Show simple item record

dc.contributor.authorPestana, Germano Manoelpt_BR
dc.contributor.otherCésar, Maria Rita de Assispt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.date.accessioned2015-05-22T15:26:38Z
dc.date.available2015-05-22T15:26:38Z
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/38044
dc.descriptionOrientadora: Profª. Drª. Maria Rita de Assis Césarpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 17/03/2015pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.description.abstractResumo: Este trabalho é dividido em duas partes, uma primeira de caráter analítico-discursivo; a segunda especulativa. Na primeira parte, analisamos de que maneira os discursos psi (oriundos da psicologia, da psiquiatria e da psicanálise) passaram a integrar o espaço escolar, impondo uma compreensão do sujeito aluno atravessada por verdades diagnósticas que imputam no aluno a responsabilidade por sua inadequação à instituição. Em seguida, analisamos as condições que permitiram que um sistema de diagnósticos biopsiquiátricos se estabelecesse a partir da publicação do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM), manual que se constitui como verdade dentro do campo psi. A publicação das diferentes versões do DSM abre caminho para uma compreensão meramente orgânica do sujeito, o que culmina na farmacologização dos transtornos psíquicos, a partir da descoberta das primeiras substâncias neurolépticas. Finalizamos a parte analítico-descritiva pelo estudo do caso de um aluno apanhado na trama dos discursos psi na escola, a partir da análise de prontuários emitidos por diversos profissionais que se ocupam dele na escola. Iniciamos a segunda parte do texto, de caráter especulativo, pela análise da potencialidade que a histeria oferece à psicanálise em questionar a ordem sexual e impor uma nova nosografia dos transtornos psíquicos. Seguimos analisando as críticas que Michel Foucault tece à psicanálise, assim como os momentos em que o autor localiza nela a potência de um discurso de resistência e contra-conduta dentro do campo psi. No capítulo seguinte estudamos as aproximações e as divergências entre teoria queer e psicanálise, e propomos que o encontro desses saberes questiona os fundamentos de ambas as teorias. Por fim, revisitamos o caso analisado na primeira parte do texto através de uma ficção que desloca o campo psi do lugar de verdade sobre a psicopatologia, produzindo outras possibilidades de subjetivação. Palavras-chave: Psicanálise, Teoria Queer, Discursos Psi, Medicalização, DSM.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This text is divided into two parts, the first one analytical-discursive; the second speculative. In the first part, we analyze how the psy discourses (from psychology, psychiatry and psychoanalysis) became part of the school environment, requiring an understanding of the subject student crossed by diagnostic truths that impose on the students the responsibility for their inadequacy to the institution. Then, we analyze the conditions that allowed a system of biopsychiatric diagnostic be established from the publication of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM), manual that is imposed as the truth within the psy field. The publication of the different versions of DSM opens the way for a purely organic understanding of the subject, which culminates in the pharmacolization of psychic disorders, starting on the discovery of the first neuroleptic substances. We end the analytic-descriptive part by studying the case of a student caught in the web of psy discourses at school, which we do from the analysis of medical records issued by various professionals attending to him at school. We started the second part of the text, the speculative one, analyzing the potential that hysteria offers to psychoanalysis to question the sexual order and impose a new nosography on psychic disorders. We continue analyzing the criticism that Michel Foucault charges the psychoanalysis with, as well as the moments when the author finds in it the power of a discourse of resistance and counter-conduct within the psy field. In the next chapter, we study the similarities and differences between queer theory and psychoanalysis, and we suggest that the gathering of these knowledge interrogates the foundations of both theories. Finally, we revisit the case analyzed in the first part of the text through a fiction that moves the psy field from the place of truth on psychopathology, producing other possibilities of subjectivity. Key-words: Psychoanalysis, Queer Theory, Psy Discourses, Medicalization, DSM.pt_BR
dc.format.extent198f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.title"Make the best woman... win" : pertubações entre os discursos psi, psicanálise e teoria queer na educaçãopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record