Show simple item record

dc.contributor.advisorLuz, Ennio, 1926-pt_BR
dc.contributor.authorMello, Angela Maron dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Microbiologia, Parasitologia e Patologiapt_BR
dc.date.accessioned2018-05-08T17:30:15Z
dc.date.available2018-05-08T17:30:15Z
dc.date.issued2005pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/36673
dc.descriptionOrientador : Ennio Luzpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 2005pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.description.abstractResumo: Dengue é uma arbovirose que vem contribuindo com milhões de casos por ano, preocupando a saúde pública no mundo. É um agravo originário da Ásia onde há dois vetores envolvidos na sua transmissão Stegomyia aegypti e Stegomyia albopicta. No continente americano o vetor apontado como responsável pela transmissão é Stegomyia aegypti muito embora haja indícios no México do papel do Stegomyia albopicta em epidemias daquele país. No Brasil, no estado do Paraná em 2002, na região litorânea houve a notificação de quatro casos de dengue confirmados por sorologia, imunoglobulina M, nos municípios de Paranaguá, Morretes e Pontal do Paraná. Em outro município do litoral, Guaraqueçaba, em área rural ocorreu uma epidemia de doença febril aguda com 191 casos, no período de junho a setembro de 2002. Nesses quatro municípios Stegomyia albopicta é o único vetor detectado pela vigilância entomológica de rotina, no período de 1997-2003. Foi realizado um estudo sorológico para pesquisa de outros casos de dengue na população dos municípios de Morretes, Paranaguá, Pontal do Paraná. Em Guaraqueçaba foram coletadas amostras por domicílio onde houve caso.Nos resultados laboratoriais foram encontradas 51 pessoas com sorologia positiva para dengue, pesquisa de imunoglobulina G pela técnica do Ensaio Imunoenzimático, com uma prevalência geral de 18,8 e nos municípios respectivamente 10,5; 25,8; 11,7 e Guaraqueçaba uma incidência de 23,3 todos por cem habitantes. Na espacialização dos dados utilizando o método de Kernel para análise verificou-se que todos os casos positivos, tanto os com imunoglobulina M quantos os com imunoglobulina G estavam circunscritos dentro de um raio de mil metros confirmando o vínculo epidemiológico.Conclusão: As sorologias positivas para dengue confirmam que houve a circulação do vírus da dengue nos municípios de Morretes, Pontal do Paraná, Paranaguá e Guaraqueçaba, em 2002. O único vetor detectado naquela área vem sendo Stegomyia albopicta portanto as evidências apontam para este espécie como o possível vetor para realizar a transmissão.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The Dengue Fever is an arboviruses which has been contributing with thousands of cases by year, worrying the public health in the world. The disease is originary from Asia where there are two important vectors responsible for the transmission. In the Americas the aggravate situation started in eigthy decade, with the number of cases increasing in several countries, specially in Brazil. In the Americas a single vector Stegomyia aegypti has been pointed as responsible for although, there are evidences in Mexico concerning the role of Stegomyia albopicta on dengue epidemic in that country. In Brazil, on the coast of Paraná state Stegomyia albopicta is the unique vector identified since 1997. In 2002 three cases of dengue fever were confirmed by sorology in three sites of that region. At the same time, a fourth site was notified with 191 cases of dengue fever with symptoms such as migraine headache, arthralgia, myalgia and inappetence. A local entomological survey has confirmed only the presence of Stegomyia albopicta. An epidemiological study based on serology for immunoglobulin G, in the cites of Morretes, Paranaguá and Pontal do Paraná has confirmed respective prevalence of 10,5; 25,8; 11,7 and incidence of 23,3 in Guaraqueçaba. A spatial analysis using Kernel method has been verified a clear aggregation of the cases immunoglobulin "M" and immunoglobulin "G" positive cases, circumscribed to an area smaller than a thousand meters, confirming the epidemiologic link. According to the results there has been a circulation of Dengue Fever virus among regions on the coast of Paraná State in 2002, in which Stegomyia albopicta was the main possible vector to accomplish the transmissionpt_BR
dc.format.extent68f. : il. algumas color., mapas, grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectDengue - Paranápt_BR
dc.subjectUFPRpt_BR
dc.subjectTMpt_BR
dc.subjectTESE UCpt_BR
dc.titleDengue em área com Stegomyia albopicta e ausência de Stegomyia aegypti, Paraná, Brasilpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record