Show simple item record

dc.contributor.advisorDalsenter, Paulo Roberto, 1963-
dc.contributor.authorSouza, Mônica Flores Gonçalves de
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Farmacologia
dc.date.accessioned2016-01-14T10:44:33Z
dc.date.available2016-01-14T10:44:33Z
dc.date.issued2015
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/40945
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Paulo Roberto Dalsenter
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia. Defesa: Curitiba, 19/06/2015
dc.descriptionInclui referências : f. 40-48
dc.description.abstractResumo: O transtorno Depressivo Maior é um grave problema de saúde pública e estudos retrospectivos têm demonstrado que há maior incidência desta doença em mulheres do que em homens. Além disso, a gestação e o pós-parto são considerados períodos de maior suscetibildade para o acometimento ou recorrência da depressão.Dentre os medicamentos utilizados, os inibidores seletivosda recaptação da serotonina são a classe mais prescrita para as gestantes, enquanto os inibidores não seletivos e os antagonistas de receptores ?2-adrenérgicos constituem classes as quais o uso vem aumentando bastante nos últimos anos. Existem evidências de que a Fluoxetina poderia apresentar efeitos estrogênicosin vivo podendo, desta maneira, interferir nos processos reprodutivos. Na tentativa de identificar outras drogas antidepressivas com potencial efeito estrogênico, este trabalho teve por objetivo realizar uma triagem de três drogas pertencentes às classes descritas acima: a paroxetina (ISRS) nas doses de 0,5, 2,0e 20 mg/kg,a venlafaxina (INSRS) nas doses de 2,1, 8,4 e 84 mg/kg e a mirtazapina ( antagonista ?2 ) nas doses de 0,4, 1,7 e 17 mg/kg respectivamente. Para tanto foi realizado o teste uterotrófico utilizando ratas imaturas tratadas via gavage durante três dias, além de análise histológica e morfométrica do tecido uterino. A paroxetina isolada não mostrou efeito estrogênico, porém potencializou o efeito do estradiol quando administrada concomitantemente. Já a venlafaxina e a mirtazapina isoladas foram capazes de produzir efeitos estrogênicos neste modelo. As análises histológicas corroboram estes achados, mostrando rarefação das células da submucosa endometrial em função de edema uterino. Estes resultadosindicam um possível efeito estrogênico destes antidepressivos e este estudo adquire relevada importância no sentido que substâncias que possuem potencial para mimetizar hormônios endógenos podem interferir com diversos processos fisiológiocos incluindo os processos reprodutivos e comportamentais. Palavras Chave: Teste Uterotrófico, drogas antidepressivas, estrogenicidade, paroxetina, venlafaxina e mirtazapina.
dc.description.abstractAbstract: Depression is a serious public health problem and leads to significant disability and suffering in daily living. The selective serotonin reuptake innibitors (SSRI)are the most prescribed class to treatment, while the non-selective inhibitors and ?2-adrenergic receptor antagonists are classes which use has been increasing in recent years. Scientific evidence shows that fluoxetine (SSRI), has estrogenic effects and interfere with reproductive processes.This study aimed to perform a screening with antidepressant drugs (paroxetine, venlafaxine and mirtazapine) using uterotrophic assay in immature rats to investigatethem estrogenic action. The results indicate that isolated paroxetine showed no estrogenic effect, but produced interaction with the estradiol. In the other hand, venlafaxine and mirtazapine isolated produced estrogenic effects in this model. Histological analysis and morphometry also performed, corroborate these findings, showing thinning of the endometrial cells due to uterine edema and proliferation celular. The results show that these antidepressants have the potential to mimic estrogenic activity, which may interfere with reproductive processes. Keywords Uterotrophic assay, antidepressants drugs, estrogenicity,paroxetine, venlafaxine, mirtazapine
dc.format.extent48 f. : il. algumas color.
dc.format.mimetypeapplication/pdf
dc.languagePortuguês
dc.relationDisponível em formato digital
dc.subjectFarmacologia
dc.subjectDepressão mental
dc.subjectAntidepressivos
dc.subjectEstrogênios
dc.subjectFluoxetina
dc.subjectParoxetina
dc.titleDrogas antidepressivas com possível ação estrogênica : evidências e riscos
dc.typeDissertação


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record