Show simple item record

dc.contributor.authorCosta, Michel Silvapt_BR
dc.contributor.otherNascimento, Marivaldo dos Santospt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Terra. Programa de Pós-Graduação em Geologiapt_BR
dc.date.accessioned2015-01-23T17:41:52Z
dc.date.available2015-01-23T17:41:52Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/37073
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Marivaldo dos Santos Nascimentopt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Geologia. Defesa: Curitiba, 21/08/2014pt_BR
dc.descriptionInclui referênciaspt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Geologia ambientalpt_BR
dc.description.abstractResumo: A relação entre mudanças do nível de base e o suprimento sedimentar controla o grau com que o espaço de acomodação é consumido pela sedimentação. Isto define os estágios de preenchimento sedimentar de uma bacia de ante-país e, portanto, é o principal controle do padrão de empilhamento estratigráfico. A integração de dados faciológicos, estratigráficos e petrográficos de sucessões sedimentares siliciclásticas neoproterozóicas da Bacia do Itajaí - uma bacia de ante-país - revela tendências deposicionais e estratigráficas emergentes dos diferentes estágios de evolução desta bacia. Os ambientes de sedimentação investigados se desenvolveram em condições bacinais que vão desde contexto continental, transicional-marinho raso, a marinho profundo. As relações laterais e verticais destes ambientes configuram uma arquitetura estratigráfica individualizada na forma de três tratos deposicionais (TD): TD-I - sistema deposicional de águas profundas, TD-II - sistema deposicional transicional-marinho raso, e TD-III - sistema deposicional continental. O TD-I registra a sedimentação inicial da bacia (undefilled) que envolve depósitos de leques submarinos canalizados e não canalizados. Os tratos TD-II e TD-III, respectivamente, envolvem ambientes deltaicos, marinho raso, fluvial entrelaçado e leques aluviais, correspondentes às fases de sedimentação intermediária e final (filled e ovefilled). O arcabouço estratigráfico desenvolvido neste contexto e a composição mineral dos arenitos atestam que a tectônica foi o principal controle alogenético na sedimentação e, consequentemente, nas características e distribuição das fácies sedimentares no espaço e no tempo. A disposição espacial das sucessões turbidíticas, os padrões de paleocorrentes e os dados modais dos arenitos do TD-I indicam aporte sedimentar de noroeste para sudeste, proveniente de blocos continentais, com contribuição do Complexo Granulítico de Santa Catarina. Por outro lado, os padrões de paleocorrentes e a composição modal dos arenitos dos tratos TD-II e TD-III indicam transporte de sudeste para noroeste, que envolvem fontes do Complexo Metamórfico Brusque. Os estágios da eodiagênese, mesodiagênese e telodiagênese são representados por uma assembleia de minerais e feições relacionadas que inclui caulinita, illita, clorita, esmectita, dickita, carbonato, quartzo e feldspato autigênicos, óxido de ferro, faturamento e esmagamento de grãos. A sequência das transformações diagenéticas foi avaliada segundo as variações faciológicas e mostram-se controladas pelos processos deposicionais. As fontes detríticas são atribuídas a unidades estratigráficas que ocorrem nos domínios tectônicos envolvidos na história evolutiva do sistema de ante-país onde se desenvolveu a Bacia do Itajaí, durante os estágios finais da Orogenia Brasiliana que culminou com a consolidação do Gondwana Ocidental. Palavras-Chave: Bacia do Itajaí; Sistemas deposicionais; Tratos deposicionais; Petrografia de arenitos.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The relation between sea level changes and sedimentary supply controls the rate which the accomodation space is consumed by sedimentation. It defines the stages of sedimentary fill of a foreland basin and, therefore, it?s the main control of the stratigraphic stacking pattern. The integration of faciologic, stratigraphic a petrological data of neoproterozoic siliciclastic sedimentary sucessions of Itajaí Basin - a foreland basin - that revels depositional and stratigraphical trends emergent from different stages of evolution in this basin. The sedimentation was developed in bacinal conditions described as continental and transitional-shallow marine to deep marine environments. Lateral and vertical relation of these environments configures a stratigraphic architecture individualized in the form of three depositional tract (DT): DT-I - deep water depositional tract, DT-II - transitional-shallow marine depositional tract, and DT-III - continental depositional tract. The DT-I record the initial sedimentation of basin (underfilled) that involves canalized and non-canalized submarine fan deposits. The DT-II and DT-III tracts involves deltaic to shallow marine and alluvial fans to fluvial braided environments respectively, corresponding to the intermediary and final sedimentation stages (filled and overfilled). The stratigraphic framework developed in this context and the mineral composition of the sandstones attest that tectonics was the main alogenetic control on sedimentation and, consequently, in the characteristic and distribution of the sedimentary facies in the space and time. The disposition of turbiditic sucessions, the paleocurrent patterns and the modal data of sandstones of DT-I indicates sedimentary supply from northwest to southeast, with provenance from continental blocks, with contribution from Santa Catarina Granulitic Complex. By other side, the paleocurrent pattern and the modal compositional from sandstones of the tracts DT-II and DT-III indicates transport from southeast to northwest, involving sources from Brusque Metamorphic Complex. The eodiagenesis, mesodiagenesis and telodiagenesis stages are represented by a mineral assemblages and features related that include kaolinite, illite, chlorite, smectite, dickite, carbonate, autigenic quartz and feldspar, iron oxide and fracturing and crush of grains. The sequence of diagenetic transformations was evaluated by the faciologic variations and show itself controlled by the depositional processes. The detritical sources were attributed to stratigraphical units that occur in the tectonic domains involved on the evolutional history of the foreland system where was developed the Itajaí Basin, during the late stages of the Bazilian Orogeny that culminate with the consolidation of the Western Gondwana. Key-words: Itajaí Basin; Depositional systems; Depositional tracts; Sandstone petrography.pt_BR
dc.format.extent107f. : il. algumas color., mapas., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectBacias sedimentarespt_BR
dc.subjectSedimentação e depositospt_BR
dc.subjectPetrologiapt_BR
dc.subjectGeologiapt_BR
dc.titleA sedimentação neoproterozóica na Bacia do Itajaí, leste da Santa Catarina : paleoambientes, composição e diagênese de arenitospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record