Show simple item record

dc.contributor.authorFrança, Amanda Araujo dept_BR
dc.contributor.otherMangrich, Antonio Salvio, 1939-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Exatas. Programa de Pós-Graduação em Químicapt_BR
dc.date.accessioned2014-07-25T17:58:34Z
dc.date.available2014-07-25T17:58:34Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/35636
dc.description.abstractResumo: A cinza da casca de arroz (CCA) é um resíduo produzido em grande quantidade no Brasil e no mundo e, por isso, sua disposição pode tornar-se problemática. Visto que possui alto teor de Si, é importante a realização de estudos para utilização da CCA no preparo de materiais de interesse tecnológico. Neste contexto, foram estudados métodos de aproveitamento da sílica da CCA para a síntese de fertilizantes semissolúveis de Si e K e da parte orgânica para o preparo de carvões ativados. A obtenção da sílica da CCA foi feita por meio de lixiviação alcalina (KOH). Os parâmetros concentração da solução de KOH e tempo de reação foram avaliados, sendo 6 mol.L-1 e 6 h, os que apresentaram o melhor resultado. A solução de K2SiO3 gerada na extração foi separada do material sólido por filtração. O fertilizante FERT1 foi sintetizado a partir da reação da solução de K2SiO3 com solução de KAlO2, produzida por reação de KOH com alumínio de sucata. Parte do FERT1 foi submetida à calcinação (500 °C / 4h), originando o FERT2. Os outros fertilizantes foram produzidos com uso da sílica precipitada pela adição de solução de H2SO4 à solução de K2SiO3 gerada anteriormente. Os fertilizantes FERT3, FERT4 e FERT5 foram preparados por reação mecanoquímica de KCl com SiO2 por 4, 8 e 12 h, respectivamente. Os fertilizantes FERT6, FERT7 e FERT8 foram preparados de forma similar aos anteriormente descritos, porém com adição de Al(OH)3 na moagem. Ensaios preliminares de liberação de K+ em água foram feitos com os fertilizantes e aqueles, de cada rota, que apresentaram menor liberação foram caracterizados e submetidos a estudos de liberação mais detalhados (FERT2, FERT4, FERT5 e FERT7). O material sólido retido no filtro foi seco em estufa, por 1 ou 12 h, e recebeu tratamento térmico de ativação de 600 °C / 1 h, originando os carvões ativados CAT1 e CAT2. A CCA e os produtos gerados foram caracterizados por XFR; XDR; TGA; DTA; FTIR; DRIFT; NMR, EPR; SEM e EDS. Medidas de área superficia específica (ASE) dos carvões ativados foram feitas pelo método BET. As técnicas utilizadas para a caracterização dos fertilizantes indicaram que o FERT2 possui composição similar ao mineral kalsilita. Além disso, sugeriram que os tratamentos utilizados para síntese do FERT4, FERT5 e FERT7, não promoveram a reação entre as matérias-primas utilizadas. O FERT2 apresentou menor liberação de K+ em água, comparado aos outros fertilizantes. Sugere-se que o controle da liberação do K+ nos FERT4, FERT5 e FERT7, seja devido ao recobrimento do KCl pela sílica amorfa insolúvel em água. Entre os carvões produzidos, o CAT2 apresentou melhores resultados em relação ao CAT1. A ASE, tamanho e volume de poros obtidos para o CAT2 foram de 645,0 m²/g, 1,92 ?, e 1,85 cm3/g, respectivamente. A síntese de carvão ativado e fertilizantes a partir da CCA parece ser um processo viável de aproveitamento do resíduo, com geração de insumos de considerável interesse econômico.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleAproveitamento das cinzas de casas de arroz como matéria-prima para o preparo de carvão ativado e de fertilizantes minerais de silício e potássiopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record