorded migratory individuals in the coastal strip of sampling region and inside the bays. The resident populations of T. rubrigastra and P. melanops represent a small area of marshes within the region (5.64% and 2.81% respectively). We recorded loss of habitat used by T. rubrigastra due to invasion of a native plant and by an exotic plant. We corroborate the idea that the areas of residence of these species are a distinct ecosystem and we suggest that it is suffering a tropicalization of its flora and a retraction due to the advance of mangroves. To study habitat selection by T. rubrigastra and P. melanops, we characterized the phytophysiognomies where the birds occur and where the birds do not occur in Guaratuba bay, state of Paraná, southern Brazil. We evaluated phytosociological features, percentage of exposed soil, food resources, and their availability and altitude in these phytophysiognomies between late 2011 and early 2015. With the aim of understanding seasonal variation of the populations of these species in their areas of residence in the inner Guaratuba bay, we censused, ringed, sexed and searched for marked individuals, between 2011 and 2015. In terms of habitat selection, the species occur in four very simple habitats in terms of vegetation types, characterized by the dominance of one or two plants, including Schoenoplectus californicus, Crinum americanum, Cladium jamaicense and Typha domingensis. The vegetation cover (= density) is the key variable related to areas selected by the species. The birds selected phytophysiognomies with vertical aerial structure of plants in intermediate densities and a rosette-shape aerial structure (C. americanum) in high densities. Selected habitat was characterized by three strata: a lower stratum with low to moderate density, a medium stratum with moderate to high density, and a higher stratum with low density. The intermediate density in the medium stratum appears to protect against predators and for hiding nests, while lower densities in the lower and higher strata allow foraging. The habitat types selected and not selected by the birds are the early stages in the formation and natural succession of the marshes in the region. This may explain the apparent lack of importance of certain variables (e.g. food resources), because the vegetation types used and not used by the birds are all in their early stages, and may be typified by resource levels not selected by the birds. The early stages used by the birds occur in very restricted areas, dependent on natural sediment deposition, thus highlighting the vulnerability of local populations, especially due to the impacts of climate change. In relation to seasonality, we found that both species have the highest abundances in two periods and that ringed individuals were present only seasonally, with a composition that varies with species abundance. Both species are seasonal in the sampling area, with partial migration in two periods, one during the warmer season and another in the colder season. We propose that the replacement of individuals is an adaptation to the high habitat reduction of these species in the study area, in order to reduce competition for food resources and nesting sites. The presumed reduction of subtropical salt marshes in the area could drive the pattern of two periods of migration, which would be an adaptation to maintain the population in a rapidly diminishing area.
dc.format.extent157 f. : il., grafs, tabs.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectAve - Reprodução
dc.titleRestrição a locais de reprodução e sazonalidade de Tachuris Rubrigastra (Aves: Tachurisidae) e Phleocryptes Melanops (Aves: Furnariidae) no Litoral Sul do Brasil
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record