Show simple item record

dc.contributor.advisorMacagno, Lorenzo, 1965-pt_BR
dc.contributor.authorMacedo, Victor Miguel Castillo dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Antropologiapt_BR
dc.date.accessioned2020-04-30T19:28:39Z
dc.date.available2020-04-30T19:28:39Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/40916
dc.descriptionOrientador: Prof. Dr. Lorenzo Gustavo Macagnopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Defesa: Curitiba, 14/08/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referências : f. 134-145pt_BR
dc.description.abstractResumo: O presente trabalho resulta da investigação etnográfica entre moçambicanos e moçambicanas em Curitiba, de 2011 a 2015, a respeito de memórias e silêncios sobre eventos decorrentes da guerra civil moçambicana. Os interlocutores são estudantes do Programa Estudante Convênio - Pós Graduação (PEC-PG), em nível de mestrado. O autor, dando continuidade a um trabalho de campo iniciado em 2011, se volta às dinâmicas produzidas pelos elementos mnemônicos mobilizados pelos interlocutores em momentos específicos da pesquisa. Para tanto, foram utilizados três fragmentos etnográficos - a lembrança a respeito do maior massacre da Guerra Civil; os constrangimentos pela presença de uma moça tida como parte da elite histórica de Moçambique; e as conversas ocorridas nas comemorações posteriores às defesas de dissertação de alguns destes moçambicanos. O acesso a compreensões e lembranças foi mediado por um relacionamento constituído por momentos de intimidade e estranhamento. Da mesma forma, o desenvolvimento de um entendimento a respeito dos sentidos e significados mobilizados demandou, para cada situação, uma retomada das condicionantes e dos eventos históricos que compunham as controvérsias em questão. O conflito central entre os grupos que hoje são os dois maiores partidos do país, Frelimo e Renamo, é abordado sob diferentes contornos, de modo a evidenciar disputas historiográficas sobre as versões e motivações do conflito (iniciado em 1977, no período pós-colonial e socialista). Tais disputas, que ressoam em desenvolvimentos acadêmicos e posicionamentos políticos, têm seus efeitos também, na forma de interpretar e diagnosticar os problemas do período institucionalmente democrático atual. Com o objetivo de reivindicar essa memória recente e as controvérsias que a cercam enquanto um lócus de investigação estratégico e relevante para as dinâmicas políticas em Moçambique, o trabalho constrói sua argumentação em um processo que não pretende assumir a oposição de linhagens historiográficas entre continuidade e cisma. Essa é, portanto, uma forma consciente de lidar com questões da política moçambicana sem perder de vista aquelas disputas internas aos estudos sobre Moçambique. Palavras-chave: Políticas da Memória; Guerra; África Austral; Moçambique.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The present work is a result of an ethnographic investigation among men and women from Mozambique, between 2011 and 2015, concerning memories and silences about events resulted from the Mozambican Civil War. The subjects are graduate students of the 'Programa Estudante Convênio - Pós-Graduação (PEC-PG)', in Master's degree. The author, continuing a fieldwork begun in 2011, turns to the dynamics produced by the mnemonic elements mobilized by the Mozambicans in specific moments of the research. To do so, three ethnographic fragments were used - the remembrance about the worst massacre of the Civil War; the constraints in relation to the presence of a lady known as a member of the historic elite of Mozambique; and the talks that occurred in the commemorations after some of theirs Master thesis examinations. The access to the comprehensions and remembering was mediated by a relationship constituted of moments of intimacy and estrangements. Likely, the development of an understanding concerning the senses and meanings mobilized demanded, for each situation, a resumption of the conditionings and the historic events that compound the controversies in question. The central conflict between the two groups that today are the main parties of the country, Frelimo and Renamo, it's treated under different outlines, in a way to evidence the historiographical disputes about the versions and motivations for the conflict (it started in 1977, in the post-colonial socialist period). Such disputes, that resonate in academic developments and political positions, have their effects also, in the way of interpreting and diagnosing the problems of the current institutionally democratic period. With the goal of claiming this recent memory and it's surrounding controversies as a relevant and strategic locus of investigation to the political dynamics in Mozambique the work builds its reasoning in a process that doesn't intend to assume the opposition of historiographical lineages between continuity and schism. This is, therefore, a conscious way to cope with the questions of Mozambican politics without losing in sight those disputes, internal to the studies about Mozambique. Keywords: Memory politics; Warfare; Southern Africa; Mozambique.pt_BR
dc.format.extent150 f. : il., maps.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectAntropologiapt_BR
dc.subjectAntropologia - Moçambique - Etnografiapt_BR
dc.subjectMoçambique - História - Sec. XIXpt_BR
dc.subjectGuerra civil - Moçambique - Historiografiapt_BR
dc.titleMemórias, silêncios e intimidades : sobre a política contemporânea em Moçambique (1975-2015)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record