Show simple item record

dc.contributor.authorFreitas, Nathalia Cristina de F. B. W. dept_BR
dc.contributor.otherGonçalves, Flávio de Oliveirapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômicopt_BR
dc.date.accessioned2015-06-24T22:09:19Z
dc.date.available2015-06-24T22:09:19Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/38090
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Flávio de Oliveira Gonçalvespt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Ecônomico. Defesa : 23/03/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Com o uso dos dados da Pesquisa Orçamentária Familiar (POF) 2008-2009, esse estudo tem como objetivo identificar se as decisões familiares sobre a educação dos filhos ocorrem de forma diferente entre os diferentes arranjos familiares brasileiros. Para isso, restringiu-se a amostra da POF às famílias com filhos de até 17 anos, excluindo as famílias sem filhos e as famílias que possuem filhos com mais de 18 anos. Primeiramente, por meio da estimação de um modelo de escolha binária logit, analisamse os determinantes da escolha familiar em matricular os filhos em escolas públicas ou em escolas privadas. Além do tipo de arranjo familiar em que vive, a cor, a idade e ordem de nascimento do filho alteram a probabilidade deste em frequentar o ensino privado, do mesmo modo que a renda per capita, o número de irmãos, a região geográfica e escolaridade do responsável pelo domicílio também são importantes nessa determinação. Em seguida, dado que as decisões sobre o volume de recursos financeiros destinados à educação de cada filho são tomadas em duas etapas, utilizase o modelo de seleção de Heckman para identificar os seus determinantes. Na primeira etapa as famílias decidem se investem ou não de forma privada na educação dos filhos, sendo que as variáveis que se mostram essenciais são: a renda per capita do domicílio, a quantidade de irmãos, a ordem de nascimento do filho, a região geográfica do domicílio e o nível do ensino a ser frequentado. Já na segunda etapa, em que as famílias determinam o volume de recursos destinados à educação dos filhos, os principais determinantes são: a renda per capita do domicílio, a região geográfica do domicílio, a cor e a idade do filho, a quantidade de irmãos e o tipo de escola frequentada. O tipo de arranjo familiar também se mostrou relevante, sendo que os filhos que vivem em arranjos monoparentais femininos recebem uma maior proporção dos gastos familiares em sua educação, em comparação com os que vivem em arranjos tradicionais (casal com filhos com responsável pelo domicílio masculino ou feminino), enquanto os que vivem em arranjos monoparentais masculinos recebem uma menor proporção. Por fim, somente em arranjos monoparentais masculinos foi possível identificar evidências de discriminação de gênero na alocação para os filhos, com benefício para os filhos do sexo feminino. Palavras-chave: arranjos familiares, alocação intrafamiliar de recursos, investimentos em educação dos filhos, modelo logit, modelo de seleção de Heckman.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Using the data from the 2008-2009 Pesquisa Orçamentária Familiar (POF), this study aims to identify if the family's decisions towards children's education are different in families with different family's structure in Brazil. The sample was restricted to families with children up to 17 years old, excluding families without children and families with children older than 18 years old. First, by estimating a logit model, we analyze the determinants of family's decisions to enroll their children in public schools or private schools. Besides the family structure, race, age and child's birth order affect their likelihood of attending private schools as well the per capita income, the number of siblings, the geographical region and the education of household head are also important. Since the family's decisions towards the volume of financial resources allocated for each child's education are taken in two stages, we use the Heckman selection model to identify their determinants. In the first stage, families decide whether or not to invest privately in children education, and the findings indicate that characteristics as the per capita income, the number of siblings, the child's birth order, the geographic region and the school level to be attended are relevant. In the second stage, when families decide the amount of resources allocated for each children's education, the main determinants are: the per capita income, geographic region, race and children age, number of siblings and type of school attended (public or private). The family structure was also relevant: children living in single-mother families, compared with children living with two parents, receive a greater proportion of household spending on their education, while those living in single-father receive a smaller proportion. Finally, only for single-father families the findings indicate gender discrimination in intrahousehold allocation, with benefit for female children. Key words: family structure, intrahousehold allocations, investments in children's education, logit model, Heckman selection model.pt_BR
dc.format.extent109f. : il., tabs., grafs., algumas color.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectCrescimento e desenvolvimento economicopt_BR
dc.subjectInvestimentos na educaçãopt_BR
dc.subjectOrçamento familiarpt_BR
dc.subjectEducação - Custospt_BR
dc.subject.ddc339.41pt_BR
dc.titleInvestimentos familiares em educação dos filhos no Brasil : o arranjo familiar importa?pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record